Post is pinned.Post has attachment

Pessoal, FM#32:
- Tá muito bom o episódio!
- A parte sobre 'sobrenatural' ficou curta, mas bem clara (quem quer saber mais, compre o livro!). A retomada na parte final do episódio realmente levanta a curiosidade lá em cima!
- As explicações da parte sobre criação de mechas ficou muito boa e completa.
- +Fábio Emilio Costa​, as referências no shownotes estão perfeitas! (como sempre!)
- No entanto, tirando o negócio do 3df+1d6 (que eu ainda não havia visto), não vi o que Mecha vs Kaiju traz de novo? Digo, o que é que tem alí que a gente sozinho, apenas com o Módulo Básico na mão, não conseguiria fazer?

Estou há muito tempo administrando experiências de jogo casuais em eventos locais, mas a vontade de reunir um grupo fixo presencial para jogos seriados é cada vez maior.
Tenho pessoas interessadas, locais adequados, ideias sobrando para boas histórias, porém ao escolher universos de jogo atrelados aos sistemas tradicionais que conheço, acabo me perdendo no esforço de elaboração "estatística" de sessões de jogo e desanimando com a impossibilidade do sistema entregar a experiência de jogo desejada.

A partir de um link na nova Dragão Brasil, acabei descobrindo os podcasts do Fate Masters que tratam de migração e conversão para o FATE e me pareceu um Sistema promissor.

Minha vontade é mestrar Kult na realidade brasileira atual, como se houvesse uma conspiração metafísica a ser descoberta por pessoas comuns. Porém o Sistema original de Kult privilegia demais a resolução física e violenta de conflitos e eu gostaria que o heroísmo privilegiado fosse o da integridade e dignidade, da sanitude (o equilíbrio entre saúde, sanidade e santidade) contra uma realidade perversa. Quero heróis como Gandhi, Dalai Lama e Jesus Cristo, e não como Stalone, Schwarzeneger e Van Dame.

No podcast 12 "Cultura da Violência" vocês tocam na questão de jogar RPG para viver a fantasia, ou seja, para sair da mediocridade e experimentar o que não estamos acostumados, ser heróis. Porém nossos mediadores culturais (mídia) estão tão infeccionados pela peste emocional, que até seus heróis são perversos e preferem a brutalidade desmedida à compaixão e ao perdão. As pessoas fogem do mundo real para fantasias de vingança em vez de tentarem vislumbrar um paraíso. Espero conseguir isso no FATE.

Post has attachment
Vocês ouvem o Alô Ténica ?
 
Se não no ultimo eles falaram de uma nova plataforma brasileira de hospedagem e monetização. Achei interessante poderia ajudar nossa queria comunidade:
 
http://radiofobia.com.br/podcast/2016/12/alo-tenica-48-painel-sobre-podcast-na-ccxp-2016/

Olá, pessoal. Recentemente comecei a jogar FATE com meu grupo. Conheci o sistema na "internete da vida" e fiquei maravilhado com a beleza de sua simplicidade. Agora acompanho tudo relacionado ao sistema tentando absorver tudo. Mas como novato, tenho dúvidas.
Estou jogando um cenário Cyberpunk/Space Opera com meu grupo e um dos Jogadores resolveu criar uma IA com consciência pra jogar. Achei legal a ideia e deixei. Contudo, não sei como tratar esse personagem em termos de regras, até pra não desequilibrar o grupo. Até pensei em usar o Fate Acelerado, mas vem essa dúvida de torná-lo forte demais ou fraco demais. A forma que encontrei, momentaneamente, foi criar um personagem normal, usando FATE Core, com alguns extras e façanhas que pudesse simular a ideia. A ideia era que ele, como IA, pudesse entrar em androides e máquinas, sem ter um corpo fixo, sem claro, sofrer com as mudanças de corpo pra corpo. Mas num sei, ainda sinto que ficou meio limitado.

Alguém tem ideia, pode ajudar?

Post has attachment
Apontando então Congressmen of Umdaar?
Photo

Post has attachment
Ouvi os dois últimos episódios (#17 e #18) e aproveito aqui para compartilhar meus planos para uma aventura-solo.

Inspirado pelo lançamento do quadrinho Future Quest, decidi criar minha própria Força Estelar! Uma mistura de Space Ghost com Lanternas Verdes.

Estou usando as Bioformas de Master of Umdaar para criar as raças alienígenas. Exclui o sistema de classes pois todos serão guardiões da corporação galáctica. E os jogadores terão um anel/bracelete/cinto (ainda não decidi qual item) que vai conferir poderes especiais, e uma nave espacial (Cruzador Fantasma ??? hein, hein!).

Assim que tiver mais coisas definidas, compartilho aqui no grupo!
Photo
Photo
2016-05-30
2 Photos - View album

Post has attachment
Fala pessoal do Fate Masters, tudo bem? Por acaso vocês conhecem alguma adaptação do Naruto para o FAE? Como curiosidade eu encontrei uma adaptação para o Fate Core, mas queria mesmo algo mais simples como o FAE. A adaptação que encontrei vai no link, mas é para Fate Core.

Post has attachment
E temos novo Fate Masters no Ar!

Continuando nossa série de Façanhas, Extras e Fractal do Fate, vamos falar sobre Extras, os elementos que você irá descrever usando regras novas ou adaptação das regras do Fate. Falaremos sobre o que são, como criar, quando criar e como funcionam alguns Extras muito interessantes, como os Talismãs de Nest e mesmo coisas que já comentamos, como as Façanhas Centuriãs de Young Centurions e Mega-Façanhas do Atomic Robo

Lembrem-se: qualquer dúvidas, críticas, sugestões e opiniões você pode enviar na comunidade do Google+ do Fate Masters, na comunidade do Facebook do Fate (com a hashtag #fatemasters), e pelo email fatemasterspodcast@gmail.com

http://fatemasters.github.io/podcast/FateMasters17/

Post has attachment
Quem já ouviu o episódio 16 vai saber que Façanha é essa! Haha

https://www.youtube.com/watch?v=rsZQzLkjq4c
Wait while more posts are being loaded