Post has attachment
21/02/17
Earthquake Information by Region
Seismicity of the Earth Maps 1900-2013
Click an outlined area on the map or a link below the map to see the map and report for that area.(M7+ )

World map
Download updated (1900-2013) full-size worldwide seismicity map [12.3MB PDF]

Seismicity of the Earth Open File Reports:
Earthquake Information by Region
http://earthquake.usgs.gov/earthquakes/byregion/
Photo

"Volcanoes do not move during tectonic movement" a datum for all geologists to study (gps to be placed in a non-active crater).

Soon, an event that will change the concepts of geology,

For all scientists especially geologists, is there a GPS installed in the crater of a volcano? .

Post has attachment

Post has attachment
Factos rápidos

Cordilheira dos Andes é uma vasta cadeia montanhosa formada por um sistema contínuo de montanhas ao longo da costa ocidental da América do Sul, sendo a formação geológica desta datada do período Terciário.
WikipédiaPaíses:Equador·
Chile·
Colômbia·
Peru·
Argentina·
Bolívia·
Venezuela

Ponto mais alto:Aconcágua

Área:3.370.794 km²
Photo

Post has attachment
O que é Sismologia:

Sismologia é um ramo da geofísica responsável em estudar os sismos, ou seja, terremotos e demais abalos de terra, as suas causas e consequências.
Um sismo (ou terremoto, como é popularmente conhecido) é um fenômeno natural, caracterizado por um forte tremor de terra causado pelo choque das placas tectônicas, atividades vulcânicas ou falhas geológicas.
O papel da sismologia é analisar esses fenômenos, procurando entender o que acontece no interior da crosta do planeta Terra.
Além do movimento das placas tectônicas, um dos eventos mais comuns que produzem as ondas sísmicas, a sismologia também estuda as consequências que as atividades vulcânicas podem provocar a nível de vibrações na terra.
Os tsunamis, ondas gigantes provocadas a partir de uma atividade sísmica abaixo do oceano, também está no grupo de análise dos sismólogos – profissionais de sismologia.
Os sismólogos utilizam equipamentos específicos para estudar os terremotos, como o sismógrafo, por exemplo. Estes equipamentos conseguem captar o tempo de chegada e as diferentes amplitudes das ondas sísmicas.
As estações sismológicas são centros equipados com profissionais e ferramentas necessárias para que seja possível prever o acontecimento dos terremotos, tendo em conta a análise prévia dos distúrbios geofísicos verificados.
O avanço nos estudos da sismologia é essencial para salvar milhares de vidas que, drasticamente, se perdem todos os anos devido aos grandes estragos provocados pelos abalos sísmicos.
Photo

Post has attachment
A Placa de Nazca é uma placa tectônica situada à esquerda da América do Sul, ao lado dos Andes. Estes próprios formaram-se quando um ocorreu um choque entre Nazca e a Placa Sul-americana. Tem uma área de 15,6 milhões de quilômetros quadrados.[1]

O nome Nazca vem da cidade inca. O seu choque com a Placa Sul-Americana originou a Cordilheira dos Andes.
Photo
Photo
19/01/16
2 Photos - View album

Post has attachment
Movimento das placas tectônicas

As placas tectônicas estão em contínua renovação: criando-se pelo acréscimo de material magmático nas dorsais oceâ­nicas, migrando lateralmente e se destruindo nas zonas de subduccão.

Assim, elas se inter-relacionam de várias formas: separando-se, chocando-se ou deslizando lateralmente. Como consequência desse movimento relativo entre elas, produzem-se três tipos de bordas ou limites. Em cada tipo de limite desenvolvem-se processos geológicos característicos:

a) Nos limites divergentes as placas se separam, o que permite o afloramento do material da astenosfera e, com ele, a contínua criação da crosta oceânica, for­mando as dorsais.

b) Nos limites convergentes, uma placa se introduz por baixo de outra e, com isso, destrói-se parte da litosfera oceânica ao fundir-se a placa com o manto, onde as temperaturas são muito elevadas. É assim que se formam as fossas oceânicas ligadas à subducção. Se as placas que se chocam são continentais, produz-se a co­lisão. As orogêneses resultam do confronto de duas placas em uma fronteira convergente.

c) Nos limites neutros ou em escorregamento (translação), as placas deslizam lateralmente sem se chocar nem destruir a litosfera, formando as falhas. Um exemplo é a falha de San Andréas, na Cali­fórnia.
Ao longo do tempo geológico, tem variado o número, forma, tamanho e situação das placas tectônicas. Isso se deve ao fato de seus limites poderem modificar-se quando res­pondem às forças originadas no manto subjacente.
Photo

Post has attachment
As placas mudam de tamanho e posição ao longo do tempo, movendo entre um e dez centímetros por ano - velocidade equivalente ao crescimento das unhas humanas.

O fundo do oceano está sendo constantemente modificado, com a criação de novas crostas feitas da lava expelida das profundezas da Terra e que se solidifica no contato com a água fria. Assim, as placas tectônicas se movem, gerando intensa atividade geológica em suas extremidades.

As atividades nestas zonas de divisa entre placas tectônicas são as mesmas que dão origem aos terremotos de grande magnitude.
Photo
Wait while more posts are being loaded