Profile cover photo
Profile photo
Adilson Cabral
494 followers -
Faça! Faça agora!
Faça! Faça agora!

494 followers
About
Posts

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #25: AME-SE!
Esta é a última (e principal) #dica para um #relacionamento #saudável: AME-SE! Só conseguimos #amar ao outro se nos amamos a nós próprios. Somos reflexo de nosso mundo interior. Uma relação #saudável consigo próprio tornará possível uma relação saudável a dois. Ame-se e você não se permitirá #continuar em uma relação em que seja desrespeitado(a) diariamente. Ame-se e você procurará pessoas que sabem te #valorizar e te #respeitam como você é. Ame-se e você doar-se-á à relação de maneira #sincera, e trará a doação de seu par, sem precisar #exigir. Ame-se e naturalmente você fará sua parte para a relação dar certo.
Amar-se é estar em #equilíbrio com seu eu #interior, a ponto de não #precisar de um(a) parceiro(a) para ser sua #muleta, sua #desculpa para coisas que não quer fazer ou para #jogar a #responsabilidade sobre suas costas... ame-se e terá um(a) parceiro(a) para #voar mais alto, para ir onde sozinho(a) cada um não teria conseguido ir... para aprenderem juntos a serem pessoas #melhores. Ame-se e não precisará do outro para ajudar a #levantar a cada tombo que você leva... terá ele(a) sim para #ajudar a não cair mais.
Espero ter ajudado ao compartilhar com você, leitor(a) estas 25 dicas. Grande parte do que disse está, de uma forma mais técnica, no livro "WE - A chave da Psicologia do Amor Romântico" de Robert A. Johnson, e pode ser encontrada em Sebos de todo o país, na tradução da Editora Mercuryo.
Até a próxima sequência de posts!
Leia nossos posts em Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #24: AME SEU PAR
Você realmente ama seu par? Realmente está com ele(a) porque quer estar? Ou está tentando preencher algum #vazio que não sabe qual é, mas que não tem relação com o outro? Um #relacionamento a dois deve possuir #amor, #carinho, #vontade de estar #junto, de #cuidar, de #proteger, de #dividir, e até de #deixar #ir se o outro assim quiser. É #amor o que sente por ele(a)? Pergunte-se, seja #sincero e veja a resposta.
Não devemos estar juntos só para não estarmos sozinhos. Não devemos estar juntos só para mostrar isso aos outros. Não devemos estar juntos só para ter quem cuide de nossos #problemas e de nós. Não devemos estar juntos só para #provar algo a alguém.
Quer uma #relação #saudável? Comece sentindo #amor por seu(sua) parceiro(a). Se a relação é entremeada de momentos em que você desconta toda sua #raiva sobre ele(a), pede #desculpas e acha que tudo voltou ao normal depois... ele(a) não é seu #amor, é seu #saco de #pancadas. Se a relação te serve para #ocupar seu #tempo #livre, até você achar algo #melhor, isso não é amor, é #passatempo. Se a relação te serve para justificar algo que queira ou não queira fazer em sua própria vida, isso não é uma relação, é uma #desculpa.
Em todo #relacionamento saudável há amor entre os parceiros. Pode até ser que a #paixão do início do relacionamento diminua... mas esta está voltada mais às projeções que fazemos um sobre o outro, e por si só não são saudáveis a longo prazo... mas amor não, é #necessário. Sem amor não há #cuidado, não há #preocupação em #perder, não há #cumplicidade. Sem amor, uma relação saudável não dura. Pense nisso! Até nosso último post!
Leia mais em: Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #23: SINCERIDADE
Relacionamentos saudáveis não admitem #segredos, #mentiras, ou meias #verdades. Seja claro, transparente e, acima de tudo, #FALE! Fale seus #planos, seus #desejos, o que quer e o que não quer... não coloque a #responsabilidade na capacidade do(a) parceiro(a) tentar #adivinhar o que você quer ou pensa. Não deixe de #falar apenas para #agradar. #FALE! Em uma relação saudável, as coisas são colocadas sobre a mesa, e ambos as conhecem claramente.
Se tem algo que lhe desagrada na atitude do outro, se gostaria que algo fosse feito sobre algum assunto, diga. FALE! Remoer faz com que o #problema cresça a cada dia. Esperar o #pior momento para #despejar tudo de uma vez simplesmente acaba com qualquer possibilidade de #comunicação. Não falar algo que te preocupa faz com que #expectativas sejam criadas por um sem saber os obstáculos que estão com o outro, criando grandes #decepções futuras. A #sinceridade é sempre o #melhor #caminho, por mais que seja o mais #difícil, e que crie novos obstáculos a serem superados... porque permitirão a #relação evoluir pelo #caminho #certo, o da #verdade, o da #sinceridade, o da #cumplicidade. Dia a dia, a sinceridade contínua traz a #confiança à relação, fazendo com que cada vez menos ambos tenham medo de se #expor, de #falar, de #ouvir e serem ouvidos. Pense nisso!
Leia mais em: Psicologia.med.br: #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #22: NÃO DISCUTA, CONVERSE E SAIBA OUVIR
A arte de comunicar-se requer muito do #autoconhecimento e de #sensibilidade ao #feedback do outro, com quem se comunica. Em uma #relação a dois, então, é muito mais complicado, devido aos fatores #emocionais. Só se ultrapassa a interferência advinda de #emoções negativas como a #agressividade, a #culpa, o #medo, e a #vergonha, quando conhecemo-nos o suficiente para, na pior das hipóteses, calarmo-nos e afastarmo-nos para aguardar um melhor momento em que possamos nos expressar com melhor #clareza, sem #agredir nem sermos agredidos. Com o tempo, também passamos a conhecer ao outro, e começamos a perceber que existem momentos melhores para termos determinados tipos de conversas.
Algumas vezes temos parceiros abertos ao feedback e que se conhecem o suficiente para dar-nos dicas de quais momentos não estão abertos à discutir a relação, por exemplo... mas em muitos casos basta um pouco de sensibilidade para perceber que não se discute o #futuro do casal após um dia tenso de #trabalho de um ou ambos...
De qualquer forma, uma comunicação #construtiva, #pacífica, que possa resultar no #fortalecimento de uma relação #saudável, é toda aquela em que ambos falam, e enquanto um fala, o outro escuta com #atenção e faz evoluir o tema discutido oferecendo ao parceiro feedback sobre sua visão da questão, colocando o que #sente, o que #pensa, e considerando a possibilidade do outro pensar diferente. Sei que é #fácil na #teoria e #difícil na #prática... principalmente no começo da relação, em que ambos desconhecem os 'trejeitos' do parceiro, mas a #paciência e a #vontade de continuar fará milagres se ambos insistirem em conversar num nível #mínimo de #respeito e #educação. AMBOS!
O #silêncio e o #afastamento de um parceiro de uma discussão #ácida não deve ser interpretado como falta de #vontade de relacionar-se, assim como o inverso, ou seja, como uma tentativa de não prolongar ou piorar o despejo de diversos problemas de uma só vez sobre o(a) companheiro(a) sem oportunidade dele(a) se defender. Se houver #paciência, #dedicação e #vontade de permanecer na relação, ambos sentarão, exporão seus pontos de vista calmamente, ouvirão a outra parte e chegarão a um #entendimento. Sempre chegam, quando há #amor e #dedicação ao outro. Pense nisso!
Leia mais em: Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #21: DOAR-SE ANTES DE EXIGIR ALGO
Todo relacionamento é feito de mais de uma pessoa. E a #psicologia de #grupo já demonstrou há anos que uma das melhores formas de #motivar alguém é dando o #exemplo. Se queremos que nosso(a) parceiro(a) doe-se mais à relação, devemos fazer o mesmo antes de querer #cobrar algo, se realmente acreditamos que ele(a) é a pessoa certa para nós.
Doar-se não é #anular-se. É entregar-se de #corpo e #alma à #relação como se ela não fosse #terminar. É #confiar no par, como se já o(a) tivesse escolhido para viver com ele(a) por toda a #vida. É #acreditar que é de #verdade (e é!). É não #jogar o #peso de fracassos passados em uma relação que está começando e você quer realmente que dê #certo, que não é um experimento. E tudo isso, independentemente se seu parceiro acredita e age tanto quanto você com tal confiança que é para ser de #verdade, #sério.
É essa a força do doar-se, não apenas numa relação, mas em tudo na vida. Faça acreditando que realmente é para ser. Se depois de ver a sua #dedicação, de ver o quanto você acreditou e se doou para a relação, de #tudo que investiu, o outro continuar agindo com um pé atrás, como se tivesse receio de que algo dê errado, como se até esperasse que algo no #futuro os separe, então é porque não é uma relação de #parceria, #saudável.
Se dois entram em uma relação cheios de ressalvas, pode ser que ela poderia ter dado certo, ou até pode dar, com o #tempo. Mas se pelo menos um dos pares se entregou à relação, e não foi correspondido , é porque realmente não era para ser. Sem #entrega, não há #confiança, não há #futuro, não há #cumplicidade, por mais justificativas que as ressalvas tragam. Pense nisso!
Leia mais em: Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #20: ACORDANDO CEDO
Você acha que basta estar em um relacionamento e não fazer nada de #errado para ele dar #certo? Que todo #relacionamento desenvolve-se por inércia? Não. Relacionamentos precisam de #esforço e #trabalho de ambos (e não apenas de um). Ambos devem #trabalhar para o #futuro conjunto, para a #evolução (em todos os sentidos) do relacionamento. Dividir tarefas, suportar a #rotina e os afazeres diários, trabalharem juntos para resolver os problemas do #cotidiano... é a argamassa de todo relacionamentos saudável... você só saberá sua firmeza depois de anos de #construção, dia a dia, quando o prédio tiver vários andares prontos.
Isso requer dois ingredientes básicos: #paciência e #esforço. A primeira virá naturalmente se você estiver realmente interessado(a) que o relacionamento prossiga por anos a fio. Já o #esforço depende da #proatividade de cada um, e está ligado a vários fatores, como a #automotivação (aspecto mais profundo), e a outros fatores que podem ser mais intensos no início do relacionamento (como a #paixão pelo par) mas que decaem pouco a pouco se o conjunto de ações, #projetos, #desejos e #planos do casal não andarem no mesmo compasso.
A diminuição natural do '#fogo da #paixão', em um relacionamento saudável, é substituída gradualmente por uma visão mais realista do par, de seus defeitos, de sua 'humanidade', conforme as projeções que fazemos no(a) parceiro(a) regridem e conseguimos enxergar a pessoa #real que ali está. Isso é #natural, #desejável, #saudável. E é nesta hora que, se existe #amor, a #relação se firma e prossegue em bases mais sólidas. Isto traz um amadurecimento para ambos, e não pode ser tratado apenas como 'queda da #ilusão do amor'. Na realidade, é um retorno das #projeções que indevidamente (#sempre) fazemos no parceiro, criando #expectativas além da pessoa que ali está. Saber se adaptar à pessoa #real, ter paciência, trabalhar com ela o 'trabalho #duro' da #rotina do dia a dia, do convívio #além dos jantares românticos, das #flores, dos #passeios, do cinema... esse é o #verdadeiro trabalho de conquista, o #amálgama de toda relação saudável. Pense nisso!
Leia mais em: Psicologia.med.br - #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #19: NÃO SOU SEU(SUA) FILHO(A)
Muitos diriam que isto é mais comum em relacionamentos entre pessoas com grande diferença de #idade, porém eu digo que é algo já disseminado em muitos relacionamentos doentios, até mesmo naqueles em que nenhum dos pares possui filhos. Projetar no outro seu #filho(a) significa tratá-lo de modo #infantil, como se ele(a) não fosse capaz de tomar suas próprias decisões ou de ter #opinião #própria. Tem relação com o post anterior em que falei sobre regras iguais, e de casais em que um assume o #controle e o outro aceita obedecer... mas no caso aqui falamos de mais do que #controlar... Neste tipo de projeção, por mais que a outra parte diga o que #pensa, o que #deseja, o que quer, o que espera da relação, nada será ouvido por quem projeta. É como se fosse uma relação mãe-filho, pai-filha: pode até #tratar com carinho, mas a palavra final do que é bom ou não para ambos será sempre de quem #manda, que nem de longe está disposto(a) a discutir alterações ou cessões de seus #planos e #projetos. Este caso pode se tornar seriamente doentio se a pessoa que recebe a projeção aceitar ser tratada dessa forma, porque terá sua #individualidade esmagada dia a dia por alguém #possessivo, #controlador, e que para piorar, não verá nada de errado em suas ações, em seu comportamento. Projeção dificilmente se cura sozinha... geralmente está ligada a aspectos da #infância, à forma extremamente #boa ou #ruim com que foi tratada por um (ou ambos) de seus pais, mas dos quais a pessoa que projeta não soube separar de sua própria #personalidade durante o seu #desenvolvimento.
Nesse #processo, para quem projeta, o outro não é alguém com uma individualidade própria, #desejos, #sonhos, #vontades... é alguém que tem que me obedecer porque só eu sei o que é bom ou não para ela. É alguém que me deve #respeito, #fidelidade e #amor eterno pelos '#sacrifícios' que eu faço por me preocupar 24 horas pelo seu #bem #estar (como se o par não fosse capaz de cuidar de si sozinho(a)), e se o outro questionar seus #planos e #ações, quem projeta utilizará a arma que mais sabe usar: tentará incutir #culpa. Falará dos sacrifícios que fez pela outra parte, irá #chorar, tentará colocar as coisas como se quem não aceitou seus planos e vontades fosse um(a) #ingrato(a) e #insensível. Sua #tentativa, caso logre êxito, só tem um #objetivo: #anular a #personalidade da outra parte para que se torne eternamente um #bebê #dependente, repetindo a relação doentia que teve em sua #infância. Se está em um relacionamento assim, a menos que a outra parte aceite um tratamento psicológico (individual ou uma terapia de casal), esteja você consciente que não é um relacionamento saudável, e #decida se vale a pena #continuar ou não.
Leia mais em: Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #18: IMAGEM OU VIDA REAL?
Você está preocupado(a) em ser #feliz ou parecer feliz aos olhos dos outros? Em ser julgado(a) como quem está correto em um conflito, ou em resolver o conflito da melhor forma possível entre as partes? Em grande parte dos relacionamentos não saudáveis, um (ou ambos) utiliza(m) a #internet como forma de #desabafo, de #agressão ao outro, ou como forma de angariar 'curtidas' para sua versão da história, diminuindo artificialmente sua #culpa pelos próprios erros no conflito em que se envolveu com a outra parte. Isso acontece geralmente com a(s) parte(s) que encaram o relacionamento como uma #competição, em que ela(e) tem que sair ganhando e o outro perder. Se algo está errado, se houve algum problema, espere ambos se acalmarem e procure a outra parte (PESSOALMENTE!). Neste meio #tempo, abstenha-se de fazer comentários sobre o que está se passando entre os dois na internet, em grupos sociais, ou qualquer terceira parte que não possa ajudar diretamente, se realmente se importa com sua relação. Só os dois sabem os interesses conjuntos que estão em #jogo, só as partes que estão se relacionando sabem (quando sabem) o que podem perder se não chegarem a um #acordo... qualquer um fora deste círculo de dois não tem nenhum #interesse direto em jogo, por mais 'amigo(a)' que pareça ser.
Só você e a outra parte podem pesar na balança o que podem ou não perder se não chegarem a um acordo. Quando um dos dois (ou ambos) decide utilizar a internet como meio de 'sair bonito na foto' após um conflito, pode até conquistar comentários favoráveis ou curtidas de apoio na internet, mas estará jogando ralo abaixo uma relação que poderia ter dado certo se tivesse tido um pouco mais de #maturidade e respeito pela outra parte. Pense nisso!
Leia mais em: Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #17: COMEÇANDO DO ZERO
Quando se começa um #novo #relacionamento, devemos esquecer os problemas do #passado, de outras relações, e dar a #oportunidade para nosso par mostrar seu #melhor partindo do zero. Deve-se ter em mente que ali está outra pessoa, diferente (por mais parecida físico-comportamental que seja com alguém de relacionamentos anteriores), e que merece um #voto de #confiança (senão ambos não estariam começando esta nova #relação). Nada de armaduras, de projeções, de comparações com o passado. Os(as) "ex" serão e continuarão sendo "ex" a não ser que você não confie na sua própria #capacidade de fazer o outro #feliz, ou no quanto seu par gosta de você. Se é assim, nem comece. Um #relacionamento é uma #construção, vai crescer dia a dia. Você e seu par são os pedreiros. Pode até ser que você saiba mais de construção que a outra parte, mas tenha em mente que terão que construir juntos, e suas experiências do passado (assim como as dele(a)) em quase nada irão ajudar se não houver #dedicação, #paciência e #interesse em realmente ver essa casa construída.
Todo relacionamento possui uma #química única. Se você entrar em um relacionamento com a armadura protetora dos problemas do passado, não estará aberto(a) para receber as coisas boas que seu par pode ter para demonstrar e que outros(as) não o fizeram, e é assim que geralmente se chega a conclusão que "todos os homens" ou "todas as mulheres" são iguais e acaba-se com um relacionamento que poderia ter dado certo. Não projete no seu par os problemas de relacionamentos passados (ciúmes, defeitos dos(as) 'ex', falta de dedicação e tempo, etc...) pois o #problema pode não estar nele(a)... pense nisso!
Leia mais em: Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda

Post has attachment
RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #16: CONFIANÇA E LEALDADE
#Confiança e #lealdade andam juntas em um #relacionamento saudável, e ambas estão diretamente relacionadas à própria pessoa que confia e é #fiel, ao seu histórico pessoal. Pessoas que não foram fiéis e leais em relacionamentos passados, tendem a não #confiar no seu parceiro. Projetam o que fizeram, no seu par. Trata-se do #peso de sua #consciência, ou mais precisamente, de seu inconsciente: sabem que erraram com outras pessoas, e acreditam que mais cedo ou mais tarde terão de pagar pelo erro que fizeram.
#Ciúmes excessivo, necessidade de controle total do outro, #exigências demasiadas, tudo faz parte de uma tentativa de autoproteção de pessoas que não confiam porque não foram confiáveis... que duvidam da lealdade do parceiro porque não foram leais.
O #amor, o querer #bem ao outro, é indissociável da #confiança e da lealdade. Lealdade no ser transparente, no dividir, no ajudar, no 'estar junto'. E confiar que o par também #retribui da mesma forma. Não há espaço para desconfiança quando se quer bem, quando se quer dividir uma vida ao lado da pessoa que se gosta.
Já há muito o que fazer na própria vida de ambos, para se ajudarem, para conquistarem projetos pessoais conjuntos, que não sobra energia para #vigiar e controlar as ações do seu par, em uma relação saudável. Não se trata de ser ingênuo acreditando que o outro é #bom, #perfeito e nunca errará... é mais uma atitude de #profilaxia #mental: fazer a sua parte acreditando que o outro também fará a dele(a). Se não fizer, você pelo menos foi honesto(a), leal, merecedor(a) de confiança, e poderá procurar um novo relacionamento partindo de uma #base #positiva. Pense nisso!
Leia mais em: Psicologia.med.br : #dica diária de #motivação #psicologia e #autoajuda
Wait while more posts are being loaded