Post has attachment
Força de Defesa de Israel abate UAV com míssil Patriot

Um míssil Patriot do sistema de defesa aérea de Israel derrubou um UAV que entrou no espaço aéreo no meio da noite.

Na terça-feira (19), soldados da defesa aérea da Força Aérea de Israel (IAF) interceptaram e abateram com um míssil Patriot uma aeronave não-tripulada (UAV), que aparentemente pertence à Organização Terrorista do Hezbollah.
O veículo aéreo não-tripulado entrou no espaço aéreo israelense por volta da 1h30 da madrugada, sobre as Colinas de Golan. De acordo com a inteligência da Força de Defesa de Israel (IDF), o UAV fabricado pelo Irã foi operado pelo Hezbollah e havia decolado do Aeroporto Militar de Damasco.
O UAV estava sendo usado para uma missão de reconhecimento ao longo da fronteira e nas colinas de Golan. Quando foi observado que o UAV atravessou a linha Bravo na zona desmilitarizada entre Israel e a Síria, a IDF decidiu interceptá-lo.
O UAV foi derrubado com um único míssil Patriot, que foi disparado pelas forças de defesa aérea da IAF.
“Nossa mensagem é que a IDF não permitirá qualquer violação da soberania israelense”, disse o porta-voz da IDF, coronel Jonathan Conricus, e não permitiremos que forças iranianas, do Hezbollah, da Jihad Islâmica ou milícias xiitas se aproximem das fronteiras de Israel.
“Vamos defender nossas fronteiras, e se forem feitas tais tentativas de violar nossa soberania, responderemos rapidamente”, acrescentou o coronel israelense.
Os membros da defesa aérea israelense estão preparados para operar 24 horas por dia, 365 dias por ano.
O Patriot, conhecido em hebraico como Yahalom (“diamante”), é utilizado com o Comando de Defesa Aérea desde 1991, quando o sistema foi levado a Israel para se defender dos ataques de mísseis SCUD lançados pelo Exército iraquiano de Saddam Hussein.

http://www.cavok.com.br/blog/forca-de-defesa-de-israel-abate-uav-com-missil-patriot/

Post has attachment
Inaugurada a primeira base militar dos EUA em Israel

A nova instalação, em um local não revelado no sul de Israel, será uma base permanente para as tropas dos EUA no país

Israel inaugurou na segunda-feira, com o seu aliado americana, uma base conjunta de defesa de mísseis em solo israelense, a primeiro, disse um oficial israelense da Força Aérea Israelense.
A nova instalação, em um local não revelado no sul de Israel, foi anunciada quando o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, estava a caminho para encontrar o presidente dos EUA, Donald Trump, em Nova York, à margem da Assembléia Geral da ONU.
“Nós inauguramos, com nossos parceiros do Exército dos Estados Unidos, uma base americana, pela primeira vez em Israel”, disse o general de brigada Tzvika Heimowitz, chefe das defesas de mísseis israelenses, aos jornalistas.
“Uma bandeira americana está tremulando permanentemente sobre uma base do Exército dos EUA situada dentro de uma das nossas bases”.
Heimowitz disse que o movimento não foi uma resposta direta a qualquer incidente específico ou ameaça imediata, mas foi uma combinação de “lições aprendidas” na guerra de 2014 em Gaza e análise de inteligência de perigos futuros.
“Temos muitos inimigos ao nosso redor, perto e longe”, disse ele.
O chefe da Força Aérea de Israel, em novembro, alertou os vizinhos sobre o poder militar “inimaginável” à disposição do país.
Em 7 de setembro, o Exército da Síria acusou que aviões de guerra israelenses atingiram um dos seus posições, matando duas pessoas em um ataque que um monitor disse que visava uma instalação onde o regime supostamente produz armas químicas.
Israel, sem confirmar que esteve por trás do ataque, advertiu indiretamente a Síria e ao Irã que não toleraria nenhum “corredor xiita de Teerã a Damasco”.
Israel acusa o Irã de construir instalações para produzir “mísseis guiados de precisão” na Síria e no Líbano e Netanyahu deve reiterar o ponto em suas conversas com Trump.
O país comprou 50 caças furtivos F-35 dos Estados Unidos.
Israel tem um sofisticado sistema de defesa antimíssil, incluindo o interceptor de curto alcance Iron Dome que conseguiu derrubar foguetes disparados da Síria, do Líbano, da região do Sinai sem lei do Egito e da Faixa de Gaza.
Ele também possui o sistema de defesa de mísseis David’s Sling e Arrow de médio alcance, projetado para combater ameaças mais distantes.
Heimowitz não comentou o papel específico da nova base conjunta, mas disse que as “poucas dúzias” de pessoal dos EUA estarão sob comando israelense.
“Isso não faz parte de um exercício ou manobra”, disse ele. “É uma presença como parte do esforço conjunto de Israel e dos EUA para melhorar a defesa”.

http://www.forte.jor.br/2017/09/19/inaugurada-primeira-base-militar-dos-eua-em-israel/

Post has attachment

Post has attachment
Mais dois caças F-35I chegam em Israel

Dois novos caças F-35I ‘Adir” chegaram (no dia 14) na Base Aérea de Nevatim, Israel, totalizando até o momento 7 caças do tipo entregues para IDF.

Dois novos aviões de combate F-35I “Adir” decolaram dos EUA na manhã da quarta-feira e chegaram hoje em Israel, sendo esses o sexto e o sétimo aviões entregues, como parte dos dois pedidos que totalizam 50 caças furtivos que Israel comprou dos EUA para melhorar as capacidades de sua força aérea.
Os dois novos aviões, chamados de “Adir”, pousaram na Base Aérea de Nevatim nesta quinta-feira, uma semana e meia depois do que originalmente programado, se juntando aos cinco já entregues, se aproximando ainda mais da Capacidade Operacional Inicial (IOC).
“Hoje, o estado de Israel recebeu mais duas aeronaves F-35I. A IAF continua a avançar, melhorar e desenvolver suas capacidades. A chegada das duas aeronaves adicionais nos permitirá tornar-se operacionais de acordo com o plano”, disse o Brigadeiro Gen Eyal Grinboim, comandante da Base Aérea de Nevatim na cerimônia após o pouso.
No final do mês passado, a Força de Defesa de Israel (IDF) anunciou que a chegada dos aviões seria adiada após uma questão técnica encontrada em outra versão da aeronave.
De acordo com oficiais militares, o F-35 deverá ser liberado para uso operacional completo até o final deste ano. O Esquadrão “Golden Eagle” da Base Aérea de Nevatim planeja ter nove caças “Adir” (F-35I) até o final de 2017, com uma inspeção do IOC prevista para dezembro.
“Os resultados do esquadrão são surpreendentes, estamos crescendo lentamente a um ritmo natural e desejo que continuemos a fazê-lo. Que possamos aproveitar nossa criatividade e alcançar a capacidade operacional em breve”, acrescentou o tenente-coronel Yotam, comandante do esquadrão “Golden Eagle” que opera os novos caças e que vem trabalhando na integração dos novos caças furtivos nos últimos nove meses.
“Em oposição às aeronaves anteriores, o ‘Adir’ ainda está em desenvolvimento. As versões dos programa anteriores de aeronaves foram constantemente desenvolvidas, mas com o ‘Adir’ os desenvolvimentos não são feitos apenas para os blocos do programa, mas para os sistemas fundamentais também. O processo de desenvolvimento do F-35 é totalmente diferente de qualquer outro”.
Israel foi o primeiro país além dos Estados Unidos a receber o F-35, e defendeu as aeronaves avançadas diante das críticas sobre um processo de produção lento, preço elevado e numerosos contratempos ao longo dos anos.
Em agosto, Israel finalizou seu acordo para comprar 17 caças avançados F-35 da Lockheed Martin, que elevará a frota da aeronave furtiva para 50.
Israel está atualmente em posse de cinco caças furtivos F-35I, e a força aérea do país está programada para receber os 45 restantes em pequenos lotes nos próximos anos.
O processo complexo de integração incluiu uma série intrincada de testes, entre eles o reabastecimento aéreo e lançamento de munições. “É um processo longo, e é fundamentalmente diferente da forma como integramos aeronaves no passado, como o ‘Sufa’ (F-16I), ‘Baz’ (F-15) ou ‘Kurnas’ (F-4 Phantom)”, explicou o tenente coronel Yotam.
A encomenda inicial de 33 jatos F-35 deverá ser completamente entregue até 2021. O novo lote de 17 aviões está previsto para chegar até dezembro de 2024, disse o Ministério da Defesa.
Israel recebe mais de US$ 3 bilhões por ano dos EUA em ajuda militar, e no início deste ano, os dois países concordaram em um novo pacote de ajuda que verá Israel receber US$ 3,8 bilhões anualmente até 2028, cuja grande maioria deve ser usada nas compras de empresas de defesa norte-americanas.

http://www.cavok.com.br/blog/imagens-mais-dois-cacas-f-35i-chegam-em-israel/

Post has attachment
Exército diz que Israel bombardeou instalação militar na Síria

O Exército da Síria denunciou nesta quinta-feira que aviões israelenses lançaram mísseis a partir do espaço aéreo libanês, que atingiram uma infraestrutura militar localizada na província central de Hama, causando a morte de duas pessoas.
A agência oficial de notícias sírias, "SANA", informou que os aviões "inimigos" de Israel lançaram esta madrugada "vários mísseis" contra uma posição militar localizada perto de Masiaf, no sudoeste de Hama, segundo um comunicado do Comando das Forças Armadas síria.
Além da morte de dois "elementos", o ataque também causou danos materiais na instalação militar, afirmou a fonte.
O exército advertiu sobre as consequências "perigosas destes atos violentos sobre a segurança e estabilidade da região ".
A nota diz que este ato insiste no "apoio direto de Israel ao Estado Islâmico e a outras organizações terroristas"
A fonte acrescentou que esta agressão aconteceu em "uma tentativa desesperada" de "elevar a moral dos grupos da organização terrorista EI, que está entrando em colapso após as vitórias conseguidas pelo exército sírio árabe contra o terrorismo".
Por último, as Forças Armadas argumentaram que não importa de onde venha o apoio, já que eliminarão "o terrorismo de todo o território" sírio.
No final de junho, início de julho, Israel bombardeou posições sírias, em resposta a tiros de mísseis sírios que caíram no norte das Colinas de Golã, ocupadas por Israel desde 1967.

https://www.efe.com/efe/espana/mundo/al-menos-dos-soldados-muertos-por-bombardeo-israeli-contra-una-posicion-siria/10001-3306760

Post has attachment
Na Rússia, Israel mostra preocupação com a influência do Irã na Síria

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, reuniu-se nesta quarta-feira (23) com o presidente russo, Vladimir Putin. No centro das discussões, a situação na Síria. A presença militar iraniana no país vizinho preocupa as autoridades israelenses.
O general israelense Amir Eshel fez, no dia 16 de agosto de 2017, uma rara confidência pública sobre ataques de seu país à Síria. "Desde 2012, eu falo de dezenas e dezenas de ataques" e mesmo "uma cifra de três dígitos", disse o alto funcionário ao elogiar a Força Aérea Israelense.
Nunca tal cifra havia sido citada ou sugerida, embora o primeiro-ministro israelense já tenha reconhecido ataques em território sírio. Os alvos desses ataques são principalmente os comboios com armas iranianas para o grupo libanês Hezbollah.
Inimigo de Israel, o Hezbollah luta na Síria ao lado das forças iranianas para apoiar o regime de Damasco.
Daí a importância crucial para Israel de dialogar com a Rússia, outro aliado do poder de Assad, mas com quem Israel mantem um diálogo político.

Netanyahu acusa o Irã

Recebido por Vladimir Putin, Benyamin Netanyahu disse: “Onde o grupo Estado Islâmico, derrotado, desaparece, o Irã marca posição” e qualificou este último como “uma ameaça para Israel, para o Oriente Médio e para o mundo”.
O primeiro-ministro de Israel acredita que "o Irã fez grandes esforços para fortalecer sua presença na Síria." Ele acusa a República Islâmica de "armar as organizações terroristas e de patrocinar e incentivar o terrorismo".
O líder israelense aponta especialmente as "áreas de escalonamento" que estão tomando forma na Síria, por iniciativa da Rússia, que segundo ele são propícias ??à instalação do Irã e de seus aliados.
Desde o início da guerra na Síria, em 2011, Israel acompanha com grande atenção os desdobramentos de seu vizinho. Em julho, Benyamin Netanyahu expressou oposição a uma trégua iniciada pelos EUA e pela Rússia no sul da Síria, suspeita, de acordo com uma autoridade israelense, de fortalecer a presença do Irã.

http://br.rfi.fr/mundo/20170823-na-russia-israel-mostra-preocupacao-com-influencia-do-ira-na-siria

Post has attachment

Post has attachment
Força Aérea de Israel conclui todos testes com o Hermes 900

Força Aérea de Israel finaliza testes do UAV Hermes 900 e está próximo de declara a capacidade operacional plena.
Uma série de testes de integração realizada no UAV Hermes 900 “Kochav” da Força Aérea Israelense (IAF) foi concluída com sucesso, e em breve o modelo será declarado operacional. Os testes foram conduzidos pelo Esquadrão de Teste de Voo da IAF e incluíram um exame de todos os sistemas e capacidades da aeronave.
Três anos após o decolagem para a sua primeira missão operacional, no auge da Operação “Protective Edge”, o UAV Hermes 900 será declarado operacional. Após a sua integração, o “Kochav” foi declarado temporariamente operacional e o anúncio oficial de sua capacidade operacional total será feito em breve, após meses de testes realizados pelo Esquadrão de Teste de Voos que foram concluídos com sucesso.
A série abrangente de testes foi realizada no esquadrão de UAVs na Base Aérea de Palmahim, que opera a plataforma entre outros meios, e incluiu uma avaliação de todos os sistemas e capacidades da aeronave.
O objetivo dos testes de integração foi examinar a plataforma e testar sua qualificação para os requisitos operacionais da IAF. “No passado, esse processo foi realizado em todas as plataformas, além dos não tripulados. O ‘Kochav’ é o primeiro UAV cuja série de testes completa foi realizada pelo Esquadrão de Teste de Voos”, disse o Major Eran, o Operador de teste de voo do esquadrão. “Até o ‘Kochav’, os UAVs começaram o serviço operacional imediatamente após a conclusão dos testes do fabricante ou foram submetidos a um teste de integração mínimo, após o qual os esquadrões operacionais os integrariam em um longo processo de assimilação”.
Enquanto os testes foram realizados, o esquadrão gradualmente recebeu a capacidade de voar o “Kochav”. Ou seja, cada capacidade testada e aprovada para uso pelo esquadrão foi encaminhada para o esquadrão operacional para voos de avaliação que qualificaram os operadores para executar várias missões antes de declarar a plataforma operacional.
“Porque há muitas capacidades e os níveis de risco aumentam de acordo, estamos conduzindo um processo gradual de gerenciamento de riscos no qual primeiro testamos as capacidades básicas e, mais tarde, as missões complexas. Simultaneamente, o esquadrão se torna qualificado. Este método torna o processo de assimilação e treinamento muito mais confortável e simples. Em vez de ter o esquadrão aguardando a conclusão dos testes de integração, o desenvolvimento e os canais operacionais funcionam simultaneamente”.
A série de testes incluiu mais de vinte períodos, tendo em mente que cada saída do “Kochav” pode durar longas horas e incluir testes de vários sistemas. Os testes examinaram todos os aspectos do “Kochav” – das capacidades de voo mais básicas, através da qualidade de pilotagem, até os testes de todas as missões que a aeronave é capaz de realizar e as combinações dos três.
Os testes de integração podem ter sido geridos pelo esquadrão de teste de voo, mas, ao contrário de outras plataformas, foram conduzidos a partir do esquadrão operacional na Base Aérea de Palmahim. “Quando eu tenho que examinar um determinado sistema, eu uso o avião do esquadrão, sou ajudado por uma equipe do esquadrão e entro na estação da missão”, explicou o major Eran. “O Esquadrão de Teste de Voos leva o sistema ao seu extremo e executa missões que as operadoras no esquadrão provavelmente não realizarão rotineiramente. No entanto, as operadoras do esquadrão têm mais horas de voo no ‘Kochav’ e podem notar certos detalhes que não foram refletidos nos exames de teste que realizamos. Eles compartilham esses problemas com a gente, e os examinamos no próximo teste”.
“O ‘Kochav’ tornando-se operacional será um salto considerável para a divisão de UAVs”, afirmou o major Eran. “O ‘Kochav’ tem uma ampla gama de capacidades que nos permitirão ir mais alto, mais longe e mais rápido”.
O “Kochav” tem uma capacidade de carga elevada e é construído para transportar cargas úteis em vários locais nas suas asas. Sua capacidade de resistência permite o desempenho de missões muito longas em intervalos longos. “Podemos ter completado os testes de integração, mas o processo de aprendizagem e desenvolvimento está longe de estar acabado”, enfatizou.

http://www.cavok.com.br/blog/forca-aerea-de-israel-conclui-todos-testes-com-o-hermes-900/

Post has attachment
ISRAEL: Potencial aquisição de caças F-35B se torna prioridade

As novas ameaças enfrentadas por Israel colocaram a potencial aquisição de caças Lockheed Martin F-35B Lightning II, variante de pouso e decolagem curto ou vertical (STOVL), como uma alta prioridade.
Estão em curso discussões, com o ministério de defesa de Israel na expectativa de chegar a uma decisão antes de um novo acordo de 10 anos de financiamento militar estrangeiro com os EUA entrar em vigor em 2019.
As entregas de caças F-35I Adir, de pouso e decolagem convencional, para a força aérea israelense continuam, com o serviço tendo até o momento encomendado 50 unidades do jato.
O requisito inicial de Israel era de 75 caças F-35 e a necessidade de substituir os antigos caças Boeing F-15 Eagle – cujo a unidade mais antiga foi entregue em 1976 – está se tornando uma questão de alta prioridade.
Fontes indicam que a força aérea israelense terá que escolher entre obter F-35 adicionais – potencialmente variantes F-35B – ou uma versão avançada do F-15.

http://www.cavok.com.br/blog/israel-potencial-aquisicao-de-cacas-f-35b-se-torna-prioridade/

Post has attachment
Exercise Juniper Falcon in May 2017 in Israel.

Israeli Air Force F-15I "Ra'Am"; F-16C "Barak" and F-15C "Baz" in formation with US. Air Force F-15E Strike Eagle.

During this exercise the pilots trained against greek S-300 SAM systems. The same systems are based in Syria and Iran.

CS
Photo
Wait while more posts are being loaded