Profile cover photo
Profile photo
Baú Flutuante
446 followers -
Perfil oficial do Blog Inconsciente Flutuante no Google+.
Perfil oficial do Blog Inconsciente Flutuante no Google+.

446 followers
About
Baú Flutuante's posts

Post has attachment

Post has attachment
Translação
O quão denso é um buraco negro?   Venerado por Marte deus da guerra Cultuado por Vênus deusa do amor Um Sol entregue ao próprio ego irracional, se perde em si mesmo obsoleto, se desfaz por dentro aspirando um vazio de sentimento Tudo se materializa em sauda...

Post has attachment

Post has attachment

Post has attachment
O homem, a pá e a árvore
Naquele restinho de madrugada fazia um frio razoável e o vento soprava de modo que o agasalho já não dava mais conta. A cidade ainda estava dormindo e a sombra das árvores se misturavam umas com as outras sufocando os poucos raios de luz existentes. Naquele...

Post has attachment

Post has attachment
Ou quase...

Nossas assas de cera
sob o Sol escaldante.

Para amenizar a sede
um vampiro sem saída
dá na própria língua 
uma mordida: sangue.

De ex-morador, antes,
à mera visita, agora.
Dessas que não sabe
se vai ou se demora
que amarra o cavalo
e o esquece na porta
sob o tempo de chuva.

Os perigos eminentes,
a vida como jogatina.
O condutor negligente
com a faixa contínua.

Ver do segundo andar
as cenas da sua vida,
e a vontade de pular,
involuntário suicida.

O fracasso, ou quase...

A piscina muito rasa,
aquela cerveja quente,
o feriado na quarta,
a bola indo na trave.

A Luz em falta quando
se está num bom banho.
A bateria por um fio,
o torpedo não enviado.

Ser o segundo melhor
(do mundo) e ter ainda
os melhores segundos
vividos na minha vida.

É se sentir vencedor
e terminar perdendo.
É se sentir inteiro
e quando faltar algo
me olhar como único
e me sentir muitos
dentro de mim mesmo.

...

Post has shared content
Ou quase...
Nossas assas de cera sob o Sol escaldante. Para amenizar a sede um vampiro sem saída dá na própria língua  uma mordida: sangue. De ex-morador, antes, à mera visita, agora. Dessas que não sabe se vai ou se demora que amarra o cavalo e o esquece na porta sob ...

Post has attachment
Ou quase...
Nossas assas de cera sob o Sol escaldante. Para amenizar a sede um vampiro sem saída dá na própria língua  uma mordida: sangue. De ex-morador, antes, à mera visita, agora. Dessas que não sabe se vai ou se demora que amarra o cavalo e o esquece na porta sob ...

Post has attachment
Wait while more posts are being loaded