www.miningmath.com/software

Saudações!

Continuando nossa série de vídeos, hoje apresentaremos os parâmetros necessários para otimização de cava. 

Após abrir a interface do SimSched, duplo clique no modelo que acabamos de importar que está disponível na guia ‘Recent scenarios’. Automaticamente será aberta a aba ‘Pit optimization’ no campo “General”. Nesta versão temos apenas um modo de otimização disponível “Only pit optimization”. Abaixo temos os campos densidade e ângulos de taludes. Nestes campos deverão ser informados os valores default de densidade e ângulo de taludes. Na aba ‘Densities’, selecionamos ‘density’ no campo ‘Field’ e preenchemos o valor 2.75 t/m³ (como exemplo), enquanto na aba ‘Slope angle’, como não importamos um campo específico, apenas inserimos o valor 45 ° (também como exemplo). Neste exemplo, seguindo o tutorial, apenas o campo ‘Density’ deve ser selecionado para ser considerado na otimização.  Os demais campos estão desabilitados por se referirem somente à opção ‘Direct Block Scheduling’. 

Após a entrada dos parâmetros obrigatórios, a opção ‘Destinations’ na barra de ferramentas será habilitada e deverá ser clicada.

Neste formulário serão definidos os possíveis destinos para os quais os blocos poderão ser enviados. Cada destino deve ser mapeado com seu respectivo campo contendo os valores econômicos. Para adicionar uma rota de processo, clique em ‘Add Process’ na parte inferior direita da janela e para adicionar uma rota de descarte, clique em ‘Add Dump’. Não há limite para o número de rotas de processo e descarte a serem consideradas pelo SimSched.

No campo ‘Recovery’ do processo adicionado, preencher uma recuperação constante de 0.60 para a variável selecionada (Au). Note que poderíamos ter importado uma recuperação variável bloco a bloco e selecionado aqui o campo correspondente, em vez de adotar um valor constante. No campo ‘Economic value’, selecionar o campo equivalente importado junto ao modelo de blocos (Economic Value Process), que corresponde aos valores econômicos dos blocos caso sejam enviados para essa rota de processo. No campo ‘Economic value’ da rota de descarte adicionada, selecionar o campo equivalente importado junto ao modelo de blocos (Economic Value Waste).

Após o preenchimento podemos seguir o wizard abrindo a aba ‘Constrains’. Nesta aba utilizaremos apenas a restrição de largura mínima de fundo de cava com o valor de 100m. Poderíamos definir outras restrições físicas, importando superfícies limitantes, em ‘Surface mining limits’, mas estas funções não serão abordadas neste tutorial básico.

Clicando na aba ‘Overview’, temos um resumo de todos os parâmetros preenchidos para otimização de cava. Um usuário avançado poderia vir diretamente para esta aba e preencher todos os parâmetros, sem a necessidade de passar pelo wizard.

A ferramenta ‘Save as’ pode ser utilizada para arquivamento do cenário, ou seja, dos parâmetros de entrada informados pelo usuário. Com essa funcionalidade, é possível otimizar várias cavas, por exemplo, variando os valores econômicos, sem que seja necessário reimportar o modelo de blocos.

Clique em ‘Run’. O SimSched irá gerar o relatório de cubagem diretamente no software Microsoft Excel e os resultados gráficos no SGeMS. 

Bom, ficamos por aqui! Nos próximos vídeos, serão apresentados os resultados gerados no Excel e as ferramentas para visualização da cava final otimizada.

Este vídeo foi produzido por membros do Núcleo de Engenharia de Minas do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de Alfenas – Campus Poços de Caldas em parceria com a  Miningmath.
Shared publicly