Profile cover photo
Profile photo
Grupo Gradual
4 followers -
Ainda na década de 90, durante o curso de psicologia na PUC-SP, as futuras fundadoras do Grupo Gradual se identificaram com a visão de Homem e de mundo contida na abordagem comportamental, uma das vertentes e opção de ciência e aplicação na Psicologia. Na época, além de frequentarem as aulas regulares, trabalhavam em projetos de iniciação científica e monitoria, com o objetivo de aprimorar o conhecimento teórico em Análise do Comportamento. Conjuntamente, Cintia Guilhardi, Claudia Romano e Leila Bagaiolo se interessaram pelo trabalho científico e aplicado a crianças com desenvolvimento atípico a partir desta abordagem da psicologia, já muito desenvolvida nos Estados Unidos e Canadá, Embora nos EUA o trabalho da Análise do Comportamento com desenvolvimento atípico seja amplamente reconhecido desde a década de 70 – em alguns estados americanos, as famílias recebem fomento do governo para tratar seus filhos com essa abordagem – no Brasil, era um campo novo de atuação. Com a aproximação do final do curso de Psicologia, em 2000, as três colegas de universidade estavam motivadas pela chance de implantar um tratamento inovador e de qualidade reconhecida internacionalmente. Além disso, havia a possibilidade de continuar os estudos iniciados no curso e desenvolver novas pesquisas na área. Assim, as três fizeram o trabalho clínico em conjunto e os respectivos mestrados, também na PUC-SP. As decorrências naturais foram parcerias com médicos, participações em cursos, congressos e especializações na área por meio de Mestrados e Doutorados. Atualmente, faz parte do currículo da Gradual, quatro teses de doutorado concluídas, duas dissertações de mestrado (uma concluída e a segunda em andamento) e, também, uma iniciação científica concluída. Por meio das suas parcerias e de iniciativas pioneiras, o Grupo Gradual expressa seus valores éticos: o compromisso com a ciência, com a produção de conhecimento e com a formação de novos profissionais, além do interesse contínuo em viabilizar atendimento a pacientes carentes. Os trabalhos realizados juntamente com a Pontifícia Universidade Católica, São Paulo (PUC-SP) foram concretizados por meio de uma parceria formal entre as duas instituições. Esta parceria, especificamente com a Profª Drª Paula Gioia, resultou em uma das grandes frentes atuais de pesquisa da clínica: o desenvolvimento de um Protocolo para a Identificação de Risco Autístico em Bebês de 0-12 meses. Esta pesquisa está em andamento há três anos e publicou dois artigos referentes ao tema. A participação no Ambulatório de Cognição Social, da Unidade de Psiquiatria da Infância e da Adolescência da UNIFESP (UPIA), foi também uma grande parceria do Grupo. Atualmente, está sendo realizado um Estudo Multicêntico, que envolvem as instuições UNIFESP (Universidade Federal do Estado de São Paulo), IPQ-FMUSP (Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo) e Universidade Presbiteriana Mackienze na área do Transtorno do Espectro do Autismo, cujo título é Treino parental com vídeo modelação para a aquisição de habilidades sociais em crianças com autismo. Esta pesquisa apresenta uma forma vantajosa de ensinar pais e cuidadores no manejo de comportamentos e ensino de novas habilidades, através da vídeo modelação (vídeo modeling). Essa é uma técnica comportamental que utiliza gravações de cenas envolvendo comportamentos alvo para o aprendiz observar e aprender a realizar. Para finalizar o âmbito das parcerias conquistadas até hoje, a Gradual participa de encontros semanais no IPQ-FMUSP (Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo). Com a função de contribuir com o processo de diagnóstico e encaminhamentos dos pacientes recebidos pelo ambulatório, a Gradual realiza avaliações comportamentais. No âmbito clínico vale ressaltar que, atualmente, a Gradual atende famílias na cidade e no estado de São Paulo; além disso, atua em mais outros 13 estados brasileiros. Nos demais estados, são realizadas consultorias periódicas a depender da necessidade dos clientes, familiares e das respectivas escolas. Este tipo de atendimento exige que a equipe de terapeutas da Gradual se desloque até a cidade para realizar o acompanhamento do caso; também existe a possibilidade da realização de consultorias à distância, para o mesmo perfil de cliente, contando com o envio de material orientado antecipadamente pela equipe da Gradual, que inclui filmagem e folhas de anotações específicas. Considerando estas características e peculiaridades do método de trabalho da clínica foi escolhido um nome que simboliza os princípios filosóficos e resume a essência da atuação: Gradual.
Ainda na década de 90, durante o curso de psicologia na PUC-SP, as futuras fundadoras do Grupo Gradual se identificaram com a visão de Homem e de mundo contida na abordagem comportamental, uma das vertentes e opção de ciência e aplicação na Psicologia. Na época, além de frequentarem as aulas regulares, trabalhavam em projetos de iniciação científica e monitoria, com o objetivo de aprimorar o conhecimento teórico em Análise do Comportamento. Conjuntamente, Cintia Guilhardi, Claudia Romano e Leila Bagaiolo se interessaram pelo trabalho científico e aplicado a crianças com desenvolvimento atípico a partir desta abordagem da psicologia, já muito desenvolvida nos Estados Unidos e Canadá, Embora nos EUA o trabalho da Análise do Comportamento com desenvolvimento atípico seja amplamente reconhecido desde a década de 70 – em alguns estados americanos, as famílias recebem fomento do governo para tratar seus filhos com essa abordagem – no Brasil, era um campo novo de atuação. Com a aproximação do final do curso de Psicologia, em 2000, as três colegas de universidade estavam motivadas pela chance de implantar um tratamento inovador e de qualidade reconhecida internacionalmente. Além disso, havia a possibilidade de continuar os estudos iniciados no curso e desenvolver novas pesquisas na área. Assim, as três fizeram o trabalho clínico em conjunto e os respectivos mestrados, também na PUC-SP. As decorrências naturais foram parcerias com médicos, participações em cursos, congressos e especializações na área por meio de Mestrados e Doutorados. Atualmente, faz parte do currículo da Gradual, quatro teses de doutorado concluídas, duas dissertações de mestrado (uma concluída e a segunda em andamento) e, também, uma iniciação científica concluída. Por meio das suas parcerias e de iniciativas pioneiras, o Grupo Gradual expressa seus valores éticos: o compromisso com a ciência, com a produção de conhecimento e com a formação de novos profissionais, além do interesse contínuo em viabilizar atendimento a pacientes carentes. Os trabalhos realizados juntamente com a Pontifícia Universidade Católica, São Paulo (PUC-SP) foram concretizados por meio de uma parceria formal entre as duas instituições. Esta parceria, especificamente com a Profª Drª Paula Gioia, resultou em uma das grandes frentes atuais de pesquisa da clínica: o desenvolvimento de um Protocolo para a Identificação de Risco Autístico em Bebês de 0-12 meses. Esta pesquisa está em andamento há três anos e publicou dois artigos referentes ao tema. A participação no Ambulatório de Cognição Social, da Unidade de Psiquiatria da Infância e da Adolescência da UNIFESP (UPIA), foi também uma grande parceria do Grupo. Atualmente, está sendo realizado um Estudo Multicêntico, que envolvem as instuições UNIFESP (Universidade Federal do Estado de São Paulo), IPQ-FMUSP (Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo) e Universidade Presbiteriana Mackienze na área do Transtorno do Espectro do Autismo, cujo título é Treino parental com vídeo modelação para a aquisição de habilidades sociais em crianças com autismo. Esta pesquisa apresenta uma forma vantajosa de ensinar pais e cuidadores no manejo de comportamentos e ensino de novas habilidades, através da vídeo modelação (vídeo modeling). Essa é uma técnica comportamental que utiliza gravações de cenas envolvendo comportamentos alvo para o aprendiz observar e aprender a realizar. Para finalizar o âmbito das parcerias conquistadas até hoje, a Gradual participa de encontros semanais no IPQ-FMUSP (Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo). Com a função de contribuir com o processo de diagnóstico e encaminhamentos dos pacientes recebidos pelo ambulatório, a Gradual realiza avaliações comportamentais. No âmbito clínico vale ressaltar que, atualmente, a Gradual atende famílias na cidade e no estado de São Paulo; além disso, atua em mais outros 13 estados brasileiros. Nos demais estados, são realizadas consultorias periódicas a depender da necessidade dos clientes, familiares e das respectivas escolas. Este tipo de atendimento exige que a equipe de terapeutas da Gradual se desloque até a cidade para realizar o acompanhamento do caso; também existe a possibilidade da realização de consultorias à distância, para o mesmo perfil de cliente, contando com o envio de material orientado antecipadamente pela equipe da Gradual, que inclui filmagem e folhas de anotações específicas. Considerando estas características e peculiaridades do método de trabalho da clínica foi escolhido um nome que simboliza os princípios filosóficos e resume a essência da atuação: Gradual.

4 followers
About
Posts
Wait while more posts are being loaded