sondas
Andas ao sol, em chuva plena e
Cristalizada. Refletidas,
As nuvens desinibidas
Vem revelar coxas azuis e
Delicadas; céu que entardece
Na cama dos meus olhos

Paz?


Talvez, quem sabe, o pouco
Desfaça o oco voraz
Das falsas vontades.
Wait while more posts are being loaded