Post has attachment

Post has attachment

Post has attachment
Linhas guia para configuração de estações Fixas/MóveisDigipeaters de APRS

Ora bem, dado o interesse da audiencia, cá vamos para mais um tema: Potência de emissão.

Como já se percebeu em publicações anteriores, o APRS não é uma forma de fazer DX, nem de ver ou receber o maior número de estações. Aliás, dada a sua definição de rede local, em condições normais só se deveriam receber directamente via RF as estações num raio de 20/30kms.
Habitualmente o que se utiliza é a potência máxima do rádio, para chegar a todo o lado. Esta forma de utilização da rede é errada.

Passo a explicar:
- níveis elevados de potência (30, 50 ou até 65W) fazem com que as frames emitidas se sobreponham e anulem outras de utilizadores mais distantes, ou com potência reduzida (Ex.: portáteis);
- podem chegar a 2, 3 ou mais digis, sendo depois repetidas por cada um deles, saturando a já de si congestionada frequência;

Imaginemos o seguinte cenário:
O Amador CT#ZZZ (indicativo ficticio), vai fazer uma caminhada pela serra, munido do seu portátil e utilizando APRS, para que a familia em casa o possa seguir no monitor do PC. Imaginemos que o seu portátil tem uma potência máxima de emissão de 5W(36,9dBm).
A 30Km dali, o Amador CT0XXX (indicativo ficticio) segue na sua viatura com um equipamento a emitir com 25W(43,9dBm).
Já sabemos que existe uma diferença de potência de emissão de cerca de 20W(43,0dBm) a acrescentar a isso, a antena de móvel poderá ter uma ganho de 3dB, a acrescentar à potencia de emissão (negligenciemos as perdas). Na melhor das hipoteses a antena do portátil é de ganho 0 (zero).
Posto este cenário, imaginemos agora que o Amador CT#ZZZ durante o seu passeio, escorrega e cai num buraco, magoa-se e é incapaz de se socorrer...

Deixo aqui um espaço para que considerem as possibilidades que o Colega CT#ZZZ tem ao seu alcance.



Pois é... lá terá ele de fazer uma chamada para o 112 (se houver sinal de rede) quando poderia fácilmente com o seu equipamento de Amador, emitir um beacon de socorro no qual se encontrariam as coordenadas mais ou menos precisas do local onde se encontra.


Portanto, repensemos a forma como estamos a utilizar este recurso.
No meu caso pessoal, o equipamento móvel está na potência minima (aprox. 5W - informação do manual) e chego ao digi mais próximo. É o que chega, a partir daí a restante infraestrutura da rede faz o resto do serviço.

Apesar de pobre distribuição de digis no nosso país, (ver publicações anteriores) julgo que ninguém estará assim tão distante de um deles que precise de "Full Power".




Post has attachment
Gostaria de fazer lembrar a todos os colegas, que actualmente a rede de APRS de VHF está a funcionar com poucos meios para cobrir todo o território. Junto das vossas associações poderiam solicitar a estas para colocarem outros digipiteres em pontos estratégicos para puder ajudar outros a que possam chegar a todo o mundo através das portas VHF Igates instaladas na Internet como aquela instalada pela REP em Lisboa. (CS5LX-1).
Sabemos que actualmente a legislação só permite instalar Igates
às associações ou então outros que sejam autorizados por estas mas com indicativos especiais fornecidos pela Anacom.


ct1ejc

Post has attachment
Sobre o servidor Portugal APRS instalado em Portugal ficam algumas informações para os utilizadores.
Tem vindo a ser actualizado frequentemente o software.
versão actual 4.3.0b03
Últimas melhorias.
Se o cliente remoto tenta usar um indicativo-SSID de um cliente interno (incluindo o servidor, ServerCall, e o indicativo-SSID do servidor , o cliente remoto será desconectado. Se um cliente remoto se conecta usando o mesmo indicativo-SSID como uma conexão remota existente, a conexão existente será desconectada e a nova ligação vai continuar. O primeiro cenário impede que um cliente remoto cause problemas com os clientes internos e servidores a montante (rede internacional). O segundo cenário permite uma conexão que seja perdida e restabelecida por um cliente remoto quando a conexão perdida ainda não é reconhecido pelo Servidor. . Estes cenários têm sido sempre o caso com a adição de bloquear logins para os servidores a montante, uma vez que foi esquecido antes. A resposta é simples: todas as estações devem ser únicos no APRS-IS (rede internacional). Se alguém usa uma estação indicativo-SSID para entrar em um servidor verificado, eles precisam usar um login diferente para uma estação diferente, independentemente de onde eles fazem o login. Os algoritmos acima impor essa singularidade em servidores individuais. O algoritmo q aplica-lo a um grau menor em toda a rede. O mesmo é verdadeiro para origem indicativo-SSIDs de vários pacotes: se a partir de diferentes software ou hardware, eles precisam ser exclusivos. Note-se também este é somente para logins validated (usando uma senha válida). Se eles usam -1 (código de acesso inválido), os controlos não são feitos porque eles não podem injetar pacotes para APRS-IS (javAPRS é um bom exemplo de como usar o código de acesso -1 uma vez que é apenas recepção).

ct1ejc
Acácio


Post has attachment
O Paradigma Newn-N explicado - Versão em Inglês (tradução para português em breve)

http://sa7sky.net/newn-n-paradigm-english.html

Post has attachment
Mapa com a representação dos Digipeaters e Igates em Portugal Continental.

Podemos verificar que as zonas de interior têm pouca cobertura.

Os círculos PHG não são apresentados, pois muitos deles estão mal configurados e dão indicação errada da área de cobertura.
Photo

Recomendações para a configuração APRS - estações fixas e móveis.

1- RELAY, WIDE, TRACE, TRACEn-N e SS estão obsoletas; Evitar o seu uso.

2- Utilize WIDE2-2 nas estações fixas; Taxa de transmissão igual ou superior a 30 min. Afinal a estação fixa não se move e não precisa de anunciar a sua presença a intervalos curtos.

3- Use WIDE1-1,WIDE2-1 para estações móveis;
WIDE1-1,WIDE2-2 poderá ser utilizado em áreas de fraca cobertura.

4- Utilize o nome do digi a que se dirige, para comunicação ponto-a-ponto.


ATENÇÃO:

NUNCA use WIDE1-1 depois de qualquer outro PATH.

NUNCA use outra configuração diferente de WIDEn-N num balão ou aeronave, neste último caso, a legislação nacional não permite o uso de equipamentos de Amador a bordo das mesmas, sem autorização das autoridades competentes.

Post has attachment
Terminologia APRS

Os nomes originais são mantidos para facilitar a sua compreensão; A descrição é traduzida.
Esta lista é dinâmica e irá sendo actualizada/Traduzida.


Announcement - Uma mensagem APRS que é repetida várias vezes por hora, algumas vezes até durante dias;

APRS Data - Os dados que se seguem ao "APRS Data Type Identifier" no campo "AX.25 Information" e antecede a "APRS Data Extension".

APRS Data Extension - Uma extensão com valor de 7-byte ao "APRS Data". A "Data Extension" incluí uma das seguintes: Course/Speed - Wind Direction/Wind Speed - Station Power/Antenna Effective Height/Gain/Directivity - Pre-Calculated Radio Range - DF Signal Strength/Effective Antenna Height/Gain - Area Object Descriptor.

APRS Digipeater Path - O "PATH" (caminho) via repetidores com RELAY, WIDE e outros "ALIAS". Usado no formato in Mic-E.

APRS Data Type Identifier - O identificador de um único byte que especifica o tipo de informação APRS que é contida no campo "AX.25 Information".

Area Object - Um objecto gráfico definido pelo utilizador (círculo, elipse, triângulo, caixa e linha).

Base 91 - Base numérica para assegurar que valores numéricos são transmitidos como caractéres ASCII. Para obter a frase completa num valor numérico, o valor é dividido progressivamente por 91 e adiciona-se 0.33. Usado no formato comprimidos de lat/long e altitude.

Bulletin - Uma mensagem APRS que é repetida várias vezes por hora, por um período de poucas horas. Um "General Bulletin" é público. Um "Group Bulletin" é endereçado a um Grupo com nome (ex.: WX).

Bulletin Identifier - Um único digito 0–9 que identifica um "Bulletin" em particular.

Destination Address field - Um campo "AX.25 Destination Address", que pode conter um indicativo APRS de destino ou dados Mic-E.

DF Report - Relatório "Direction Finding" contendo azimute e alcance.

DGPS- Differential GPS. Usado para superar os erros de selectividade do sinal GPS.

Digipeater - Uma estação que repete pacotes AX.25. Uma corrente de até 8 digipeaters pode ser especificada (não aconselhável).

Digipeater Addresses Field - O campo AX.25 contendo de 0–8 indicativos ou "ALIAS" de digipeater(s).

DX Cluster - Um anfitrião de rede que colecciona e divulga relatórios de actividade DX.

ECHO - Um indicativo genérico para digipeater de APRS para operação em HF.

FCS - Frame Check Sequence. Uma sequencia de 16 bits que se segue ao campo "AX.25 Information", usado para verificar a integridade do pacote.

GATE - Uma interligação entre as redes APRS em HF e VHF. Usada primáriamente para retransmitir tráfego APRS de HF para a rede local em VHF.

GPS - Global Positioning System. Uma rede global de satélites que fornece os dados de lat/long e altitude da estação receptora.

IGate - Uma interligação entre as redes APRS em HF e ou  VHF através da Internet.

Information field - O campo AX.25 que contém informação APRS.

Knots - Internacionalmente contabiliza milhas náuticas por hora. 1 milha = 1852 m = 1,852 Km.

Maidenhead Locator - Identificador de 4 ou 6 caracteres (ou mais) que especifica a posição de acordo com a grelha.

Message - Uma mensagem de uma linha de texto, endereçada a uma estação em particular.

Message Group - Um grupo designado pelo utilizador, para receber mensagens.

Mic-E - Originalmente "Microphone Encoder", uma unidade que codifica a localização, rota, e velocidade, num pacote muito pequeno. A ser transmitido quando se larga o botão "PTT". O algoritmo de codificação Mic-E é agora utilizado noutros dispositivos (ex.: no PIC-E e nos rádios Kenwood TH-D7/TM-D700 e outros).

Net Cycle Time - Período de tempo que é necessário para obter o mapa completo da actividade APRS (valores típicos de 10,20 ou 30 min.), dependente do número de digipeaters utilizados e das condições locais. As estações não deverão transmitir posição ou estado mais frequentemente, a não ser que sejam móveis ou em resposta a um "Query".

NRQ - Number/Rate/Quality. Uma medida de confiança nos relatórios de DF (Direction Finding).

NWS - National Weather Service (Estados Unidos).

Object - Um objecto (ícone) visual, que geralmente não é uma estação. Exemplo: o simbolo de um repetidor de fonia, ou a localização de um evento, que não são emitidos por si, mas por oujtra estação.

PHG - Extensão de dados APRS especificando "Power, Effective Antenna Height/Gain/Directivity", Potência/Altura da Antena ao Solo/Ganho da Antena/Direccionalidade. (ver imagem explicativa).


Position Ambiguity - Redução da precisão da posição da estação. Implementada substituindo os últimos digitos das coordenadas por espaços. Usada quando a posição exacta não é conhecida.

Position Report - Um relatório contendo a posição lat/long, opcionalmente com marca de tempo e Data Extension.

Query - Pedido de informação. Os "Queries" podem ser endereçados a uma estação especifica ou a várias.

Range Circle - Alcance rádio (em milhas ou Kms) calculados a partir dos dados  PHG. É importante que estes estejam correctamente definidos.

RELAY - Indicativo APRS generico para um Digi VHF/UHF com cobertura limitada. Esta designação está obsoleta e foi substituida por WIDE1-1.

Source Address Field - O campo Source Address, contém o indicativo da estação de origem. Um SSID diferente de 0 (zero) apresenta um simbolo.

SSID - Secondary Station Identifier. Um número entre 0-15, adicionado ao campo "Source address". Ver ponto anterior. SSID's possiveis:
-0 simbolo primário para estação fixa, habitualmente com capacidade para mensagens;
-1 Estação genérica adicional, digi, móvel, wx, etc
-2 Estação genérica adicional, digi, móvel, wx, etc
-3 Estação genérica adicional, digi, móvel, wx, etc
-4 Estação genérica adicional, digi, móvel, wx, etc
-5 Outras redes (D-Star, 3/4G, Iphones, Androids, Blackberry's etc)
-6 Actividade especial, Operação via Satélite, local de acampamento, 6 metros, etc
-7 Portátil
-8 Barcos, Veleiros, Veículos de recreio ou o móvel secundário
-9 Móvel Principal (habitualmente com capacidade de mensagens)
-10 internet, Igates, echolink, winlink, AVRS, APRN, etc
-11 Aeronaves, balões de ar quente, naves espaciais, etc
-12 Dispositivos APRStt, DTMF, RFID, trackers* só de uma via , etc
-13 Estação Metereológica
-14 Camionistas ou em geral, condutores a tempo inteiro
-15 Estação genérica adicional, digi, móvel, wx, etc
* Trackers de uma só via apenas transmitem a posição e estado, sem possibilidade de outro tipo de comunicação

Status Report - Relatório onde se dá informação do estado e opcionalmente um locator Maidenhead (AA##bb).

Symbol - Símbolo. O ícoone que aparece no écrã do PC/rádio/tracker. Consiste de um par formado pelas tabelas* "Symbol Table Identifier"/"Symbol Code". Por exemplo: /$ representa um símbolo da Tabela primária e \$ um símbolo da Tabela Alternativa. **
**Tabelas em anexo

Symbol Table Identifier - Um código ASCII especificando a utilização da Primary Symbol Table (/) ou da Alternate Symbol Table (\).

Trace - Um "Query" APRS que questiona o percurso que um determinado pacote destinado a uma estação fez através da rede.

TRACE - Um indicativo genério para um digipeater que efectua substituição de indicativo. Estes digis auto-identificam os pacotes que repetem, inserindo o seu próprio indicativo no lugar de RELAY,WIDE ou TRACE. Este tipo de designação está Obsoleta.

Tracker - Unidade composta por um receptor de GPS receiver (para obter a localização geográfica actual) e um emissor para transmitir os pacotes de dados. Habitualmente sem capacidade de RX ou outras forma de comunicação.

UI-Frame - AX.25 Unnumbered Information frame. O protocolo APRS apenas utiliza tramas UI; Ou seja, as tramas (frames) não são numeradas e a rede funciona no modo desconectado (UNPROTO) não existe ligação entre as diferentes estações na rede..

UNPROTO Path - O caminho (PATH) do digipeater até ao indicativo de destino.

VTG Received Sentence - Frase NMEA, indicando a rota e velocidade da estação.

WIDE - Indicativo genérico para um digipeater com grande área de cobertura.

WIDEn-N - Indicativo genérico de um digi, com grande área de cobertura (N=0-7). À medida que um pacote passa por um digi, o valor de N é diminuido de 1 até chegar a 0.  O digi mantém um registo de cada pacote (ou do seu FCS) e não repete o mesmo pacote se ele foi repetido nos últimos 28s.

WX - Meteorologia ou Estação Meteorológica.
PhotoPhotoPhoto
APRS - Tabelas; PHG;
3 Photos - View album
Wait while more posts are being loaded