Maldito o dia em que nasci; não seja bendito o dia em que minha mãe me deu à luz. (Jeremias 20:14)

Sua existência não é o resultado do plano e do desejo de um casal de seres humanos falhos e imperfeitos.

Amaldiçoar o dia do seu nascimento (pensar: melhor se eu não tivesse existido) equivale a declarar que Deus errou ao nos trazer à existência.

Quem afirma que Deus erra deseja se colocar em uma posição de superioridade ao próprio Criador.

Você foi trazido da mente de um Criador vitorioso, que fez um projeto de vitória para cada filho; sua existência foi desejada por Deus.

Antes de criar um início para você, Deus já desenhou o desfecho de sucesso e de vitória para sua existência.

Você foi criado para ser um testemunho vivo de que Deus é perfeito e vitorioso.

Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea. (Marcos 10:6)

Por qual motivo nas olimpíadas homens e mulheres não disputam em um único grupo as competições, sem qualquer tipo de distinção sexual?

Você já ouviu alguma mulher falar com "voz de trovão", ou seja, com o timbre de voz natural aos homens.

Seria interessante se pudéssemos escolher nosso corpo e sexualidade, entretanto, fisiológica e biologicamente estamos vinculados e limitados pela nossa própria estrutura corpórea.

Não podemos escolher nada em relação à parte interna de nosso corpo, o livre arbítrio nos permite adotar atitude/posturas e a escolher comportamentos masculinos e femininos, mas não podemos escolher nossos órgãos interno, e as consequências naturais dai decorrentes.

Quando nascemos com um corpo, não temos a liberdade de escolhermos se os nossos hormônios serão masculinos ou femininos, não podemos escolher o timbre de nossa voz, não podemos escolher nossa força muscular (nosso corpo é o nosso limite).

Se você acredita em Deus, então você deve acreditar que Ele não errou com relação ao seu corpo, pois Deus é um ser perfeito.

Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite. (Lucas 24:7)

É muita humilhação ou, então, é muita humildade.

Você aguarda o cumprimento da promessa de um Messias que iria dominar o mundo.

Você sabe que aqui na Terra as coisa só funcionam "na base da força".

Aí aparece um Carpinteiro (incorruptível e grande em prodígios), morto como malfeitor numa ultrajante cruz e você tem que acreditar que Ele é o Filho de Deus.

O Reino de Deus foi projetado para que nele não entre nenhum arrogante, presunçoso ou orgulhoso.

Quando mais você alimenta pensamentos de grandeza temporal, mais você se inabilita para o Reino divino.

Seja humilde, pois essa é a forma de você poder ter o privilégio de olhar nos olhos do Criador.

Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. (João 1:17)

Moisés foi o instrumento humano (escolhido por Deus) que recebeu e repassou os Dez Mandamentos para a humanidade. O Decálogo foi escrito pelo dedo do Criador, portanto, Moisés não é o autor da lei moral.

O instrumento eleito e aprovado pelo Pai Eterno para trazer a graça para a humanidade foi Seu próprio Filho.

A graça é dom divino imerecido (transmitida para a humanidade por intermédio de Cristo), e é o único instrumento capaz de evitar que sejamos julgados e condenados pelo justo e imparcial Juiz.

A lei de Deus caso obedecida de forma perfeita assegura a vida eterna, como de fato acontece com os 2/3 de anjos leais ao Criador.

Com a desobediência surge a morte (separação de Deus), bem como a necessidade da graça salvadora do Criador, pois exclusivamente pela graça se restabece a vida que foi perdida pela desobediência.

A obediência perfeita assegura o direito à manutenção da vida eterna, portanto, nossa missão aqui na Terra é aprender a "manter" a vida (pela obediência), pois ninguém consegue pela obediência mérito para "readquirir" a vida eterna.

A lei divina não possui o condão de restabelecer a vida eterna. A lei de Deus  mantém a vida, mas não restabelece a vida, pois unicamente pela graça somos salvos da condenação eterna.

Assim como a obediência no Reino Divino implica em vida eterna, um único ato de desobediência é capaz de nos retirar o privilégio da eternidade.

Que Deus abençoe você com a graça, e que você a aceite e se prepare para viver segundo o desígnio divino.

Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. (Hebreus 10:36)

Seria uma loucura um pai dizer ao filho que fará, sem qualquer excessão, tudo que seu filho de cinco anos de idade lhe pedir (ou lhe mandar).

Da mesma forma seria loucura desejar que um Deus sábio e perfeito abandone Seu plano perfeito para satisfazer às vontades de seres humanos imperfeitos.

Se Deus fizer nossa vontade imperfeita, Ele estará nos destruindo.

Se o Criador satisfazer todos os nossos desejos Ele será o responsável pela nossa desventura e maldição.

Ajude Deus a fazer de você uma pessoa tão vitoriosa e eterna qual Ele mesmo é: abandone sua imperfeita vontade e busque cumprir a vontade do Criador.

Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura. (Isaías 42:8)

Você já agradeceu ao Criador por poder respirar? Por poder se alimentar? Por existir e estar vivo?

Sabe qual é o preço de tudo quanto Deus criou e colocou a serviço da nossa felicidade? "Gratidão": esse é o preço por todos os benefícios que recebemos do Criador.

O prazer de Deus é nos proporcionar prazer e alegria (está chegando o dia quando Ele vai destruir tudo quanto destrói a nossa felicidade).

Para vivermos e sobrevivermos, Deus fez tudo e nos entregou o necessário, mas Ele espera que paguemos (Seu "esforço") com gratidão.

Você acha justo o preço que Deus "cobra" pela nossa existência e pelos recursos disponíveis para nossa sobrevivência e felicidade?

 Não to mandei eu. Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares. (Josué 1:9)

O ser humano foi criado para dominar a natureza e os animais: essa é a parte mais fácil de nossa missão; porque temos prazer no poder de submeter tudo aos ditames de nossa própria vontade.

A parte mais difícil é dominar a si mesmo, controlar nossos impulsos, resistir ao que nos prejudica e dominar as péssimas emoções, como a desconfiança.

Um nos maiores símbolos de nossa vitória é o domínio sobre o nosso próprio Eu, nossos temores e medos, e tudo quanto nos tira a paz.

Quando menos medo, mais você expressa domínio próprio.

Quanto menos medo mais você demonstra confiança real e palpável na existência de um Deus que domina sobre cada detalhe no Universo.

Deus nunca perdeu o controle de nenhum detalhe, viva essa convicção.

Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti. (Ezequiel 28:15)

Lúcifer não iniciaria uma rebelião contra Deus sem primeiro negar e lutar contra  a natureza divina (pois Deus é apenas amor, verdade, sabedoria e justiça).

Qualquer coisa que Deus tenha feito ou falado jamais poderia despertar nos anjos qualquer sentimento negativo porque da boca de Deus sai apenas a verdade e a sabedoria.

Lúcifer é criatura (como Adão e Eva), e o primeiro rosto que ele deve ter visto no seu primeiro dia de existência foi o do Criador.

O fato de ter sido trazido do "nada" para a existência, por si só, já mereceria do Anjo desobediente o senso de eterna e impagável gratidão.

Entretanto, o Anjo rebelde decidiu pagar as bênçãos de Deus com ingratidão e rebelião.

Não sejamos tal qual Lúcifer foi. Não nos permitamos duvidar da glória divina e da justiça dos atos do Criador. Não paguemos o bem que Deus nos faz com ingratidão e revolta.

Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas. (Eclesiastes 11:5)

A infância é a "fase dos porquês", e nela a criança faz perguntas tão simples, mas que é capaz de embaraçar muitos adultos.

No mundo perfeito de Deus nada existe por acaso, ainda que você não saiba os motivos (os porquês) e não tenha uma boa resposta para oferece a uma criança que indagada.

Alguma coisa incomoda você? Calma, pois tudo tem um significado lógico e útil no mundo de Deus.

Para cada (e para  toda) pergunta Deus tem uma resposta sábia que nos preenche e nos sacia.

Por enquanto, se você tiver alguma dúvida, apenas confie e espere porque o próprio Criador haverá de dar a verdadeira e a mais plausível explicação para cada uma das suas inquietações e angústias.

Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu nome, com o qual Deus o chamará: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA. (Jeremias 23:6)

Quem é o homem para questionar a justiça dos atos de Deus?

Contestar a justiça dos atos de Deus é tentar discutir a causa da natureza do Criador, o motivo da essência divina, e o porquê da glória de Deus ser do jeito que é.

Questionar a justiça de qualquer coisa que Deus permite acontecer soa no mesmo tom de alguém que questiona a razão de nossa estrutura conter olhos, dentes, ouvido e mãos.

Tudo quanto sai da boca de Deus é justo e tem uma finalidade. Tudo quanto Deus faz ou permite acontecer é uma explicação do que é a justiça e a sabedoria juntos.

O Criador é a personificação da Justiça e tudo que sai dEle é a revelação da natureza e da estrutura divina.

Não questione os atos de Deus, primeiro porque Ele é sábio, segundo porque foi Ele quem criou a lei e a lógica para todas as coisas, e também porque a essência de Deus é a Justiça.
Wait while more posts are being loaded