Profile cover photo
Profile photo
ecoadubo
6 followers -
Nutrição Orgânica Saudável para Plantas
Nutrição Orgânica Saudável para Plantas

6 followers
About
Posts

Post has attachment
12 dicas para lidar com as crises alérgicas durante a primavera
A estação mais colorida do ano vira a vilã de quem sofre com o pólen das flores; aprenda a se proteger.
A primavera está aí e para quem sofre com alergias, principalmente as respiratórias, a chegada da nova estação preocupa. É que apesar de enfeitarem as cidades, há quem veja as flores como vilãs, por causa de um fenômeno típico da estação: a liberação do pólen. Isso pode desencadear várias reações nas pessoas, como obstrução nasal, coriza, coceira no nariz e demais vias aéreas, conjuntivite e lacrimejamento, rouquidão e tosse, além de dores de cabeça. Em casos mais severos, há quem perca o apetite, fique mais irritado e até mesmo tenha a capacidade de concentração reduzida. Por isso é preciso ficar atento a algumas situações que podem facilitar a vida nesse período.

O médico otorrinolaringologista da Paraná Clínicas, Yasser Jebahi, explica que essa alergia relacionada ao pólen é mais comum na região Sul do país. “A rinite pode ser desencadeada por mudanças bruscas de temperatura, fator comum no Sul, e pelo ar frio e seco também”. Ele alerta ainda, para outros fatores que podem contribuir com as alergias nessa época do ano, independente do lugar que se viva no país: os ácaros do pó domiciliar, fungos, a quantidade reduzida de ventilação, tipo de piso (carpetes e tapetes), colchões e travesseiros. Pensando nisso, ele listou para o Sempre Família alguns cuidados que podem te ajudar na prevenção de crises:

Mantenha o quarto bem ventilado e ensolarado;



Não utilize travesseiro e colchão de pena. Dê preferência aos de espuma e limpe o estrado da cama duas vezes por mês;


Não utilize tapetes, carpetes, cortinas. Prefira os pisos laváveis (cerâmica e madeira), e cortinas do tipo persianas ou de material que possa ser limpa com pano úmido;


Evite ter bichos de pelúcia, livros, revistas e caixas de papelão no quarto de dormir;


Observe periodicamente a umidade de sua casa. Uma solução de ácido fênico entre 3% e 5% ou solução diluída de água sanitária podem ser aplicadas nos locais mofados;


Não utilize vassouras, espanadores e aspiradores de pó́. Se possível, opte por passar pano úmido diariamente na casa;


Evite o contato com animais de pelo e pena, especialmente no quarto e na cama;


Não armazene lixo dentro de casa;


Evite talcos, perfumes e desodorantes, principalmente na forma de spray;


Não fume dentro de casa e nem do carro;


As roupas de cama e cobertores devem ser lavadas e secas ao sol ou ar quente antes do uso;


A temperatura ideal da água para o banho é a temperatura natural. Evite banhos muito quentes.

E se você tem filhos pequenos em casa fique atento às infecções de vias aéreas associadas a quadros de alergia. Caso os sintomas persistam, é importante procurar um médico para afastar possíveis alterações do sistema imune e iniciar um tratamento específico para cada caso. Os idosos também precisam estar bastante atentos. A escolha da medicação para essa faixa etária tem de ser feita por um especialista, porque complicações como retenção urinária, elevação de pressão arterial e interação com outras medicações podem acontecer.
Fonte: SempreFamilia
Add a comment...

Post has attachment
Public
A planta certa para cada canto da sua casa
Plantas de interior deixam qualquer casa mais aconchegante. No entanto, há tanta diversidade de plantas que pode ser difícil escolher aquela ideal. Para acabar com dúvidas, escolhemos 3 plantas para 5 cômodos diferentes. Elas não só deixarão sua casa mais bonita, mas também trarão outros benefícios.
Banheiro


Palmeira-ráfis limpa o amoníaco do ar, o que é especialmente útil após lavar o banheiro com produtos químicos fortes.
Aglaonema vermelha elimina do ar o formaldeído, encontrado em produtos cosméticos. O melhor lugar para ela é perto do chuveiro.
Hera europeia absorve o dióxido de carbono de forma mais eficiente que outras plantas, além de livrar o ar de toxinas, formaldeído e metais pesados.

Dormitório


Espada-de-são-jorge libera oxigênio à noite e livra o ar das toxinas, o que melhora a qualidade do sono.
Lírio-da-paz absorve muito bem as toxinas industriais e domésticas (acetona, benzeno, amoníaco). Especialmente útil após reformas na casa, quando o ar fica carregado com substâncias nocivas.
Orquídea-borboleta uma planta com flores lindas. Combate o tolueno presente no ar.

Dormitório infantil


Pé de café é um filtro natural. Ele retira o benzeno, o formaldeído, o fenol e o tricloroetileno presentes no ar.
Hibisco cria um microclima favorável. Os fitocidas emanados pela planta purificam o ar, fazendo com que outras plantas ao redor tornem-se mais saudáveis e menos sujeitas a doenças.
Ciclame permite o combate à insônia, síndrome do cansaço crônico, depressão e irritabilidade.

Sala


Canção da Índia livra o ar do formaldeído (presente em tintas, acabamentos de pisos e cortinas) e do benzeno (encontrado em corantes e fibras sintéticas).
Clorofito combate os formaldeídos liberados por automóveis e fumaça de cigarro, purificando e umidificando o ar.
Ficus benjamina combate o benzeno, o tricloretileno (presente em detergentes, colas e várias outras substâncias) e o fenol.

Cozinha


Aloe Vera (babosa) elimina o benzeno (encontrado em detergentes) do ar e o formaldeído (presente nas superfícies de móveis envernizados e em acabamentos de diversos pisos).
Jasmin de Madagascar melhora o ar na cozinha. Quando bem cuidado, brinda o ambiente com flores brancas durante o ano inteiro.
Violetas africanas têm a fantástica capacidade de afastar as formigas da sua casa.

Fonte: IncrivelClub
Add a comment...

Post has attachment
Public
10 coisas que talvez você não saiba sobre a primavera
Mais flores no ambiente é apenas uma das várias mudanças que a estação traz.
A Primavera enfim chegou deixando para trás os dias cinzentos do inverno. Durante os próximos três meses, aproximadamente, as cidades serão tomadas pelo colorido e pelo perfume das várias flores que nascem nessa estação. É o anuncio de que o verão está por vir também. Os dias passam a ser mais longos, as temperaturas são mais amenas, os níveis de chuva também aumentam consideravelmente em várias regiões do Brasil, mas no Nordeste a estiagem toma conta. Abaixo trazemos essas e outras curiosidades sobre a nova estação que se inicia neste dia 22 de setembro de 2017.

1) A palavra primavera tem origem no latim e quer dizer princípio da boa estação (primo vere). Há muito tempo, o ano era dividido em apenas duas partes: veris que significa bom tempo e hiems, mau tempo. Foi a partir do século 17 que os estudiosos separaram em quatro estações.

2) A primavera, assim como o outono, tem seu início no dia em que os dois hemisférios da Terra recebem a mesma quantidade de sol fazendo com que a noite e o dia tenham a mesma duração de 12 horas cada. Isso se chama equinócio. Conforme os dias da nova estação passam, eles se tornam mais longos e as noites mais curtas.
3) Há mais de 4 mil anos os chineses celebram a chegada da estação das flores, em seu hemisfério, com a Festa da Primavera. As comemorações começam no dia 23 de dezembro e terminam em 15 de janeiro, aproximadamente, quando é chegado o ano novo lunar que conclui as festividades.
4) Os pássaros que vivem em lugares frios procuram regiões mais quentes no inverno. A volta só acontece na primavera, quando o local onde estão também começa a esfriar e eles entendem que voltando para casa, eles terão alimento e abrigo para todos.
5) Na primavera os dias passam a ser mais longos e as plantas, que são bastante sensíveis às mudanças de luz, temperatura e umidade, acumulam energia necessária para abrirem suas flores.
6) Rosa, girassol, margaridinha, orquídea, jasmim, hortênsia, helicônia, alamanda, clívia, gérbera, hibisco, gazânia, jasmim-estrela, lágrima-de-cristo, boca-de-leão, crisântemo, frésia, estefânia, narciso, violeta, dedaleira, dama-da-noite, são as principais flores da estação.
7) Durante a primavera, muito além de enfeitarem, as flores são responsáveis pela reprodução de mais de 230 mil espécies de plantas floríferas
8) Na primavera do hemisfério sul, os oceanos ainda estão frios e vão aos poucos aquecendo, fazendo a estação ter temperaturas mais amenas. Já do hemisfério norte, que tem uma maior parte continental, quando é chegada a primavera, as temperaturas costumam aumentar mais rapidamente.
9) É hora de acordar! Durante todo o inverno, os animais hibernantes como morcegos, ouriços e esquilos entram em um sono profundo para poupar energia. Por isso, quando a primavera chega é como se um despertador avisasse para esses animaizinhos que é tempo de sair de casa.
10) É durante a primavera que os efeitos do El Niño são mais fortemente sentidos aqui no Brasil, com o aumento das chuvas no Centro-Oeste e Sudeste, e intensificação da estiagem no Nordeste.
Fonte: SempreFamilia
Add a comment...

Post has attachment
Public
Veja os 10 jardins mais lindos do mundo.
Jardim de Monet na França e Jardim Botânico de Curitiba estão entre as maravilhas.
A National Geografic selecionou os 10 jardins mais lindos do mundo para se visitar.
A lista está no livro National Geographic Four Seasons.



São locais impecáveis como o Butchart Gardens, Canadá, na foto ao lado. Veja os demais e saiba como programar sua visita.

Com flores coloridíssimas, o Butchart Gardens torna-se passeio imperdível durante sua visita a Brentwood Bay, Colúmbia Britânica, no Canadá.

Na viagem a Nova York, de metrô você chega ao Brooklyn. Lá, não deixe de visitar o Brooklyn Botanic Gardens.

Curitiba (PR) é a representante brasileira da lista. O Jardim Botânico do local é imperdível.

Sete milhões de tulipas te espera no Keukenhof, na Holanda, no sudoeste de Amsterdã. O jardim é considerado o maior jardim de flores do mundo. Vale ou não a visita?

As mais famosas pinturas de Claude Monet foram inspiradas em seu jardim. O mestre impressionista cultivava flores em sua casa no noroeste de Paris.

A famosa ponte francesa Bridge in Monet’s gardens aparece em muitos filmes hollywoodianos e está no Jardim de Monet.

Na Itália, as paisagens maravilhosas chegam a ser covardia. O Jardim Villa d’Este, Itália vai te deixar de boca aberta.

Villa d’Este é um palácio da Itália situado em Tivoli, próximo de Roma. Programe o passeio.

Flores exóticas podem ser o grande diferencial de Kirstenbosch, na África do Sul.

O jardim Kirstenbosch fica na Cidade do Cabo, na África do Sul – sanbi.

Orquídeas maravilhosas você encontra em Seychelles National Botanical Gardens. Descubra onde fica o paraíso.

As ilhas Seychelles ou República das Seicheles, localiza-se no Oceano Índico, a norte e nordeste de Madagáscar. Além do lindo jardim, as águas cristalinas vão te hipnotizar.

No jardim kenroku-en, no Japão, você vai var como a fama de organizados e caprichosos dos japoneses realmente tem razão de existir.

O local fica em Kanazawa, no centro do Japão.

Fonte: R7
Add a comment...

Post has attachment
Public
Flores fáceis de plantar e cuidar
Sabemos que o “Outono é sempre igual, as folhas caem no quintal”, mas a primavera pode ser diferente. E é com esse lindo trecho de um clássico da música brasileira que começamos o texto de hoje, no qual falaremos dela, a estação que com um clima mais ameno (em tese, pré aquecimento global) nos dá um refresco entre o inverno e o verão – a estação das flores. Mas vamos às plantinhas maravilhosas, que alegram, colorem, energizam e contribuem com um dia a dia melhor, com um ar mais puro,  e com a vida das abelhas, fundamentais pra nossa existência.
Com tanta correria, trabalho, amores, estudos e por aí vai, acabamos por permanecer “só na vontade” de ter plantinhas, mas e o receio de ter mais trabalho? O que nos resta é ficar apenas com as suculentas que nos dão como lembranças de casamento, certo? Errado! Existem outras inúmeras plantinhas que dão tão pouco trabalho quanto as recebidas nos casórios. Anote aí:
 Bromélias

Lindas, né? Elas podem colorir em tons de verde, vermelho e rosa. Gostam de luz indireta ou artificial e pouca água. Pronto, com um gasto médio de R$ 25,00 e pouco trabalho, você já pode dar outro clima ao apê ou até mesmo ao escritório. Aqui o cuidado é não deixar água parada, porque a gente luta contra a epidemia de dengue, não é mesmo?
Planta de Jade

Conhecida também como a planta do dinheiro e da longevidade, por durar muitos anos, ela faz parte da família das suculentas e requer luz solar direta – podendo ficar na janela. Na hora de regar, encharque a terra e molhe as folhas para retirar a poeira. Esse procedimento pode ser feito de duas em duas semanas ou quando você perceber que a coitada está com sede – terra seca.
 Violetas Africanas

Ótima opção para interiores, elas precisam de luz solar indireta. Apesar de não exigirem muita água, gostam de um ambiente úmido, que pode ser formado por um recipiente com pedrinhas molhadas. Quando for preciso limpar as folhas e flores, utilize pano ou pincel. Cuidado com água em excesso para não mofar as coitadas.
 Espada de São Jorge

Sim, está super in  de novo! De origem africana e chamada também de espada-de-santa-bárbara, é popularmente conhecida por espantar mau-olhado. A planta consegue se adaptar tanto ao ambiente com baixa luminosidade quanto ao com luz intensa. Além de tudo, dá um charme especial e sofisticado em qualquer espaço.
 Flor-de-maio

Apesar da aparência sensível e delicada, a flor-de-maio trata-se de uma plantinha forte e que exige pouco para florescer. Gosta de lugares bem iluminados, porém sem luz direta. Regue apenas uma vez por semana.
Listamos aqui algumas das plantinhas que você pode ter em casa, no apartamento, no conjugado ou no trabalho. Outras como orquídea borboleta, Dracena-de-Madagascar, buxo de interior e muitas poderiam entrar na lista. Então já sabe, esqueça a casa grande com metros quadrados quilométricos para ter um jardim. O seu jardim quem faz é você! Solte a imaginação e alegre o ambiente!

Mas a gente dá mais uma dica: caixotes e móveis antigos podem ser grandes e charmosos aliados na criação e organização desses cantinhos verdes. Vale tudo, é soltar a criatividade!

Ah, e sabe aquele papo de não querer ter trabalho? Esqueça também. Com o passar dos dias você quer é ter mais tempo para olhar e perceber o quanto elas evoluíram. Observe quando for necessário a troca de terra, nutrientes e vasos, as mantenha bem pelas quatro estações. E se já estiver no nível avançado da coisa, pegue o humus e o chorume da sua composteira doméstica que aí é flor garantida o ano todo!
Fonte: Menos1Lixo
Add a comment...

Post has attachment
Public
3 Dicas de como cuidar das Orquídeas após a floração
As flores da minha orquídea murcharam. O que fazer?
Esta é uma pergunta que muitos iniciantes se fazem, após o término da floração de uma orquídea. É importante deixar bem claro que este processo não significa que a planta esteja doente, nem que vá morrer. As flores se vão, mas a orquídea continua viva e florescerá novamente, geralmente dentro de um ano. Basta continuar cultivando a planta com os cuidados básicos de iluminação, ventilação, adubação e umidade.

Haste floral: corto ou não corto?
A grande maioria das orquídeas não volta a florescer na mesma haste floral. Após as flores murcharem e caírem, a haste seca naturalmente e pode ser cortada. Este é um procedimento apenas estético.
A orquídea Phalaenopsis é uma exceção a esta regra. Neste caso, após o término da floração, a haste pode continuar verde e emitir uma nova floração, através de ramificações do eixo principal. Além disso, podem surgir novos brotos na haste antiga, denominados kekis (palavra havaiana que significa bebê).
Período de descanso
Ainda no caso da orquídea Phalaenopsis, há quem prefira cortar a haste floral bem rente à base, após o término da primeira floração. Desta forma, a orquídea não vai gastar energia com novas florações secundárias. Irá desenvolver folhas e raízes, ficando fortalecida para a produção de uma haste floral inteiramente nova, no ano seguinte. Desta forma, a floração vem mais completa e abundante.
Fonte: OrquideasNoApe
Add a comment...

Post has attachment
Public

3 Cuidados com as Orquídeas na chegada da Primavera
Proteção contra o sol direto
Com o aumento da intensidade dos raios solares sobre as orquídeas, na transição do inverno para a primavera, é preciso tomar cuidado para que não ocorram queimaduras nas folhas, que podem levar a planta à morte.
O uso de tela de sombreamento, o popular sombrite, é recomendável. Cada orquídea possui uma tolerância diferente em relação à insolação. Desta forma, a porcentagem de sombreamento da tela deve ser ajustada de acordo com as espécies e gêneros cultivados. De modo geral, 50% de sombreamento é adequado para a maioria das orquídeas epífitas.




Ajuste na frequência das regas
Durante o inverno, a tendência é que reguemos as orquídeas com menos frequência, devido às baixas temperaturas, menor evaporação e consumo reduzido de água por parte das plantas, que em muitos casos encontram-se em dormência.
Com a chegada da primavera e o aumento do calor, é necessário regar com mais frequência, porém, sem excessos. O ideal é verificar diariamente o nível de umidade do substrato, afundando levemente o dedo no material de cultivo, assim como o peso do vaso. Apenas quando o mesmo estiver leve, e o substrato seco, a rega será necessária.

Retomada da adubação
Nas ocasiões em que temos orquídeas floridas e durante o período de dormência, a adubação não é necessária. Em muitos casos, é comum que a adubação seja diminuída ou mesmo interrompida durante os meses do inverno.
Geralmente, é durante a primavera que observamos o surgimento de novas frentes, novos brotos em nossas orquídeas. O aumento da temperatura e a aceleração do metabolismo das plantas nos obriga a redobrar os cuidados com a adubação, que deve ser balanceada e adequada ao estágio de desenvolvimento de cada orquídea.

Fonte: Plantei
Add a comment...

Post has attachment
Public
Saiba mais sobre a Orquídea Dendrobium
Ela pode ser encontrada até em supermercados, o ano todo, mas é na primavera que a orquídea Dendrobium explode em flores por todo o país.
Embora seja de origem asiática, esta orquídea popularmente conhecida como olho de boneca adaptou-se muito bem ao clima brasileiro. É bastante comum vermos imensas touceiras de Dendrobium nos troncos das árvores, até mesmo em áreas bastante urbanizadas.
Apesar da enorme diversidade de espécies dentro do gênero Dendrobium, a variedade comumente encontrada no mercado é híbrida, descendente do Dendrobium nobile. Sua principal característica é o pseudobulbo em forma de cana, que perde todas as folhas quando atinge a maturidade.

 
Sobre a rega da Dendrobium
De modo geral, para que a orquídea Dendrobium floresça bem agora, na primavera, é necessário que as regas tenham sido diminuídas drasticamente na estação anterior, o inverno. As baixas temperaturas, aliadas a um clima mais seco e à interrupção da adubação, causam o chamado stress hídrico, processo que desencadeia o sinal para que a orquídea dê flores na estação seguinte.
Fonte: OrquideasNoApe
Add a comment...

Post has attachment
Public
Plantas que você pode cultivar em um copo com água
Plantas de interior deixam nossas casas muito mais acolhedoras e bonitas. Mas, infelizmente, nem todo mundo tem paciência e tempo para cuidar de um jardim. Se você não gosta de sujar as mãos com terra, existem alguma plantas que podem ser cultivadas na água.



Alho


Se você colocar os dentes de alho na água eles brotarão e os novos podem ser usados para comer.


Repolho chinês


A parte interior do repolho chinês pode servir para você cultivar um repolho novo. Para isso, basta colocar um pedaço em uma pequena quantidade de água. 

Cebolinha


Um copo com água e algumas cebolinhas: isso é tudo o que você precisa para cultivar cebolinhas frescas. 


Cenoura


A parte superior das cenouras fica cheia de folhas novas se você as colocar em um pote com água. Esses brotos são comestíveis. 

Alho poró


Para cultivar alho poró em casa corte o vegetal como na imagem, coloque em um recipiente com água.


Hortelã


Você pode cultivar hortelã para preparar chás, doces e até mesmo saladas. É muito fácil de plantar, basta mergulhar as raízes na água.

Manjericão


Você não precisa mais ir ao supermercado sempre que quiser umas folhas de manjericão, basta cultivar em um copo com água.


Alecrim


Para cultivar alecrim na sua cozinha basta mergulhar alguns raminhos em água e esperar que as raízes comecem a nascer. Nessa posição o alecrim pode durar muito tempo, mas, quando a planta começar a crescer, você terá de retirar da água e plantar em um vaso.



Tulipas


Muitas pessoas acham que as tulipas crescem apenas em vasos com terra, mas isso não é verdade. Basta colocar a planta como na imagem, em uma pequena quantidade de água, e esperar o resultado.

Aguapé


É uma planta aquática que, além de pouco exigente, é linda.

Jacinto


Essas lindas flores também podem ser cultivadas em água. Para isso, eles devem ser colocados em um vaso com pedras e uma pequena quantidade de água. Na hora do cultivo, cuidado com a iluminação.

Amaryllis


Outra linda planta que pode ser cultivada sem terra. Para isso, basta um vaso, pedras e um pouco de água.


Cyperus


Essa planta parece uma pequena palmeira e também pode ser cultivada na água. O importante é que ela não fique seca nunca.

Isolepis


Essa planta fica incrível em vasos altos. É uma das variedades aquáticas mais bonitas que existem. 


Bambu


O bambu cresce super rápido e pode ser adaptado ao formato que você quiser. Existem vários tipos que podem ser mantidos em ambienter interiores. 

Epipremnum aureum (Potus)


Essa planta costuma ser encontrada em vasos comuns. Não obstante, ela também funciona super bem na água. É uma planta com muitas folhas que não requer cuidados especiais. Além disso, e perfeita para decorar paredes.


Aglaonema


Aglaonema não é uma planta aquática e ela costuma preferir vasos com terra. Se você não tiver pressa que ela cresça, ela pode ser cultivada na água. As folhas são super bonitas. 

Suculentas e cactus


Claro que essas plantas não são aquáticas e o excesso de água as pode matar. É justamente por isso que elas são tão populares. O cuidado mais importante engloba o seguinte conceito: é melhor regar menos do que mais.


Tillandsia


Essa planta exótica não apenas não precisa de terra como é capaz de viver sem água durante muito tempo. Para que ela cresça, basta apenas ar úmido.

Fonte: IncrivelClub










Add a comment...

Post has attachment
Public
Vida e cor para os jardins
Conheça as características do Hibisco e saiba onde e como plantá-lo.


Quem gosta de um jardim bonito e colorido deve conhecer o Hibisco. Esta planta, originária da Ásia Tropical, foi eleita a flor nacional da Malásia e do Havaí.
Quais são as características do Hibisco?

Altura: de 3 a 5 metros;
Flores: grandes (do tamanho de uma mão), que podem ser encontradas nas cores: vermelha, amarela, rosa, multicolorido, etc. Lembrando que suas flores duram de 1 a 2 dias, mas são numerosas;
Caule: com textura lenhosa – por isso pode crescer e ficar parecido com uma pequena árvore;






O Hibisco é um arbusto que produz flores grandes e de beleza formidável.



Onde podemos plantar Hibiscos?
Devido às suas características, o Hibisco é indicado para ser plantado em vários locais:

em volta de piscinas
formando cercas vivas
junto a grades e muros
em vasos



É possível trabalhar o paisagismo combinando Hibiscos, pedras ornamentais e argila expandida, como nestes exemplos.

Podemos cultivar o Hibisco como cerca viva.
Como cultivar Hibiscos
Esse tipo de planta não necessita de muitos cuidados e é de fácil plantio. Sendo de origem asiática, o hibisco precisa de muita luz para crescer – ele gosta e precisa de muito sol: de 4 a 6 horas diárias, podendo ficar com luz indireta no resto do tempo.
Cresce muito bem em climas equatorial, subtropical, temperado e tropical. Nos lugares de clima quente, com temperaturas acima de 10ºC, ele floresce o ano todo. Adapta-se também nas regiões à beira mar, em solos arenosos e argilosos, suportando muito bem a salinidade.
Em áreas frias, a variedade de hibisco mais flolhosa se adapta melhor. Suas flores surgem em menor número, mas duram mais tempo.
Como podem viver por muitos anos (alguns chegam a 40 anos), é importante que sejam plantados em locais onde possam crescer e se desenvolver sem problemas.
 Tipos de Hibiscos
Existem mais de 300 espécies de Hibisco e por isso vamos abordar os tipos mais comuns, os que mais são utilizados nos jardins brasileiros. São eles:

O Hibiscus rosa-sinensis de folha perene: produz grandes flores e pode chegar a 5 metros de altura. Tem como curiosidade ser chamado de “graxa-de-soldado” e “graxa-de-estudante”, recebendo esses nomes por suas folhas serem usadas para engraxar sapatos (quando esfregadas sobre o couro, deixam o mesmo com aspecto lustroso). As que possuem pétalas de forma simples, podem durar apenas 24horas e as com pétalas dobradas, chegam a durar dois dias. Quando em ambiente quente e úmido, podem florescer o ano todo, principalmente na primavera e no verão.
O Hibiscus syriacus de folha caduca: também chamado rosa de Sharon, é um arbusto que cresce muito rápido se plantado em locais ensolarados e férteis; com muitos ramos e folhas escuras serrilhadas, floresce com flores vistosas. Suas pétalas são simples ou dobradas ao longo dos ramos.

Os hibiscos podem ser classificados pelas pétalas de suas flores:

Singelas – cujas flores tem 5 pétalas sobrepostas e separadas;
Semidobradas – as flores vem do centro e possuem mais de 3 pétalas;
Dobradas – possuem mais de 5 pétalas que vem do centro;
Miniaturas – as flores são simples ou dobradas com menos de 5 cm de diâmetro.

Cores
Os Hibiscos florescem quase o ano todo, principalmente na primavera e no verão. Dependendo da espécie e tipo, suas flores exuberantes, com seus estames proeminentes, vão dos tons mais claros até os mais escuros, podendo ter as seguintes tonalidades: branco, rosa claro, rosa escuro, salmão, amarelo, laranja, vermelho, vermelho escuro. Os pés possuem vários botões que vão se abrindo em sequência, proporcionando a cada dia um espetáculo de cores.


Como Plantar o Hibisco
A melhor época para se plantar ou reproduzir um Hibisco é na primavera ou no final do mês de fevereiro.
Ele poderá ser plantado através de semente (que leva muito tempo para crescer e tem a grande a possibilidade de falha) ou por estaquia, alporquia e mergulhia, sendo a estaquia o método mais recomendado.
No entanto, o mais comum é adquirir as mudas em floriculturas, onde se pode escolher tamanho, cor e variedade.
Uma distância ideal entre um pé e outro é de 60cm a 90cm. Após ser plantado, precisará ser regado todos os dias; ele deverá permanecer úmido, mas não encharcado. Durante o verão, e se na sua região fizer muito calor, é bom regar duas vezes ao dia. No inverno, quando o sol e o calor são mais amenos, regar apenas quando o solo estiver muito ressecado. Eles sofrem mais com o excesso de água do que por falta da mesma.
Para que tenha uma floração cada vez mais exuberante, é necessário que receba adubação periódica, mesmo tendo sido plantado em solo fértil.
A adubação é feita uma vez por ano; isso o ajudará a se manter protegido contra ataques de pragas.
 A Poda
O Hibisco é uma planta que necessita de uma poda anual, pois esse corte ajuda no crescimento e aumenta o aparecimento de flores. O melhor período é no final do mês de maio, onde os galhos deverão ser cortados perpendiculares ao caule, no sentido diagonal, reduzindo pela metade o seu tamanho.
Assim serão eliminados galhos secos, partidos, doentes, fracos, tortos demais e flores murchas. Através da poda também é possível corrigir a assimetria para melhorar a aparência.
Essas correções estimulam a regeneração da planta.
Quando não podado, com o passar dos anos, o hibisco acaba adquirindo o formato de uma árvore.
 Doenças e pragas do Hibisco
Como toda planta, o Hibisco está sujeito há algumas doenças e pragas. Entre as mais comuns estão:

Manchas nas folhas: são fungos que atacam as folhas deixando-as com uma cor castanha. As folhas doentes devem ser retiradas e depois queimadas. O próximo passo será aplicar o devido fungicida.
Podridão cinzenta: quando o ambiente é muito úmido e o hibisco está com muitas folhas, dificultando o arejamento, o mesmo poderá ser atacado por um fungo chamado Botrytis cinérea. Resolve-se com fungicida.
Ferrugem: geralmente as folhas e ramos novos podem ser atacados pela ferrugem. Deve ser usada pulverização com cobre para combatê-la.
Podridão das raízes: onde existe umidade excessiva, poderão aparecer fungos que irão apodrecer as raízes.
Também poderá ser atacado por pulgões, cochonilhas, ácaros, mosca branca, devendo ser aplicado o fungicida especifico para combatê-los.

Fonte: CliqueArquitetura
Add a comment...
Wait while more posts are being loaded