Profile cover photo
Profile photo
Isabela Amaro
150 followers
150 followers
About
Posts

Post has attachment
Bom dia à comunidade.
Cena do longa O Sapatinho Vermelho/ 1948
Direção: Michael Powel/ Emeric Pressburger
Atriz: Moira Shearer, interpretando a personagem Victoria Page.
Photo

Post has attachment
Simone Kermes / A. Scarlatti: Canta dolce il rosignolo/ária da da serenata "La gloria di primavera"
" Para mim sozinho o rouxinol
canta docemente nos vales sombrios
e para mim as flores da terra
com flores brancas, lírios e rosas."
Texto: Nicolò Giovo

Post has attachment
Händel: Menuet in g, HWV 434 (arr. W. Kempff) - Arthur Jussen
" Feliz, feliz Natal, que nos possa levar de volta às ilusões dos dias da nossa infância, recordar ao idoso o prazer da sua juventude, e transportar o viajante de volta ao seu lar tranquilo!"
( Charles Dickens)

Post has attachment
G.F. Handel - Addio, mio caro bene - Jakub Józef Orliński & Natalia Kawałek
Texto: Nicola Francesco Haym

Post has attachment
Arthur & Lucas Jussen - Sonatine - Bach | Podium Witteman in Carré

Post has attachment
Bela Bartok, pianist, plays his "Evening In Transylvania"

Post has attachment
G.F. Händel - "Scherza, infida" - Philippe Jaroussky - countertenor
ária da ópera Ariodante, de Handel.
Libreto anónimo em italiano, baseado na obra de Antonio Salvi.(Wik)
Fotografias de Hendrik Kerstens,
Na bela voz de Jaroussky revivemos a tristeza e o sofrimento do príncipe Ariodante e as dores ocasionadas por um grande amor.

Post has attachment
O let me weep (Purcell) - Jaroussky
Deixa-me chorar/Deixe-me chorar, chore para sempre.
Oh, deixe-me chorar para sempre!/Meus olhos não mais devem acolher o sono:/Eu vou me esconder da vista do dia
E suspiro minha alma./Ele se foi, sua perda deplora;
E eu nunca mais o verei./Deixa-me chorar! chore para sempre!

Post has attachment
J.C. Bach "Cara, la dolce fiamma". Philippe Jaroussky
Watercolor by William Turner - Grenoble Bridge (1824)
ária da ópera Adriano in Siria, libreto:Metastasio

Querido, a doce chama/da minha alma é você/
e nas minhas afeições/constante eu serei./
Serene seu belo cerne/seu longo rigor/o destino já mudou.

Post has attachment
Barbara Bonney; "Verborgenheit"; Hugo Wolf/ Eduard Mörike ( poema/ Recolhimento)
Deixe, ó mundo, deixe-me ser!/Não tente com presentes de amor/Deixe este coração guardar para si/Seu arrebatamento, sua dor!/Eu não sei porque eu lamento/É uma tristeza desconhecida;/Sempre através de um véu de lágrimas/Eu vejo a luz amada do sol./Muitas vezes, estou perdido em pensamentos/E flashes de alegria brilhantes/Através da escuridão opressiva,/Trazendo arrebatamento ao meu peito/.Deixe, ó mundo, deixe-me ser!/Não tente com presentes de amor/Deixe este coração guardar para si/Seu arrebatamento, sua dor!
Wait while more posts are being loaded