Post has attachment
Photo

Post has attachment
Photo

Post has attachment
Photo

Post has attachment
PhotoPhotoPhoto
27/07/2017
3 Photos - View album

Post has attachment
PhotoPhotoPhoto
27/07/2017
3 Photos - View album

Post has attachment
PhotoPhotoPhotoPhotoPhoto
27/07/2017
7 Photos - View album

Post has attachment
PhotoPhotoPhotoPhotoPhoto
28/02/2017
9 Photos - View album

27/02/2017

TODA A SOLIDARIEDADE À CAMARADA TALY NAYANDRA! ABAIXO A REPRESSÃO!

CompartilharTweetPinEnviar por e-mail

O PCB, através de sua Comissão Política Nacional, repudia a agressão à militante de nosso partido no estado do Amazonas e exige a pronta apuração dos fatos e a punição dos responsáveis. Segue a nota do PCB – AM descrevendo o lamentável ocorrido.

Nota do Partido Comunista Brasileiro – Amazonas

O Partido Comunista Brasileiro (PCB-AM) vem por meio desta repudiar o espancamento que a militante Taly Nayandra sofreu por policiais militares na noite de sábado, 25 de fevereiro.

A militante relatou que, ao sair de um bar próximo à Praça da Saudade com um grupo de colegas, foi surpreendida por tiros disparados em direção ao grupo que estava com ela. Dois homens e também um mulher – não identificados, começaram a disparar tiros para o alto e também para o grupo de pessoas que, ao se depararem com a situação, começaram a correr para se proteger. Após alguns segundos, apareceu uma viatura da polícia militar que, ao invés de averiguar o que se passava, iniciou sua caçada para prender sem motivo alguns dos militantes que corriam.

A camarada Taly não conseguiu fugir e foi presa junto com outro companheiro. Ambos perguntaram aos policiais a razão da prisão, mas estes, sem prova alguma, alegaram que a camarada Taly e os demais colegas de seu grupo estariam pichando. Taly e um companheiro foram levados ao 24º DIP, no centro de Manaus. Já na delegacia, Taly foi levada para uma sala junto com outro companheiro preso junto com ela, depois ambos foram separados, e daí se iniciou a sessão de espancamento com chutes, tapas no rosto, ouvidos e socos nas costas. O rapaz foi solto. A camarada Taly, seguiu na delegacia por mais de uma hora sendo espancada por um policial que, além da opressão física, a oprimiu psicologicamente, gritando: “Fala alguma coisa agora, sua comunista filha da puta”. A camarada Taly chegou a desmaiar após o espancamento que sofreu. Depois de recuperada, os dois policiais que a espancaram a deixaram em uma rua no bairro São Raimundo, Zona Oeste de Manaus. Ao descer do carro, os policiais pediram para ela correr e não olhar para trás, pois um tiro pelas costas poderia aguardar por ela.

A camarada Taly Nayandra se juntou às fileiras do partido ainda na adolescência, período em que também adentrou na União da Juventude Comunista (UJC) e o coletivo feminista classista Ana Montenegro. Desde então, a camarada Taly se juntou a outras (os), camaradas para lutar por uma sociedade que vise ao fim da exploração de um homem sobre outro homem. Na última eleição, a camarada Taly Nayandra foi candidata a vice-prefeita da cidade de Manaus pela coligação ‘Manaus por nós: construindo o poder popular’, junto com o candidato professor Queiroz (PSOL – AM).

Mesmo com sua pouca idade, a camarada Taly é uma mulher revolucionária, não oportunista e tem representado o partido em inúmeras lutas na cidade de Manaus. Desde janeiro, adentrou com outros companheiros no movimento “Não ao Aumento da Tarifa”, visando a luta contra o reajuste da tarifa de ônibus que já passa pelo seu segundo aumento em menos de um ano.

O Partido Comunista Brasileiro (PCB-AM) reitera o apoio à camarada Taly Nayandra, se solidariza e repudia a agressão que sofreu covardemente. A postura desses policiais evidência o caráter da Polícia Militar e dos governantes municipais e estaduais. É evidente que a repressão sofrida pela camarada é de caráter estritamente político, machista e misógino, quando analisamos que a camarada foi agredida literalmente pelas costas, ameaçada de morte e quase morta com um tiro pelas costas.

É inaceitável tal situação. Aguardamos por uma resposta da Polícia Militar acerca do ocorrido e iremos tomar as decisões cabíveis para que mais um crime não fique impune.

Por uma sociedade livre de toda opressão, por uma sociedade justa e igualitária. Repudiamos toda forma de opressão!

Abaixo toda repressão!
Luta Não É Crime!
Vale a pena viver quando se é comunista!
Viva a Revolução Socialista!



Compartilhe isso:

Imprimir

TweetEmail

Postagem AnteriorBlocos De Esquerda Agitam O Carnaval De Rua Do Rio De Janeiro

Voltar ao topo

Móvel

Post has attachment
24/02/2017

Ilegalização Do PC Da Ucrânia É Crime

CompartilharTweetPinEnviar por e-mail

Trinta e sete partidos comunistas e operários condenaram a tentativa de banir o PC da Ucrânia e apontam responsabilidades à UE, aos EUA e à OTAN pelo apoio ao regime em Kiev.

O julgamento do recurso apresentado pelo Partido Comunista da Ucrânia ocorreu no dia 8 próximo passado, tendo o tribunal de apelação reagendado nova sessão para o dia 21. A magistratura não acolheu os argumentos apresentados pela defesa dos comunistas ucranianos, mas decidiu agregar ao processo um pronunciamento do provedor dos direitos humanos do parlamento em Kiev, que alerta para lacunas na sustentação apresentada pelo Ministério da Justiça, conforme informa o PC da Ucrânia na sua página na Internet.

As autoridades de Kiev estão tentando tornar ilegal o PC da Ucrânia com base num pacote normativo, aprovado em 2015, apelidado de «leis de descomunização». O PCU é acusado de promoção do separatismo e de não renegar a ideologia comunista, os seus símbolos e a história da União Soviética, encontrando-se impedido, por exemplo, de concorrer às eleições.

Antes do julgamento, partidos comunistas e operários de todo o mundo emitiram um comunicado conjunto em que denunciam, mais uma vez e nos mais fortes termos possíveis, as tentativas de banir o Partido Comunista da Ucrânia», considerando a apreciação no tribunal uma «paródia» cujo objetivo é «aniquilar o PC da Ucrânia através de um processo contrário aos princípios da Lei Internacional, da Declaração Universal dos Direitos Humanos e de outros princípios e convenções internacionais».
Cúmplices

«A tentativa de proibir o Partido Comunista da Ucrânia é o culminar de uma perseguição contínua e violenta a este Partido, com as forças de ultradireita e fascistas em primeiro plano. A UE, os EUA e a OTAN, que têm alimentado e apoiado estas forças, têm sérias responsabilidades», acusam ainda os signatários, para quem está em andamento «a tentativa de impor a chamada “descomunização” do país, de falsificar e distorcer a história e memória coletiva do país», procurando «servir as considerações e interesses ideológicos e políticos da ordem atual na Ucrânia».

«Os esforços de transformar antigos colaboradores nazis em heróis fazem parte desta campanha», alertam igualmente os partidos comunistas e operários, que no texto se comprometem a «trabalhar conjuntamente no nível local e internacional para condenar estas ações e denunciá-las perante a comunidade internacional».

Subscreveram até ao momento o documento que termina com a expressão da mais viva solidariedade aos comunistas ucranianos, o PC da Albânia, PC Alemão, PC da Austrália, Tribuna Progressista do Barein, PC do Bangladeche, PC do Brasil, Partido Progressista do Povo Trabalhador do Chipre, PC da Boémia e Morávia, PC de Cuba, PC das Filipinas, PC da Finlândia, PC Francês, PC Unificado da Geórgia, PC da Grécia, Novo Partido Comunista da Holanda, Partido dos Trabalhadores Húngaros, PC da Índia (Marxista), PC Iraquiano, PC do Iraque-Kurdistão, Partido do Povo do Irão, PC da Irlanda, Partido dos Trabalhadores da Irlanda, PC do Luxemburgo, PC de Malta, PC do México, PC do Paquistão, PC da Polônia, Partido Comunista Português, PC Britânico, Novo PC Britânico, Partido Socialista Romeno, PC Operário Russo, PC da Federação Russa, União de Partidos Comunistas – Partido Comunista da União Soviética, PC da Suécia, PC da Turquia, Partido Comunista Brasileiro (PCB) e PC da Venezuela.

http://www.resistencia.cc/ilegalizacao-do-pc-da-ucrania-e-crime/



Compartilhe isso:

Imprimir

TweetEmail

Postagem AnteriorCOMUNA QUE PARIU! FLORIPA CANTA OS 100 ANOS DA REVOLUÇÃO RUSSA

Próxima PostagemMINUSTAH Fora Do Haiti!

Voltar ao topo

Móvel

Wait while more posts are being loaded