www.miningmath.com

Olá! Meu nome é Thales de Araújo. Com esse vídeo, darei sequência a série de vídeos sobre o artigo “Sequenciamento Direto de Blocos”.

No vídeo anterior tratei dos sequenciamentos realizados, considerando um planejamento de lavra convencional. 
Agora mostrarei os resultados do sequenciamento direto de blocos realizado pelo SimSched e o comparativo entre as tecnologias.

O SimSched é baseado em programação inteira mista com a adição de heurísticas proprietárias. Em uma única execução, o seu otimizador retorna um sequenciamento completo, com otimização de teor de corte e a retomada de uma pilha ao final da vida útil da mina.

Na tabela, note que a massa estocada seria classificada como estéril, caso não houvesse a pilha de estoque. Esse conceito é equivalente à otimização de teor de corte proposta pela Teoria de Lane, com o diferencial de que algoritmos baseados em programação inteira mista conseguem antecipar minério de alta qualidade, com uso de um modelo matemático de otimização, que dispensa a definição de teores de corte. 

Os resultados apresentados comprovam que estocar ou até descartar minério de baixa qualidade pode trazer maior valor econômico para o projeto.

Nesse slide veremos as comparações entre as 3 tecnologias. Para manter as mesmas bases na comparação, todos os resultados do Whittle e do SimSched, foram adaptados para aplicação da taxa de desconto a partir do 2º período de lavra, do mesmo modo como está reportado na biblioteca MineLib. 

Vale a pena citar, ainda, que a otimização de teor de corte no Whittle foi feita para comparação com os resultados do Minelib, mas que não é algo usual, por ser uma lavra predatória e porque o uso de pilhas se mostra uma alternativa melhor.

Na tabela, podemos ver que todos os resultados são próximos e aceitáveis em termos de valor, se consideradas as incertezas futuras associadas a um projeto de mineração e os erros associados a outras etapas da preparação de dados e da avaliação econômica. 

Os resultados obtidos com uso do Whittle são próximos, mas variam de acordo com o usuário, dadas as decisões tomadas e testes definidos pelo mesmo ao longo das etapas. O SimSched apresentou o maior valor presente líquido para o projeto, dentre todas as tecnologias comparadas. 

Pode ser demonstrado que é impossível encontrar um sequenciamento com valor presente líquido acima de $911.7. O tempo de processamento de todas as etapas do Whittle (considerando apenas uma execução) e da etapa única do SimSched ocorreram, ambos, em menos de 5 minutos, em um laptop com processador Intel i7. Os tempos para execução do DIRECT-IP não foram publicados.

Já foram realizados testes comparativos com modelos de até 30 milhões de blocos e os tempos foram equivalentes. O SimSched já foi testado para modelos de até 240 milhões de blocos e rodou perfeitamente. Por outro lado o Whittle não suporta um modelo desse tamanho por ser 32 bits. Os tempos para preparação dos arquivos, testes e preenchimento de parâmetros não foram computados. 

Para o Whittle, foram necessários diversos testes em cada etapa, conforme reportado. O SimSched foi executado uma única vez. 

Vale ressaltar a simplicidade dessa base de dados e de seus parâmetros de sequenciamento. A competência de cada algoritmo e/ou software para obter resultados superiores varia caso a caso. Se considerado o uso de pilha de estoques com retomada ao final da vida útil da mina, o resultado obtido pelo SimSched representa 5% de aumento de valor para o projeto. Portanto, no artigo, os algoritmos para sequenciamento direto de blocos mostraram-se competentes para retornar soluções de valor econômico superior ao uso de técnicas tradicionais para casos não-operacionais. 

Finalizo aqui a série de vídeos sobre o artigo “Sequenciamento Direto de Blocos”. Qualquer dúvida sobre o artigo, gentileza entrar em contato com os autores. Você pode acompanhar outras séries de vídeos pelo site da MiningMath, nosso canal do YouTube  ou nas nossas páginas no Google Plus e no Facebook!

Um grande abraço e até uma próxima!
Shared publiclyView activity