Foto da capa do perfil
Foto do perfil
Dr Antonio Viola
7 seguidores -
Médico Psiquiatra e Psicanalista
Médico Psiquiatra e Psicanalista

7 seguidores
Sobre
Comunidades e Coleções
Ver tudo
Postagens

A postagem tem anexo
Quando se fala em psiquiatria é comum imaginar um paciente falando sobre sua vida, deitado em um divã enquanto alguém faz anotações sobre os desabafos, no entanto, essa é uma visão irreal da consulta. A psiquiatria é uma especialidade que ainda gera alguma confusão, por isso é comum que muitas pessoas possuam dúvidas sobre como funcionam as consultas.
Em primeiro lugar, é válido lembrar que o psiquiatra é um especialista médico, desta forma, uma consulta psiquiátrica tem muitos aspectos em comum com consultas médicas em geral e passa pelas seguintes fases:
Anamnese: Este é o momento inicial da consulta em que os médicos colhem uma história clínica. Esta história deve ser detalhada e pode levar tempo. Muitos aspectos devem ser avaliados, entre eles, os relacionamentos pessoais e familiares, a profissão, as atividades de lazer e a rotina do paciente. A partir daí, o psiquiatra inicia uma investigação sobre os sintomas e queixas que foram informadas para que possa continuar o tratamento de maneira mais precisa.
Exame físico: O psiquiatra também realiza exames físicos, avalia o sistema cardiovascular e a pressão arterial, pois alguns medicamentos podem interferir. A partir das queixas do paciente, o psiquiatra também pode pedir exames mais detalhados.
Exame psíquico: Na prática, este exame começa quando o paciente entra no consultório. Ele consiste em observações cuidadosas dos aspectos comportamentais, discurso, pensamentos, variações de humor, concentração e outros. O exame psíquico pode ser complementado por meio de testes, escalas e questionários.
Exames complementares: O psiquiatra também solicita exames para complementar ou excluir diagnósticos. O profissional também é responsável por diferenciar condições patológicas que podem estar ligadas a quadros mentais ou emocionais.
A frequência das consultas varia de acordo com cada paciente, no entanto, é importante ser acompanhado pelo psiquiatra até o momento da alta.
No decorrer do tratamento, o uso de medicamentos é iniciado, juntamente da psicoterapia e de orientações sobre comportamento e estilo de vida.
Os medicamentos devem ser utilizados de acordo com as prescrições médicas para que não haja risco de dependência ou mal-estar.
No caso da psicoterapia, o psiquiatra pode realizar a psicoterapia ou encaminha o paciente a um psicólogo e estas consultas acontece simultaneamente com as consultas psiquiátricas gerando, assim, melhores resultados ao tratamento.
Foto

A postagem tem anexo
PSIQUIATRA: QUANDO DEVO PROCURAR UM ?

É frequente ver pessoas procurando médicos quando sentem alguma dor física ou estranhezas em seu corpo, elas se medicam e tratam o problema. Mas e quando a dor vem da mente? Não é tão comum ver pessoas que sofrem com oscilações constante das emoções, raiva e longos períodos de tristeza procurando um psicólogo ou um psiquiatra.
Apenas uma pequena parte da população procura ajuda profissional para lidar com questões de saúde mental. O que a maioria não sabe é que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma entre quatro pessoas é afetada por problemas de origem neurológica ou mental no decorrer de sua vida.
Transtornos mentais são causados por múltiplos fatores, entre eles um desequilíbrio nos neurotransmissores, que funcionam como reguladores de humor, controladores do sono, do estresse e demais áreas importantes para a saúde do corpo e da mente. Portanto, procurar um psiquiatra ou um psicólogo deve ser tão natural quanto procurar médicos das demais áreas.
Abaixo, listamos 5 sinais que merecem atenção e pelo menos um check-up com seu médico. Confira:
1. Oscilação de humor: De acordo com a OMS, transtornos de humor são a segunda doença mais prevalente entre todos os transtornos mentais. É importante observar quando a mudança de humor deixa de ser natural e passa a ser desproporcional. Fique atento ao seu nível de irritabilidade ou de frustração. Neste transtorno, é comum ficar carregado de emoções e ter dificuldade para sair desse estado. É essencial observar quando as alterações de humor deixam de ser naturais e causadas pelo ambiente e tomam enormes dimensões, causando sofrimento e prejuízos social.
2. Dor inexplicável: Sentir dor é a maneira que o corpo encontrou para enviar sinais físicos na tentativa de avisar que há um problema de saúde mental se aproximando. Esse alerta virá na forma de sintomas físicos ou somáticos muitas vezes inexplicáveis, como dores no corpo, problemas gastrointestinais, náuseas ou hematomas que surgiram sem motivo aparente.
3. Seu mundo parece desmoronar: Conhecido como “efeito de cascata múltiplo”, este sintoma ocorre quando os relacionamentos com pessoas importantes, como amigos e família, por exemplo, ficam confusos e você tende a se afastar e criar certa aversão às pessoas. Quando as relações interpessoais deixam de ser importantes e você passa a perder contato com o mundo funcional, é hora de reavaliar sua saúde mental e procurar ajuda profissional.
4. Problemas para dormir e falta de apetite: Ambos são sintomas muitas vezes ignorados. É natural ter dificuldades para dormir de vez em quando ou ter insônia depois de um dia agitado. No entanto, distúrbios do sono estão associados a diversos transtornos mentais, tais como psicoses, transtornos de humor, transtornos de ansiedade, síndrome do pânico e alcoolismo.
5. Falhas de memória: Muitos dos problemas psiquiátricos e psicológicos podem provocar dificuldades nos processos cognitivos e mentais, incluindo falta de atenção, dificuldades na concentração e esquecimento. O mesmo vale para a procrastinação.
Foto

A postagem tem anexo
Sobre o Dr. Antonio Viola

Sou médico psiquiatra e psicanalista, graduado em Medicina pela Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina), residência médica em Psiquiatria no Hospital do Servidor estadual de São Paulo (IAMSPE) e formado em Psicanálise para Psicoterapeutas pelo Centro de Estudos Paulista.
Em meu consultório, em São Paulo (SP), atendo diversos casos de transtornos e doenças, especialmente depressão e a ansiedade.
Por meio de um tratamento humanizado, a partir de uma visão integral do ser humano, acredito que a cura é um caminho amplo e subjetivo de aproximação com um estado de equilíbrio global.
Foto
Aguarde enquanto mais postagens estão sendo carregadas