Oi tenho muito medo de dirigir gostaria de ter ajuda com esse problema...

Post has attachment
Oi gente, tudo bem? Me chamo Aline e também tenho medo de dirigir.

Tenho um blog no qual falo um pouco de como estou vencendo esse terror.

Olá gostaria de saber onde posso fazer aulas de direção de carro, pois tenho medo e nunca consegui dirigir... Já tenho carteira à 10 anos, moro em maringá

Post has attachment
PhotoPhotoPhotoPhotoPhoto
alunas do grupo iab
24 Photos - View album

Post has attachment

Para alguns, conseguir tirar a carteira de habilitação de motorista é ser aprovado em um dos testes psicológicos mais difíceis. Para outros, o martírio começa logo depois da aprovação no exame prático. O medo do volante tem levado motoristas habilitados que não conseguem enfrentar o trânsito do dia a dia a procurar autoescolas e aulas particulares para perder o trauma da direção. De acordo com dados da 7ª Circunscrição Regional de Transito (Ciretran) são emitidas em média 2 mil carteiras de habilitação de motoristas de automóveis mensalmente em Campinas. Mas nem todas entram no dia a dia do trânsito da cidade. 

O medo de direção — conhecido entre os especialistas por amaxofobia — é mais comum do que parece, segundo a psicóloga Adriana Lindoio Potye, da Clínica Escola Cecília Bellini de Campinas, centro especializado em tratamento psicológico para pessoas que apresentam trauma de direção. “Os sintomas são semelhantes aos que as pessoas apresentam em uma situação de pânico: suor, calafrios, tremedeira, choro e o coração dispara. Tudo isso está pautado no medo de falhar”, disse a psicóloga. 

Para enfrentar o trauma da direção, os motoristas passam por terapias em grupo e aulas práticas nas ruas, em locais menos movimentados para serem observados por especialistas. Em geral são duas horas de terapia e 50 minutos de aula prática por dia.
Segundo a psicóloga, o medo pode surgir a partir de um acidente de trânsito ou até mesmo o receio de errar. Mas na maioria dos casos, o pavor se deve à falta de prática. “O perfeccionismo leva as pessoas simplesmente a parar de dirigir”, disse.

MOTIVOS
Depois de conseguir a habilitação em uma cidade conhecida pelo trânsito mais caótico do País, São Paulo, a médica Débora Castro Gomes, 35 anos, nunca mais enfrentou o trânsito da Capital paulista sozinha. Sempre alguém esteve ao lado. “Fiquei 3 anos sem dirigir. Eu me virava com ônibus, táxi e carona. Até que agora, por motivos profissionais, resolvi tomar aulas.” Como parte do treinamento, ela sai da Unicamp, na região Norte, em direção ao Centro, em um carro de autoescola, especializada em aulas para quem tem medo de dirigir, acompanhada de um instrutor, duas vezes por semana. 

A jornalista Luiza Moretti, 27 anos, disse que gastou cerca de R$ 1 mil para se “reabilitar”. “Tirei carta aos 18 anos e me acomodei. Tive que começar tudo do zero. Agora as pessoas me ligam pedindo indicação de onde fazer aulas”, disse Luiza. 

As aulas em centros especializadas em habilitar pessoas com medo de dirigir procuram exigir mais do aluno em comparação ao que se exige para a preparação para o exame prático durante as aulas convencionais das autoescola. Direção no trânsito mais movimentado no Centro, baliza em locais apertados, estacionamento em garagens e repetição do trajeto que a pessoa tem que enfrentar todo dia na ida e volta para o trabalho, são algumas das atividades realizadas com os alunos que querem perder o trauma da direção. 

“Às vezes a preparação para o exame é muito simples e os alunos só querem fazer o que prevê a legislação. Quando tiram a habilitação e se vêem numa situação de trânsito, ficam assustados. Chegam em um morro e travam”, disse o gerente da WS Aulas de Aperfeiçoamento de Campinas, Waner Nejelschi. 

O número de aulas para conseguir dirigir sem medo varia de acordo com a necessidade de cada um. Em média, o preço de cada aula gira entorno de R$ 30,00. É possível encontrar pacotes com desconto. Os alunos com menos prática são orientados a começar em um veículo com duplo comando, semelhante ao usado em autoescolas. Depois podem passar para o próprio carro.
“O ideal é que o aluno se acostume com carro que vai usar todo dia”, disse a instrutora da SOS Dirigir, Valdinéia Gabriel.
Photo

Post has attachment
Maringá precisa de trenamento a muitos condutores já habilitados.

1) O fato inicia com um objetivo para tirar sua habilitação  para moto, aproveitando preço, tira-se as duas categorias  A/B.

2) Ficou na moto por alguns anos sem conduzir o veiculo, após alguns anos destreinados compraram carro, conclusão.Insegurança.

3) As Instrução das CFC para primeira habilitação, as normas do SNT são as seguinte. Usa-se 1º,2º e muito raro a terceira marcha,. Velocidade até 40 k/h, o percurso é restrito, o aluno é preparado para ser aprovado pelo examinador do detran nesta condição, mas não tem noçaõ do perigo das rotatórias e das reduções e velocidades reais do dia dia.

4) Estes alunos ao se deparar nas vias, estarão inseguro e com medo, pois todos estão connduzindo de acordo com a capacidade da via e sem preocupaçaõ com eles. A estrutora não estará mais ao seu lado para orientar. Ela terá que inserir-se ao meio e de acordo com velocidades compatível da via. Ela sem ação, ficara lenta e  muitos irão xingar ou buzinar. Pronto esta aluna estara bloqueada em sua ação de conduzir. 

5) Minha opinão, para solução deste problema, as normas deveria ser.
a) Os alunos deveria ter as aulas basicas para dominar os 5 elementos   
      da defensiva.
b) Segunda fase, deveria ter aulas de treinamento, para inserir com a 
     realidade do dia a dia das vias, com velocidades, marchas e   
      reduções.
Photo
Wait while more posts are being loaded