Post has shared content
A ESTRELA
Havia uma estrela. Orgulhosa da extensão e luminância de seu brilho, vivia a exibir seus raios pelo universo. Porém um dia, um incidente cósmico trouxe àquela constelação diversas outras estrelas, e preocupada que alguma pudesse iluminar mais que ela, ressentiu-se. E sem comedir sua apatia e irritação passou a insultar com torpes palavras quem ameaçasse brilhar mais que ela. E toda vez que alguma estrela realçava-se um pouco mais, eram-lhe desferida raivosas afrontas; pois o espaço mental de alguns seres é pequeno demais pra comportar a luz da verdade, porque onde quer que seja acesa, as sombras são dissipadas e a alma que estiver escurecida, é então desvelada. E por isso, há estrelas que querem ser as únicas fulgurando no cosmos, pois seu brilho é artificial e não resistiria ao esplendor da realidade. Isso explica porque há quem nunca vê clareza e lucidez nos outros; porque quem olha somente para baixo tem dificuldade de erguer a cabeça e ver o que há acima deles. E nessa condição, medem os outros por sua própria estatura e se veem uma centelha começar a emergir em outro ser, tenta apagar com críticas e insultos. Porque perto deles ninguém pode luzir; ninguém pode ser esclarecer e ninguém pode iluminar-se. Precisam sentir-se os únicos luzeiros a clarear o orbe; pois sem esta autoilusão, não lhes restaria nada pra elevar sua autoestima. Porque na vida, lhes falta fé no Criador; lhes falta amor e lhes falta sentido existencial. E em seu devaneio aquela pobre estrela não enxergava que era apenas uma fagulha cósmica num ponto remoto da galáxia. Não compreendia que diversos outros elementos, maiores e mais luzentes, interagiam em todo o universo e ainda assim, respeitavam o espaço de todos e não tentavam apagar o brilho de ninguém, porque sabiam que no céu, todas as estrelas devem brilhar livremente.

*Dedico àqueles que continuam a me xingar porque discordam de mim.
Photo

Post has shared content
MORTE E DECLÍNIO DA VERDADE
Reza a lenda que muito tempo atrás, corria pelo mundo a crença de que “contra fatos não há argumentos” e todos acreditavam nisso! Então, quando se queria provar uma coisa, fosse ela verdade, bastava expor os fatos e a lógica e bom senso fariam o papel de convencer a todos. Mas esse tempo passou! Hoje vivemos na era dos argumentos e não dos fatos. Ninguém precisa provar o que diz; a verdade de uma coisa já não precisa existir pra embasar um diálogo, um discurso ou mesmo uma notícia oficial na mídia. Nos novos tempos que vivemos, as palavras e ideias não precisam ser verdadeiras pra convencer, basta que seja dita por um órgão oficial de tv, jornal impresso ou rede social e, pronto! Todos se prostram diante daquela notícia e vão disseminando-a como um vírus que se espalha no ar. E como toda doença epidêmica, essa também atinge sobretudo a camadas mais pobres da sociedade, só que neste caso, não os pobres financeiramente mas, os pobres intelectuais: os que nunca se dão ao trabalho de ler um livro; que preferem Domingão do Faustão ou Fátima Bernardes do que uma aula de filosofia com o prof. Olavo de Carvalho; que choram quando um bandido morre baleado num confronto com a polícia, mas fica insensível quando é o policial quem morre..., enfim, esses tipos de miseráveis vivem na periferia mental e alimentam- se do lixo moral dos meios de comunicação. E como diz o autor Matthew d’Ancona* o que surpreende e faz disso um novo e perigoso fenômeno sociológico não é a mentira contada, a falta de evidências ou o próprio absurdo da notícia - pois estas coisas sempre existiram e sempre vão existir-, o que causa espanto é “a resposta do público a isso” (p.34). Antes, a verdade era um valor cultural, e em maior ou menor grau, as pessoas se orientavam por este princípio. Agora, a propaganda é o que conta! E quanto mais uma narrativa é repetida, mais ela se torna verdade na mente das pessoas, independente do que dizem os fatos. Um exemplo disso, foi o caso da deputada Maria do Rosário versus o também deputado Jair Bolsonaro em 2003: o deputado tutorava uma pena maior para menores que cometessem crimes hediondos; a deputada defendia o oposto. Isso é um fato! No calor das discussões, a deputada chama o deputado de “estuprador”, ele revida a ofensa e diz que “ela não merecia ser estuprada”. Uma agressão verbal repelida com outra. Isso é um fato! Mas ao fim das contas, a notícia que tomou a opinião pública é de que o deputado odeia as mulheres e deseja que elas sejam estupradas. Porque para o público, no meio de informações controversas, discernir entre a verdade e a mentira, é como tentar achar uma agulha no palheiro. É mais cômodo então, aceitar a versão que aparece na tv e mídias sociais porque se corre menos risco de ser reprovado e mal visto pelas pessoas, afinal, sempre foi mais seguro ficar do lado da maioria. E quando a autoconsciência arbitrar que aquela história, relato, ideia ou notícia veiculada pode não estar correta, basta assistir o Jornal Nacional ou conferir o stories do Instagram ou facebook e reabastecer-se dos discursos “antifascista”, anti-homofóbico”, antirracismo”, etc. de algum desses artistas da Som Livre e Rede Globo. E garantir com isso, mais uma recarga mental de mentiras dos jornais, revistas e imprensa em geral. Mas na base disso, está a escravidão das pessoas pelas suas emoções. Isto é, a negociação de seus valores morais em troca de cada vez mais diversão e fantasias recreativas, isto pelas novelas, jogos digitais, filmes, livros e músicas que banalizam sexo, as drogas, os valores e forma a alienação coletiva. D’Ancona afirma, que “todas as sociedades bem‑sucedidas dependem de um grau relativamente alto de honestidade para preservar a ordem, defender a lei, punir os poderosos e gerar prosperidade” (p.42). Mas se os costumes, tradições, ética e cultura de um povo entra em colapso, a própria noção de verdade e mentira se relativiza e, se tornam uma única e mesma coisa; não importando mais “quem diz o quê” ou de onde vem a notícia, pois tudo passa a se justificar pelo efeito emocional que causa nas pessoas: se elas se sentem bem com o que escutam, isso é o que importa! Independente se é verdade ou Fake News. O problema é que se os indivíduos passam a alimentar-se mais de conteúdos emocionais que intelectuais, tornam-se conduzidos por sentimentos e não pela razão e quem lhes fornecer mais material emotivo os controlará. Por isso, o empobrecimento intelectual da sociedade é tão importante para a tv, jornal impresso e meios de comunicação digital como facebook e whatsapp. E sem a coragem moral de não seguir este rumo, só nos restará o destino do rei Nabucodonosor: ser tirado dentre os homens, crescer o pêlo como as penas da águia, as unhas como as aves e viver no pasto a comer erva como os bois.**

*Matthew D'Ancona. Pós‑verdade: A nova guerra contra a verdade em tempos de FAKE NEWS. Faro Editorial, SP, 2018
**Daniel 4:33 (texto da Bíblia)
***Leitura sugerida: Theodore Dalrymple. Nossa Cultura... Ou o Que Restou Dela, Ed. É Realizações, SP, 2015
___________. Podres de Mimados- as consequências do sentimentalismo tóxico. Ed. É Realizações, SP, 2015
Photo

Post has shared content
FILHOS DO BRASIL
Final de agosto/2018. Com jargões vitimistas e tom alarmante, certo jornal de circulação estadual noticiou: “125 mil jovens não trabalham, não estudam e não procuram emprego”. Nesse mesmo mês, outra reportagem, num outro jornal, também já havia conceituado estes jovens como “desalentados!” E na definição da própria mídia, são indivíduos em ‘desalento’; vítimas da falta de oportunidade, do preconceito, da discriminação e, como não podia faltar, do imperialismo capitalista! E sob esses termos, uma geração de meninos e meninas imaturos e despreparados são lançados na juventude sem a mínima condição de lidar com a vida real. Isso porque foram envenenados com o convencimento de que os pais, o governo, a religião, o patriarcado e o capitalismo roubaram-lhes as chances e oportunidades. E por causa dessa enorme ‘injustiça social’ ao invés de produzirem sonhos, metas, objetivos..., e lutar por eles, paralisam-se sob o repetido e ultrapassado discurso de que a sociedade e as instituições precisam saldar a dívida histórica para com eles. E formam em suas mentes a concepção de que o que há de errado com o mundo não são as pessoas e suas escolhas e decisões, mas, o modelo econômico, o tipo de governo, a riqueza dos ricos, a religião ou a heterossexualidade e que, portanto, precisam receber condições e favores especiais para superar estas dificuldades. Contudo, esse estado de letargia só amplia o caos, pois, “direitos” só se adquire após os “deveres” serem cumpridos. Não se amadurece sem passar por fases de dor, desprazer, escassez e descontentamento. Até o fruto de uma árvore só atinge maturidade após passar por uma série de eventos e processos naturais que envolve desde as raízes até as folhas e flores. Se todo o conjunto da planta não se desenvolver, o fruto não matura, porque este é o padrão de crescimento de todo ser vivo! Só uma criança mental pode imaginar que o fruto não depende das raízes; nem as raízes da semente. E assim, jovem algum cresce e desenvolve se não estiver arraigado à tradições familiares saudáveis, à hierarquia e a uma base religiosa, ética ou moral. Vestir-se do título de ‘desalentado’ e reivindicar para si algo que nunca plantou é admitir que não passa de um frouxo e covarde! Se não contribuiu ainda para o desenvolvimento da sociedade, porque espera dela colher frutos? Todavia, esse discurso que a mídia faz é uma performance ideológica apreendida dos Cadernos do Cárcere* que no fim, só enfraquece a pessoa e tira dela a coragem e a bravura de lutar na vida. Querer provocar revoluções culturais e promover discórdia e combate à família, ao cristianismo ou ao livre mercado é puro reflexo de um intelecto apodrecido que se decompôs sem sequer amadurecer antes. Se há algum desalento nos jovens, este é provocado pelos jornais, tv, recreações tolas e livros de romance fútil. Mas o que acho mesmo, é que os jovens só precisam de uma coisa: um grande e forte dose de vergonha na cara!!!!!

*Gramsci, Antônio. Cadernos do cárcere, vol. 4, edição de Carlos Nelson Coutinho, com a colaboração de Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2001
Photo

Post has attachment

DEMOCRACIA BRASILEIRA

Um grupo somente para os verdadeiros democratas brasileiros

Um grupo onde não se defende ditaduras e nem Intervenção Federal das Forças Armadas

Acesse este link para entrar no meu grupo do WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/5Ln5XXGoUSi7AULYcaO79y

PERIGO IMINENTE E SILENCIOSO

Algo muito grave vem acontecendo e quase ninguém está percebendo, que é a quebra da meritocracia em todas as áreas:

A polícia não tem mais o mérito de agir no combate ao crime porque a justiça ficou subordinada aos Direito dos Manos;

O professor não tem mais o mérito de educar seus alunos porque a educação ficou subordinado ao MEC;

Os pais não tem mais o mérito de educar os filhos porque ficaram subordinados ao Conselho Tutelar;

O povo não tem mais o mérito sagrado da sua legítima defesa porque foi desarmado e ficou subordinado aos bandidos;

A igreja não tem mais o mérito de pregar a sua doutrina porque criaram leis que estão obrigando a alterar seus princípios;

A população não tem mais o mérito de ser representado por seus políticos porque estes estão subordinados ao capital corrupto financeiro;

O brasileiro não tem mais o mérito de explorar a sua Pátria porque acordos internacionais deram esse direito a China, Rússia e outros.
.
Paulatinamente, o governo civil está destruindo a meritocracia em todas as áreas, criando instituições que tiram o direito da sociedade de agir, reagir, pensar e decidir para que absolutamente tudo fique nas mãos do Estado (COMUNISMO).

Pense nisso e repasse para ajudar o povo a acordar e reagir enquanto é tempo. Grato.

Autor Desconhecido

Post has shared content
A VIDA NA PRIVADA - O ANTES E O DEPOIS DA CAVERNA
Não há imaginação nesse mundo que não seja capaz de compreender, analogamente, que a vida moderna se assemelha de muitos modos, ao mito da caverna, de Platão. Em o qual, três indivíduos amarrados e dentro de uma gruta, escabichavam diante das chamas de uma fogueira tentando discernir o sentido das sombras que se projetavam nas paredes; em torno de qual mistério, figura a libertação do homem de suas amarras ideológicas e o seu completo desconhecimento da vida real, que ocorre do lado de fora da caverna. Convenientemente, como é de se esperar, as pessoas incluem na interpretação desta metáfora, suas próprias preferências políticas, filosóficas, etc. conjurando que os que vivem “amarrados” e “iludidos” dentro da caverna são os que não fazem parte de seu grupo ideológico, secto religioso ou crença político-partidária. Todavia, há uma meditação mais profunda: a Caverna de Platão, é a mente de cada um de nós e, os homens maniatados dentro dela, os nossos próprios pensamentos, inteligência e capacidade crítica. Aprisionados e dirigidos a somente enxergar o mundo em forma de sombras distorcidas pela mídia, redes sociais e tv. E quando, vez ou outra, um pensamento foge e captura alguma realidade fora da ‘caixinha de opiniões públicas permitidas’, logo é recapturada e reintroduzida no conto de fadas da vida privada (ou da vida na privada). E, mais uma vez, o povo deu prova desse seu aprisionamento psicológico aos meios de comunicação: durante as manifestações dos caminhoneiros (maio/2018) enquanto a categoria sacrificava-se em protesto contra o aumento abusivo dos combustíveis, outra parcela da população, fazia filas quilométricas em postos de gasolina para abastecer seus veículos com combustíveis hiperperaumentados. Nenhuma greve, paralisação ou manifestação desse tipo é confortável pra ninguém, porém, há momentos de necessário sacrifício em prol de algo maior. Se não aprendermos a abrir mão, em situações estratégicas, de algumas (as vezes “efêmeras”) comodidades, jamais se atingirá objetivos maiores. E dessa forma, jornalistas e repórteres com olhares estranhamente louco, dirigiam-se ao público com voz de pavor, falando que a ‘greve dos caminhoneiros’ estaria gerando a falta de gêneros de consumo (majoritariamente de segunda ou terceiras necessidades). E a resposta das massas, já adestradas e consentidamente manipuladas, foi igualmente louca: nas ruas e redes sociais, uma horda de estúpidos se pôs a queixar-se que faltavam “batatas” e “tomates” nos supermercados. Em um noticiário numa cidade vizinha, repórter e entrevistados lamuriavam-se da falta de ‘melão e melancia’ no comércio local. Posso ser acusado de antipático, mas, não sinto afeição alguma por esse tipo de pessoa! E se esse é o retrato de nosso país, também não sinto amor por esse Brasil! Sinto apenas uma enorme e profunda melancolia pelo que se tornou nossa pátria: uma turba de gentinha arrogante e cínica; incapaz de se juntar a quem luta pelo bem, pelo justo e por melhorias. Mas acho que a grande verdade é que o que impede o Brasil e os brasileiros de evoluir não é o diesel, os impostos ou uma classe política ou burguesa (como dizem os socialistas), mas, uma massa de imbecis que pensam só em “salvar a própria pele” em detrimento dos outros. E a diferença entre a caverna de Platão e os dias atuais, é que aqueles eram confundidos pelas sombras nas paredes e nós, pelas assombrosas imagens e ideias que os canais de televisão nos fornecem.
Photo

Post has shared content
BEBÊ E BOATOS
Dizem por aí que neste século XXI, apesar de todo desenvolvimento tecnológico a mais comovente descoberta não vem dos meandros da tecnologia, mas do interior do próprio ser humano, isto é, das pesquisas humanas e sociais. Prova disso, a mídia revelou-nos nesta última semana de abril (2018), que “os homens também engravidam!” E pra não perder o hábito de sempre fazer pressuposições inconsequentes, um dos principais jornais daqui do estado (ES) noticiou com efusiva admiração a “gravidez” do ator galã Arthur Aguiar. E em declaração em suas redes sociais, sua esposa, a musa fitness, nutricionista e life coach Mayra Cardi divulgou que ele, seu esposo Arthur, passou a sentir também todos os sintomas de gravidez: enjoo, desejo, ansiedade... Logo então, o casal foi congratulado por fãs e seguidores e Arthur foi aclamado pela tv e jornais, como o “símbolo” do homem moderno: sensível, delicado, prendado nos afazeres domésticos e meigo! Estas divagações, no entanto, somam-se a um trilho de iniciativas cujo objetivo além de fortalecer o feminismo é enfraquecer a imagem masculina e desalojar o homem de sua virilidade e masculinidade. Fato análogo, um jornal também publicou em março (2018) outra querençosa descoberta: o anticoncepcional masculino! (DMAU, na sigla em inglês). E por coincidência, causa nos homens os mesmos efeitos que nas mulheres: náuseas, dores de cabeça, aumento de gordura na região abdominal, etc. E antes disso (Fev. 2018) em matéria igualmente especulativa e tendenciosa, apregoou -se na mesma mídia, em reportagem de página inteira, o que chamou - se de “nova onda” das profissões masculinas: a estética! E em seu jornalismo de pura maledicência e alcovitice, os meios de comunicação mostraram - se partidários da mais absoluta canalhice intelectual! E em sua defecação textual, apresentou em tom de incentivo, as profissões que os “homens modernos” estão a ganhar dinheiro e a encontrar autorrealização e felicidade: manicure, hidratação e limpeza de pele, maquiador, designer de sobrancelhas, etc. Porém, todo individuo inteligente sabe que o que ocorre é um fomento ideológico afim de colocar o homem aonde ele não pertence; gerando propositalmente uma inversão de valores. Isso com a finalidade clara de provocar uma revolução social e cultural e alimentar a máquina comunista que opera subterraneamente na sociedade brasileira. Afinal, como disse Marx em uma de suas diarreias verbais: "Não é a consciência do homem que determina seu ser, mas ao contrário, é o seu ser social que determina sua consciência." (OBS. para uma visão ampla do assunto: Autoridade e Família, Marx Horkheimer, Ed. Apáginastantas -cooperativa de serviços culturais, vol. 4, Lisboa -PT, 1983.)
Photo

Post has shared content
CINEMA MODERNO
Eu, que fui um cinéfilo inveterado, confesso agora que tomei ojeriza de quase tudo o que se produz no cenário cinematográfico mundial. E nesta semana (março de 2018), deu - se prova mais uma vez, de que a indústria do cinema já de muito deixou de ser uma produtora de arte e entretenimento e se tornou uma difusora de conteúdos ideológicos anticristãos, antivalores morais e pró-feminista. Em matéria no principal jornal impresso da cidade onde moro, falou - se do filme “Maria Madalena”, dos diretores Joaquin Phoenix e Rooney Mara, em cartaz nos cinemas de toda a cidade. Notoriamente, exaltou - se o roteiro, os atores, a direção artística do filme..., e calorosas recomendações foram dirigidas aos leitores do jornal. O longa-metragem, foi celebrado como a maior novidade cinematográfica dos últimos tempos, mas, na realidade nem roteiro ou qualquer outra parte ou aspecto do filme se refere a algo realmente novo! A citada obra hollywoodiana é nada mais que uma manifestação pela via da dramaturgia, da velha e conhecida agenda global; que tenta extinguir a fé cristã e os valores da família impondo crenças contrárias aos padrões e hábitos da maioria das pessoas; que ainda é majoritariamente cristã e conservadora. Tal filme mostra um Jesus indeciso e dúbio; propenso a desejos incontidos e insinuando um mal disfarçado lado libidinoso. Que também pode ser interpretado como fraqueza de caráter, crise ou dúvida existencial. Já Maria Madalena, é um protótipo de feminista dos tempos bíblicos: forte, arrojada e decidida! E graças à influencia psicológica e filosófica dela sobre o Salvador, Este encontra seu caminho. Quanto a Pedro, mal é identificado no filme! Mais parece um trouxa indeciso e obediente; um tipo de sombra do Cristo. Mas por outro lado, Judas Iscariotes, que na literatura bíblica é o traidor de Jesus, aparece como um “soldado de Deus”. Forte e determinado como Maria Madalena; cheio de boas intenções mas incompreendido e invejado pelos outros discípulos. De todo modo, o filme projeta a figura da mulher como referência e modelo. E todas as demais personagens do filme, inclusive o próprio Jesus, são meras sombras dela. De forma que depois do filme, fica - se em dúvida de quem de fato, salvou a humanidade: Jesus, o filho de Deus ou Maria Madalena, a mulher que na bíblia lhe fora expulso sete demônios (essa parte não aparece no filme, é claro!). No geral, um filme nauseante e blasfemo! Que inaugura um novo tipo de cine - dramaturgia: o ativismo ideológico antirreligioso e moralmente feminista. Que Deus tenha piedade!!!!!!!!
Photo

Post has shared content
NA FRANÇA, AQUI E NO MUNDO
Na França, noticia vinculada em março de 2018, uma nova lei criminaliza e pune os homens que cantarem mulheres na rua ou locais públicos. Divulgada e defendida por grupos e facções de ativismo social, essa nova lei prescreve como “ofensa grave” ou “atentado à liberdade da mulher” expressões de uso comum nas relações de paquera e flerte como: “Oi, você é linda!” “Fiiiu Fiiu morena!”, etc. Falar estas coisas a uma mulher será o mesmo que tentar estuprá la! E enquanto comemoram essa vitória jurídica e a chamam de evolução do mundo moderno e exemplo para todas as nações..., mais uma grossa camada de socialismo é sedimentada sobre a sociedade. Pois a partir do momento que o Estado passa a cercear a conduta dos cidadãos nestes mínimos detalhes, ensaia-se um tipo de aprisionamento que só os regimes comunistas tentaram implantar. Mas apesar disso, quanto mais Governos sufocam os homens com leis esdrúxulas desse tipo, são as mulheres quem alardeiam serem oprimidas! E pela voz do feminismo e movimentos gays, conclamam por mais benesses estatais, a saber, leis, regulamentos e regalias que as coloquem em supremacia na relação homem/mulher. Contudo, o mundo vai com isso, tornando-se cada vez mais dividido e confuso. Pois quando o Estado se dispõe a controlar todas as áreas da vida humana, torna -se perigosamente ‘ultrapoderoso’. Qual monstro Leviatã, que a tudo subjuga, tutela e almeja controlar. Estendendo suas leis e burocracia desde as meras transações comerciais e estatutos políticos... quanto ao modo de de ser, vestir, pensar e se portar de um cidadão. De forma que como um pai educa o filho; o marido ama a esposa; etc. tudo é colocado sob a guarda do Estado! Tudo têm de ser cumprido conforme a cartilha governamental! Até que, de tão pressionadas, as pessoas percam sua autonomia e identidade; e o “Todo Poderoso Estado” (conforme é vontade da atual classe política), seja recebido por todos como guia espiritual e moral; e todos dirijam àquele que como governante supremo, represente o Estado, fervorosas preces de gratidão e votos de vida longa. Pergunto assim: “alguém aí duvida que estamos num mundo pré-socialista??!!
Photo

Post has shared content
A MODERNIDADE DOS MODERNOS
Por meio de uma intoxição mental lenta e generalizada presume - se que em breve pouquíssimos indivíduos na sociedade saberão quem são, pensarão por si mesmos ou agirão por própria vontade. Em face das gradativas mudanças que ocorrem no cenário cultural, artístico, político..., em pouco tempo nenhuma criança ou adulto conhecerá algo de si senão pelo menu de ofertas ideológicas dispostas no cardápio social de alguma ONG, grupo ou partido político ou de militância social, ambiental, homossexual, etc. Nesse tempo, todo cidadão portará em seu RG ou cpf - no formato de um chip e devidamente instalado em seu pulso ou outra parte do corpo -, uma numeração ou código que ao ser acessado lhe mostrará uma lista com as opções de palavras, ideias e pensamentos que ele deverá manifestar em cada momento de sua vida. E em posse dessa nanotecnologia, um banco de dados do governo lhe fornecerá via senha pessoal, intrasferível e à prova de fraudes, a opção e alternativa permitida pela administração pública; para ele agir em todas as situações: em casa, no trabalho, no lazer..., na sala diante da tv, no bar com os amigos ou no parque com a família. Certo é que todos deverão gerir seus atos e pensamentos segundo o Estatuto Social de Condutas Éticas e Politicamente corretas do Governo. Mas nada disso, porém, será feito à custa de um grande sofrimento das pessoas, pois desde agora, nossa alma e mente é adequada e filosoficamente preparada pelos Pensadores Modernos (Karnal, Cortella, Clóvis de Barros e Cia), para aderir à modernidade desse mundo moderno. E apesar da falta de consciência nisso tudo, estes intelectuais, profetas da nova ordem ou simplesmente “Camaradas” nos inspirarão e sempre terão disponível algum sofisma, eufemismo ou degustação filosófica oportunamente publicada no youtube para momentos como este. E no caso de dúvida, dificuldade de adaptação ou qualquer outro desdobramento psicológico por parte de nós, escravos modernos, contaremos com a política e ciência social de Marx e Gramsci para confortar nossa mente. E, se até agora você ainda não se sentiu muito entusiasmado com essa prevista pós - modernidade, não se preocupe! Isso significa que seu órgão cerebral ainda funciona de maneira inteligente e pessoal, mas, breve, muito breve, ele será formatado, reiniciado e perfeitamente ajustado ao conjunto de emoções, sentimentos e convicções que as convenções sociais da modernidade determinam para todo homem e mulher modernos. E para que se sinta mais familiarizado e aceito nesse novo belo mundo, poderá decorar e repetir estas palavras diante de alunos de qualquer universidade federal, e será considerado um verdadeiro “Tovarich”: “Somos um exemplo luminoso para as sucessivas gerações. Amigos e irmãos Camaradas, a resistir com determinação às ações do imperialismo americano, da nação judaica, da família hétero e da fé cristã; símbolos máximos da opressão burguesa! E contra todas estas formas de agressão, estamos ombro a ombro na luta revolucionária e de libertação do mundo.” 1

NOTA: 1 Trecho de um discurso comunista extraído de um site socialista internacional na internet.
Photo
Wait while more posts are being loaded