Lançado Relatório de Gestão 2012 do Programa Brasil Quilombola, 

Coordenado pela SEPPIR e gerido por comitê formado por onze ministérios, o objetivo do PBQ, lançado em 2004, é consolidar os marcos da política de Estado para as áreas quilombolas .
A Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), coordenadora do Programa Brasil Quilombola (PBQ), divulga o relatório de gestão de 2012 da ação, lançada em 2004, com o objetivo de consolidar os marcos da política de Estado para as áreas quilombolas. (Faça o download do arquivo)

De acordo com o relatório, a estimativa é de que existem no Brasil 214 mil famílias e 1,17 milhão de quilombolas, dos quais 92,1% se autodeclaram pretos ou pardos. Existem também, 2.197 comunidades reconhecidas oficialmente pelo Estado brasileiro; 2.040 comunidades certificadas pela Fundação Cultural Palmares (FCP), sendo 63% delas no Nordeste; 1.229 processos abertos para titulação de terras no INCRA e; 207 comunidades tituladas com área total de 995,1 mil hectares, beneficiando 12.906 famílias.

Com relação aos dados socioeconômicos, o documento aponta que 80 mil famílias quilombolas estão cadastradas no CADÚnico do Governo Federal e, destas, 64 mil famílias ou 79,78% do total, são beneficiárias do Programa Bolsa Família. Vivendo em situação de extrema pobreza estão 74,73% das famílias quilombolas, embora 82,2% desenvolvam atividades agrícolas, extrativismo ou pesca artesanal.
Wait while more posts are being loaded