Em nome de Deus, O Clemente, O Misericordioso, e que a Paz e bênçãos de Deus estejam com o profeta Muhammad e seus familiares e companheiros e seguidores, e sobre todo o resto de profetas e mensageiros.
Vamos falar hoje sobre 3 tipos de pessoas que Deus não gosta. O Primeiro são aqueles que seguem os sussurros do satanás desobedecendo Deus, o segundo são aqueles arrogantes e injustos, o terceiro tipo das pessoas são aqueles que procuram Deus apenas por necessidade.
Os primeiros são aqueles que acreditam em Deus, mas mesmo assim menosprezam o valor dos ensinamentos e preceitos que Deus nos revelou. Eles obedecem às suas vontades e não dão prioridade para a palavra de Deus.
Os segundos são aqueles que se orgulham da sua renda e zombam das pessoas mais simples. O Islam nos ensinou a ajudar os outros e dividir o que temos com os outros. 
A riqueza é um teste de Deus para ver como agirmos com dinheiro na mão, se realmente vamos agradecer a Deus e ajudar os outros, ou vamos ser arrogantes e esquecer que nosso Sustentador é Deus, e graças a Ele temos tudo isso! 
Esse tipo de pessoas um dia Deus humilhará elas da mesma forma que humilham as outras!
Os terceiros são aqueles hipócritas. Quando estão doentes ou com necessidade material ficam rezando e chorando implorando a Deus ajuda, e assim que Deus atende os seus pedidos renegam a fé de novo e voltam para cometer os mesmos erros do passado! 
Temos que adorar a Deus do fundo coração por amor. Ele que nos criou de nada para nos ver felizes... Ele nos ama, nos sustenta, nos perdoa e atende todas as nossas súplicas!
No final peço a Deus que nos livre dessas características e nos torne muçulmanos verdadeiros com fé completa sem falsidades, Amém

Durante a sua vida, o Profeta Muhammad enfatizava a natureza especial e sagrada do mês de Ramadan, e a importância do jejum. Abu Huraira relatou que o Mensageiro de Deus dizia: “Quando Ramadan começa, os portões do Inferno ficam trancados, e os demônios nele acorrentados.” (Bukhari e Muslim)

Uma bênção adicional que Ramadan encerra é a Noite do Decreto, a noite em que o Alcorão foi revelado ao Profeta Mohammad. Acredita-se que essa noite seja um dos dez últimos dias ímpares de Ramadan. Ela é brevemente mencionada na Surata Al Kadr (O Decreto). Ela poderá ser traduzida como se segue: “ Sabei que o revelamos (o Alcorão), na Noite do Decreto. E o que te fará entender o que é a Noite do Decreto? A Noite do Decreto é melhor do que mil meses. Nela descem os anjos e o Espírito (Anjo Gabriel), com a anuência do seu Senhor, para executar todas as Suas ordens. (Ela) é paz, até ao romper da aurora!” (Alcorão Sagrado, Surata 97)

Bem Vindos ao Mês Sagrado de Ramadan

“O mês de Ramadan foi o mês em que foi revelado o Alcorão – orientação para a humanidade e evidência de orientação e de discernimento. Por conseguinte, quem de vós presenciar o novilúnio desse mês deverá jejuar; porém, quem se achar enfermo ou em viagem jejuará, depois, o mesmo número de dias. Deus vos deseja a comodidade e não a dificuldade, mas cumpri o número (de dias), e glorificai a Deus por ter-vos orientado, a fim de que Lhe agradeçais.” (2:183-185)

Post has attachment
PhotoPhotoPhotoPhotoPhoto
2015-04-03
5 Photos - View album

O que é Halal?

Deus, o Altíssimo, disse no Alcorão Sagrado, capítulo 2, versículo 172:alimentos “Ó fiéis, desfrutai de todo o bem com que vos agraciamos e agradecei a Deus, e só a Ele adorais”

Na medida em que o alimento pode influenciar a  alma, comportamento, saúde moral e física do ser humano, como já foi comprovado por estudos científicos recentes, o Islam tornou obrigatório que o mesmo se preocupe em conhecer a origem daquilo que consome, isto é, saber  se seu alimento é lícito e puro. Como um dos exemplos temos o mandamento divino que estabelece que todas as bebidas alcoólicas e drogas sãoilícitas devido aos danos, corrupções e riscos que trazem aos indivíduos, família e sociedade.

Por seguinte, o Islam nos ordena que verifiquemos se aquilo que consumimos está em conformidade com a jurisprudência islâmica ou não. Tudo que está em conformidade é denominado de   “Alimentos  Halal”, o oposto do que são os Alimentos  Haram”,  ou  seja,  ítens  de  consumo ilícito de acordo com a jurisprudência islâmica.

SHARIA (LEI ISLÂMICA) NA EUROPA HOJE

Quando você estuda o Islão na Europa hoje, você está vendo os Estados Unidos daqui a 20 anos (Nota do Tradutor - NDT. E possívelmente o Brasil algumas décadas mais tarde). Porque? As ações dos muçulmanos na Europa estão baseadas na Sharia, a mesma Sharia que está começando a ser implementada nos Estados Unidos hoje.
Existem vezes quando o tráfego não pode se mover nas ruas de Londres pois muçulmanos controlam as ruas para nelas rezar – um resultado político baseado na Sharia.
Existem areas da Europa que são zonas proibidas (no-go zones) para não-muçulmanos, incluindo a polícia. Essas áreas são enclaves islâmicos onde apenas muçulmanos vivem. Esta regra de muçulmanos-apenas é baseada na Sharia.
Na Inglaterra, um Bispo Anglicano pediu para que a Lei Islâmica (Sharia) seja a regra para os muçulmanos. Este Bispo está obedecendo a Sharia.
Existem escolas onde apenas textos aprovados pelo Islão podem ser usados. Isto é baseado na Sharia.
Cristãos não podem falar com muçulmanos sobre cristianismo nem mesmo doar literatura cristã. Isto é o resultado político baseado na Lei Islâmica sendo forçada pelas cortes britânicas.
Estupro cometido por muçulmanos é tão prevalente em partes da Suécia  que a polícia foi proibida de coletar dados relativos a investigações que possam apontar contra o Islão. Estupro é parte da doutrina Islâmica, como aplicada para as mulheres não-muçulmanas.
Em Londres, demonstrações em massa de muçulmanos pedem pelo fim da lei britânica e para que a Lei Islâmica passe a regular a vida de todos, independente da religião. Esta ação política é baseada na Sharia.
Em alguns hospitais, durante o jejum do Ramadã (um evento religioso islâmico), não-muçulmanos não podem comer na frente dos muçulmanos. A submissão de não-muçulmanos para preferências islâmicas é baseada na Lei Islâmica.
Em hospitais britânicos, mulheres muçulmanas são tratadas apenas como a Lei Islâmica requer.
SHARIA (LEI ISLÂMICA) NOS ESTADOS UNIDOS HOJE        

Abaixo são apresentados alguns eventos históricos correntes nos Estados Unidos que se alinham de acordo à Lei Islâmica (Sharia).

Em 11 de setembro de 2001, jihadistas atacaram e destuiram os prédios do World Trade Center, em Nova York. Esta atrocidade estava em cumprimento à doutrina da jihad encontrada na Lei Islâmica (Sharia). O ataque foi uma ação politicamente motivada por um mandato religioso em prol de uma jihad sem fim.
Livros-texto nos Estados Unidos precisam ser aprovados por conselhos islâmicos. Isto está de acordo com a lei Sharia.
Trabalhadores americanos e escolas encontram demandas por tempo e espaço para as orações islâmicas. Essas demandas estão baseadas na Sharia.
O sistema bancário dos EUA está sendo Islamizado com a Sharia Financeira. O sistema bancário está ser tornando complacente à Sharia em termos de lei financeira, porém totalmente ignorante sobre a totalidade da Lei Islâmica.
Universidades recebem pedidos para proverem piscinas e outras salas onde exista segregação entre os sexos para as mulheres muçulmanas.
Hospitais são processados por não proverem tratamentos complacentes à Sharia.
Nenhum curso universitário usa de pensamento crítico ao lidar com a história da doutrina do Islão. Segundo a Sharia, nada sobre o Islão pode ser criticado.
Caridades Islâmicas fazem contribuições para os jihadistas (terroristas islâmicos) conforme prescrito na Lei Islâmica.
Salas para a lavagem dos pés antes das rezas islâmicas estão sendo instaladas nos aeroportos, obras pagas pelos contribuintes americanos. Isto é de acordo com a Lei Islâmica.
As prisões americanas tornaram-se um reduto usado para conversão de detentos para o Islão.
Os locais de trabalho tem se tornado em locais de culto islâmico através de salas especiais e tempo para as orações. Isto de acordo com a Sharia.
Refugiados islâmicos trazem suas esposas para bem-estar social e tratamento nos EUA. As autoridades americanas não reagem nem mesmo quando evidências lhes são apresentadas. Poligamia é Sharia pura.
Os EUA estao lutando duas guerras no Afeganistão e no Iraque para implementar constituições onde o seu artigo primeiro declara a supremacia da Lei Islâmica.

O ABATE ISLÂMICO 



Dabh (sacrifício ritual) é o modo ordenado para o abate dos animais lícitos (puros) (o gado, os ovinos, caprinos, camelídeos, aves) seja para o consumo apenas ou em cumprimento de algum sacrifício relacionado aos Eids. As regras básicas do modo correto de abate islâmico são: 

O animal a ser abatido em qualquer dos casos deve ser saudável. 

No caso específico de um sacrifício (qurbani) de Eid Al Adha ou pelo nascimento de uma criança (Aqiqa) o animal deve ser sem defeito . 

Deve-se alimentar e dar água ao animal, todo tipo de maltrato deve ser evitado. 

O objeto a ser utilizado no abate deve estar previamente afiado de modo que se tenha certeza que o corte será executado corretamente. 

O animal deve estar direcionado a quiblah 

O abatedor então profere o Takbir “BISMILLAHI ALLAHU AKBAR” e então secciona com um único golpe a jugular e a traquéia ao mesmo tempo para que o fluxo sanguíneo saia completamente. 

No caso de caça em que se utiliza animais treinados para tal, o caçador deve pronunciar o Takbir no momento em que solta o predador sobre o animal a ser caçado. 

Evidencia o Alcorão: “FORAM PERMITIDAS A VÓS TODAS AS COISAS SADIAS, BEM COMO TUDO O QUE AS AVES DE RAPINA E OS CÃES POR VÓS ADESTRADOS, CONFORME O QUE DEUS ENSINOU, CAÇAREM PARA VÓS. COMEI DO QUE TIVEREM APANHADO PARA VÓS E INVOCAI SOBRE ISSO O NOME DE DEUS ....”(5: 4) 

PORQUE NÓS PRECISAMOS CONHECER A SHARIA? 

Os estudiosos e doutores do Islão afirmam: a lei islâmica é perfeita, universal e eternal. As leis dos EUA são temporárias, limitadas e passarão. É o dever de qualquer muçulmano obedecer as leis de Alá, a Sharia. As leis dos EUA (NDT. bem como as leis do Brasil) são feitas pelo Homen; enquanto que a Sharia é uma lei sagrada vinda do único deus legítimo: Alá.

SHARIA: A Sharia está baseada nos princípios encontrados no Alcorão e outros livros político-religiosos. Não existem princípios comuns entre a lei dos EUA (NDT. ou a lei brasileira) e a Sharia. 

Sob a Sharia: 

• Não existe liberdade de religião.
• Não existe liberdade de expressão.
• Não existe liberdade de pensamento.
• Não existe liberdade de expressão artística.
• Não existe liberdade de imprensa.
• Não existe igualdade entre as pessoas – um não-muçulmano, um kafir, nunca é igual a um muçulmano
• Não existe igual proteção sob a Sharia para classes diferentes de pessoas. A Justiça é dualista, com um conjunto de leis para os muçulmanos homens e outro conjunto de leis para mulheres e não-muçulmanos.
• Não existem direitos iguais para as mulheres.
• Mulheres podem apanhar.
• Um não-muçulmano não pode possuir armas.
• Não existe democracia, pois democracia significa que um não-muçulmano é igual a um muçulmano.
• A nossa constituição, feita pelo Homen, é um documento de ignorancia, Jahiliyah, que deve se submeter à Sharia.
• Não-muçulmanos são dhimmis, cidadãos de terceira classe.
• Todos os governos devem ser governados pela Sharia.
• Ao contrário da lei comum, Sharia não é interpretativa, nem pode ser alterada.
• Não existe “Regra de Outro”  (NT: “Trate os outros como você trata a sí mesmo”).

A SOLUÇÃO

Este livro usa uma abordagem para conhecimento baseado em fatos, usando um pensamento analítico ou critico. Quando voce terminar de ler, voce vai saber o que é a Lei Islâmica (Sharia). Mais importante, voce vai saber o embasamento da Sharia. Você irá alcançar uma compreensao sobre o Islão que a maioria no Ocidente não possui. O Islão vai começar a fazer sentido. 

AS TRÊS VISÕES DO ISLÃO

Existem três pontos de vista com respeito ao Islão. O ponto de vista depende do que você pensa sobre Maomé. Se voce acredita que Maomé é o profeta de Alá, então voce é um crente. Se voce não acredita nisto, voce é um descrente. O terceiro é o de um apologista para o Islão. Apologistas não acreditam que Maomé foi um profeta mas são tolerantes para o Islão mesmo sem terem conhecimento sobre o Islão. 

Aqui vai um exemplo sobre estas três visões sobre o Islão: 

Em Medina, Maomé sentou-se o dia inteiro ao lado da sua esposa de 12 anos enquanto assistia as cabeças de 800 judeus serem removidas pela espada. [1]

As cabeças dos judeus foram cortadas porque eles haviam dito que Maomé não era o profeta de Alá. Os muçulmanos vêm essas mortes como necessárias porque negar a missão profética de Maomé era, e ainda é, uma ofensa contra o Islão. Eles foram decapitados porque decapitação é sancionada por Alá. 

Descrentes vêm este evento como uma prova da violência “jihádica” do Islão e como um ato mal.      

Apologistas dizem que este foi um evento histórico; que todas as culturas tiveram violência no seu passado e que nenhum julgamento deve ser feito. Eles nunca leram nenhum dos livros fundacionais do Islão, mas falam sobre o Islão com autoridade. 

De acordo com os diferentes pontos de vista, a morte dos 800 judeus foi: 

• Uma tragédia.
• Um ato perfeito e sagrado. 
• Um outro evento histórico. Nós fizemos pior. 

Não existe uma visão “correta” do Islão, pois as visões não podem ser reconciliadas. 

Este livro foi escrito por um ponto de vista dos descrentes. Tudo neste livro vê o Islão sob a perspectiva de como o Islão afeta os não-muçulmanos. Isto significa que a religião do Islão é de pouca importância. Um muçulmano vai se preocupar com a religião do Islão, mas todos os descrentes são afetados pelas visões políticas do Islão.  

Este livro discute o Islão como um sistema politico. Ele não discute os muçulmanos ou a sua religião. Muçulmanos são pessoas e variam de uma região para outra.  Religião é o que uma pessoa faz para ir para o paraíso e evitar o inferno. Não é útil e nem necessário discutir o Islão como uma religião. 

Nós precisamos conversar sobre o Islão no campo politico, por que ele é um sistema politico poderoso. 


[1] A vida de Maomé, do inglês The   Life   of   Muhammad, escrito por Ishaq e traduzido por A. Guillaume,   Oxford   University   Press, 1982, página 464. (NDT. Este livro é a Sira de Ishaq)                        


CAPÍTULO 2

O QUE É SHARIA?

Sharia é a Lei Islâmica. Sharia é a base para todas as demandas feitas pelos muçulmanos na nossa sociedade. 

•   Quando muçulmanos pedem que as escolas tenham uma sala para a reza islâmica, eles estão pedindo pela implementação da Sharia. 
•   Quando uma muçulmana usa o véu islâmico, ela está em obediência a Sharia. 
•   Quando os nossos jornais não publicam as charges de Maomé feitas na Dinamarca, nossos jornais estão se submetendo às demandas da Sharia. 
•   Quando demandas são feitas para os nossos hospitais tratarem as mulheres muçulmanas de modo diferente, isto é Sharia.
•   Quando nossos livros-textos têm que serem inspecionados por organizações muçulmanas antes de serem usados nas escolas, isto está de acordo com a Sharia. 

"Acredite em Allah, mas amarre seu camelo."
اعقلها وتوكل
"Só se atiram pedras em árvores carregadas de frutas."
"Uma só mão não pode aplaudir."
يد واحدة لا تصفق
"Na árvore do silêncio está o fruto da segurança."
"Deixa o teu coração seguir à tua frente e procura alcançá-lo."
"Os cães ladram, e a caravana passa."
الكلاب تعوي والقافلة تسير
"Há cinco degraus para se alcançar a sabedoria: calar, ouvir, lembrar, agir, estudar."
Wait while more posts are being loaded