Grilo,
ou dedinho, era assim que eles chamavam o filho mais novo da dona Leopoldina , meu tio Gilmar,
A primeira vez que fui de ferias ao Brasil, depois de estar morando na europa
eu tinha quase 19 anos, foi so eu e o Gustavo meu primo de 17,
minha vo ainda morava na fazenda Santaninha (MT) onde morei algumas vezes mais nova, meu tio Gil, ja tava com 3 filhos da mulher que quando fui embora ele tava, se recapitularmos aqui esse episódio de quando fomos conhecer a Elizeth, a mulher do meu tio,
meu tio sempre rio das mulheres da fazenda por causa do cabelo ruim, a gente que vem da cidade de Goiania estávamos acostumados com mulher do cabelo lisinho ou enroladinho mas bem definido e de branquinhos ou morena clara,
essas mulheres que meu tio zuava, eram bonitas, tinha ate os olhos claros, so que o cabelo realmente na época não era comportados, pra assim dizer,
meu tio era muito comedia entao acredito que ele queria ser mais engraçado do que mau em suas criticas, que sempre marcou onde passou nos trabalhos de vida de marceneiro, alias, foi nesse trabalho que ele cortou o dedo e passou a ser chamado de dedinho, ele levava tudo na brincadeira, fumava igual pe de fumo,
pior que na casa da minha vo, era complicado todos muitos religiosos, e meu vo que não tinha nenhum senso de humor, quando o negocio era vida religiosa,
bom bref, meu tio que tanto zuou essas as meninas da fazenda, que na boca dele tinha apelido de shampoo de laranja, chegou com um papo meio humilde pra minha vo, fazendo ela ser bem direta com ele,
ele falou , mae vou trazer minha namorada pra vc conhecer, ela é tipo, um pouco morena, uma morena escura, minha vo de cara falou
é preta? ele riu, que se acabou, entao não precisou de resposta,
sabe na nossa igreja havia muitos negros, eu tinha amiga na escola, e tudo mais, minha vo nunca falou nada que fizesse conotação de racismo, mas as vezes quando ela falava em casa, você limpa igual preta, vai lavar esse joelho de negro, tava fedendo igual negro, ai viamos um racismo que parecia normal pra cultura, mas não quer dizer que ela não tinha companheirismo,
havia mudado pra la uma família de uns 12 irmãos, acho que vinham da bahia,
naquela fazenda havia gente de todos os estados do Brasil, menos do Rio pelo o que lembro, mas tinha ate do sul, mas pra não sair aqui do foco,
essa família eram da cor negra, a qual algumas das meninas era bem minha amiga tinha minha idade, e eu gostava muito dela, era toda meiguinha, ela disse uma vez pra mim depois ficamos amigas, que achava que eu era metida so porque tinha vindo da cidade, mal sabia ela como eu era tímida, e triste...
bom mas imagino que seja normal, a gente vem da cidade com roupas diferentes, com outro tipo de experiências, so pra ter noção, ela era da mesma classe que eu, e nosso professor também vinha de goiana por confidencia, foi o primeiro homem que me apaixonei secretamente hehe, mas isso não vem o caso, ele uma vem perguntou pra essa minha amiga Cirlene, qual episódio do tom e jerry que vc mais gostou? e ela disse nunca vi nem sei o que eh,
tipo isso, as pessoas da fazenda não tinha contado com a tv, isso era normal, energia e agua canalizada não era algo comum naquele lugar, o que eu odiava,
em compensação o contato com a natureza é surpreendente nada se compara com aquela sencacao de liberdade,
mas de novo sai do foco, bom resumindo, era normal, mas não quer dizer que por isso eu me sentiria melhor, sabe porque ? porque pra mim tudo isso era normal, eu estava em um mundo diferente, mas não me sentia diferente, ao contrario, na cidade muitas vezes fui zombada por os coleguinhas de classe, por nunca ter dinheiro pra nada, nunca ter dinheiro pra uma foto, ou nunca ter tido uma festa de aniversario, ou porque eu com 9 anos podia ir embora pra casa sozinha , sendo que meus colegas os pais vinha buscar, etc,
esse meu tio, morava com a gente em goiana quando eu era criança,,
parque oeste industrial, que agora cresceu , na minha época, era pequena,
moravamos atraz da igreja, com minha tia Cleo divorciada com, os 2 filhos, minha prima camila e leo, e como meu tio gil e tia kezia eram solteiros morava todos ali juntos, a minha tia Cleo era uma mulher meio amarga na época, e tinha um cuidado especial com minha prima, mais que com o filho era assim que eu sentia, e eu piorou me sentia exclua, e os outros tios vivam a vida deles, e eu sempre me sentia sozinha, apesar de ve a minha prima como uma irma, era a única amiga que eu tinha, e so, um dia na páscoa, minha tia deu uma caixa garoto pra minha prima, e disse não da pra aline, porque ela é gulosa,
minha prima ficou com do, e me dava escondido, e eu ficava muito grata por isso, serio mesmo, ela era criança como eu, podia me tratar como quisesse, eu morava ali de favor, ja que nem minha vo, tava por perto nem minha mae tava viva pra me defender, uma coisa que nunca esqueci
meu tio Grilo chegou depois do trabalho, viu a camila minha prima segurando a caixa de bombom, e disse, você deu pra aline? so que ela não podia falar pra minha tia não saber porque ela tinha proibido, ele ficou tao furioso quando ela disse não! ele com o jeito de xingar que so ele tinha, saiu muito bravo, foi no mercado e me trouxe um ovo da nestle que pra mim ele tava chegando com um oro que brilhou nos meus olhos, e eu nem soube como reagir, porque eu me senti a pessoa mais especial do mundo naquele momento, ele olhou pra mim,
e disse se de um pedaco pra essa menina mimada da sua prima, eu te bato,
era como se ele falasse, não seja idiota menina,
mas mal sabia ele que minha prima também tava me dando escondido, e la fomos eu e ela nos esconder porque os adultos tinha nos proibido algo que generosamente doamos uma a outra, e me sinto orgulhosa de saber que existe criança que não são ridica...
Mas quando fui de ferias, eu vi meu tio, uma pessoa amarga e triste,
parece que nada na vida dele tinha avançado e era exatamente isso que ele começou a passar e me deu um aperto grande, ele falava em separação falava em deixa la, queria também ir a europa, eu sempre escutei caladinha, não conhecia esse lado reclamao do meu tio,
mas em partes minha vo tinha culpa, tudo que meu tio fazia na juventude minha vo acobertava e tentava resolver os problemas dele, quando ela não pode mais, ele não tava sabendo lidar, e tentava achar um culpado,
e na cabeca dele, era a mulher que não ajudava ele a crescer, eu gostava muito dela, da Elizeth, que engraçado lembrar, mas ela era muito novinha quando veio morar ali com a gente, antes de conhecer meu tio ela era muito dependente, ganhava seu dinheirinho e pagava suas contas e ainda ajudava sua família,
se nao me engano ela vem de uma outra cidade no mato grosso, mas sua família era bem pobre, e ela saiu de casa pra trabalhar e tudo mais,
quando meu tio conheceu ela, ela morava na cidade com os patrões e tava bem na sua vida,
agora ir pra fazenda e ser mae mulher do lar, acha que não foi difícil também pra ela, e sem contar que meu tio no começo não era santo,
viva traindo ela, meu tio era muito lindo, e charmoso, a mulherada caia em cima mesmo, no começo foi difícil pra ela se adaptar na família,
minha familia toda crista, minha vo com aquele caracter de mandona,
nossa e ela novinha, que barra, ele também tinha que ter visto isso, ela foi guerreira de seguir ele onde ele fosse,
por fim vieram pra europa, me dava uma pena que a Elizeth não achava trabalho,
e que meu tio ainda tinha pensamentos negativos em tudo,
ate sobre nossa familia aqui, que tanto ajudou ele a vir,
e nao sei, a gente se for negativo vai absorver so coisas negativas,
as vezes eu me cansava de ver meu tio so reclamando de tudo e de todos,
a Elizeth sempre meiga tentando apaziguar, ao menos aos meus olhos,
eu tentava estar presente na vida deles, mas sinceramente, eu não sabia como ajudar, mas sei que foi difícil pra eles, sei que a Elizeth era um pouco orgulhosa também, minhas tias queria ajudar e não sabia como, e eu so tinha amor, não queria ta nesses desentendimentos de família,
so sei de uma coisa, entre altos e baixos estão bem agora, mora em portugal conseguiu abrir uma empresa, e tem uma família linda, meus primos lindos estão grandes, uns morenos gatos de mais, sempre sigo eles no facebook,
e existe outros casos pra contar mas vou parar por aqui,
se lembrar de mais coisa venho falar :P

Vamos falar de cada integrante

Negão...
Todo mundo já sabe de quem tô falando,
Minha primeira lembrança dele
Foi quando ele morava em ipora com a Jane, nossa eu gostava muito dela, pensa em uma pessoa meiga, não lembro dela me chateando nenhuma vez, ao contrário ela era atenciosa me
Ensinou a contar e a escrever meu nome, ouvi dizer mais tarde que ela tinha problemas com os espíritos malignos que ela via e meu tio contou que muitas vezes ficaram acordados porque ela sentia atacada...
Meu tio Samuel, ele era muito trabalhador, sabe que imagem tenho dele, sabe aqueles cara de luta livre, forte e invocado, tipo, ele pra brigar com alguém, ele não tinha medo de nada, se deixasse ele derrubava tudo se tivesse zangado, bom, mas com a gente ele era muito bonzinho até que não mentisse pra ele, sempre demonstrou horror a mentira e quando alguém desobedecia ele,
Uma vez a visinha que por acaso era muita minha amiga, era casada não tinha filho, era querida comigo, mas um dia ela tava tomando banho, o banheiro era do lado de fora, acho que mesmo a gente usava, porque era 2 casas em um só quintal, e ai como eu achei que tinha intimidade com ela, fiquei na porta e brinquei falando que tava vendo ela, sem mentiras, ela levou a sério e falou pra meu tio que desrespeitei ela, tipo, eu acho que eu era muito pequena, 6 ou 7 não tenho certeza, era muito pequena, e meu tio,
Me bateu, eu como sempre fui rancorosa não quiz mais ser sua amiga, palhaçada. Bom mas eu não era uma santa disso eu sei, eu uma vez, depois de ter almocado, ainda queria beliscar a panela, a Jane tinha feito uns kibes muito gostoso mais muito pimentado, eu envez de morder e guardar eu não conseguia comer e enterrava, porque se eu jogasse no lixo eles iam ver, dai eu fiz isos, seguidamente, porque sentia vontade novamente de comer mais,
Então eu sem perceber enterrei todos,
Pork nenhum que eu mordia conseguia terminar de comer,
Meu tio chega de um ardo trabalho de mecânico, e a Jane diz, querido tem
Isso aquilo e Kibe pra comer,
Ele muito zangado diz, sua mentirosa, não tem kibe, eu corri pra o quintal, fiquei com muito medo,
O cachorro sentiu o cheiro e foi desenterrou os kibes e meu tio, me chamou com uma voz muito forte ; Aline! Não lembro se apanhei, mas ele perguntou pork eu não comi e joguei fora? Eu disse tava pimentado, ele não perguntou quantos, mas voila, minha vida estava sempre correndo risco,
Depois de mais velha fui pra fazenda, e meu tio já não era mais casado,
Mas ele era muito meigo comigo, bom como eu sentia meio desprezada pela a família eu sentia amada por ele, quer dizer meus tios todos eram queridos comigo na fazenda, mjnha vo que era mais fria, não sei porque meu tio tinha uma rincha com minha irmã Erika, ele era mais agrecivo com ela, e eu às vezes não entendia muito porque, mas minha irmã sempre mentiu muito, ela era meio doidinha e espontânea ,
Meu tio era meio maluco, sua risada dava pra ouvir a léguas, mesmo que eu achava super divertido, tmabem tinha medo dele, e ele era meio safado quando alguma amiga minha vinha me visitar,
Mas era um tio e tanto, uma vez
Eu só disse, eu queria tanto vê uma coruja de perto, dai ele com toda segurança disse ; e vai vê !
Dai ele tentou pegar uma a noite,
E trouxe ela morta , eu fiquei triste e falei mas tá morta , ele disse
Prometi que já vê lá, mas não falei se era viva ou morta 😳😳😳
Entao apartir daquele momento eu pensei nunca mais vou desejar alguma coisa eu hein 🙈🙈🙈
Doido ,ele era tão doido
Ele ia derrubar árvores lá naqueles matagais do mato grosso, ficava meses lá nas florestas, depois voltava igual homem da caverna, barba grande cabelo preto enrolado igual um
Black power 😂😂😂!
Mas ficava tão feliz de vê-lo Alem de me empolgar em deixa lo informado de todas as notícias que ele não teve durantes os meses de ausência ,
Quando ele voltava, , vinha com tantas histórias e coisas cabulosas pra contar ,era tão inteligente,
Seus contos eram interessantes ...
Na casa da minha vo, não tinha televisão, nem imergia, só se agente ligasse o gerador que era raro,
Só quando tinha visita, e eu minha vo não tínhamos comunicação, ela era fechada e eu sempre agi conforme reagisse comigo, meu vo com a igreja que liderava sempre conectado a sua leitura Bíblia, deixava pouco tempo pra me dar atenção, de vez enquanto ele dava explicações bíblicas ou falava comigo sobre as coisas e Deus, ou até mesmo falava sobre suas experiências como cristão ou como foi parar na fazenda
Isos eu gostava, sempre gostei muito de histórias e casos...
Wait while more posts are being loaded