Profile cover photo
Profile photo
Arthur Gonçalves
11 followers
11 followers
About
Arthur's posts

Post has attachment
Sinfonias
Ecoa tudo que é ser. Palavra lançada no infinito, o teu nome - ou melhor: nada de infinito. Este momento aqui, este, entre a luz que entra e aquele sol que vai embora. Com a mão repousada em meu pescoço, sussurra o que se diz no meu ouvido. Então ecoa. Ecoa...

Post has attachment
Histórias Sobre a Morte (IV)
I. in stein a rose has never been morose II. no túmulo do mundo minha avó uma rosa é: palavra lapidada na pedra antônia III. uma ausência me escreve canções de permanência retorno ao retorno a dizer esta morte IV. minha avó era um móbile nunca mo- rosa acin...

Post has attachment
azul


Post has attachment
**
este é o nosso segredo: escrever nunca é o segredo. é ser não esfinge mas édipo decifrar, devorar, matar o pai perfurar os olhos etc. este aqui é o broche - uma ponta aguda, os rios de sangue em cada poema gota é pouco aqui veio morrer o sagrado o inomináve...

Post has attachment
Histórias Sobre a Morte (III)
I. a barbárie: prender corpos em retângulos nos porta-retratos somos todos mortos II. ouvi de uma senhora: "menino, pare com isso! com a morte não se brinca" hoje ainda a ouço, refeita "menino, pare com isso! com morte não se pode rimar" III. lançaram-se ao...

Post has attachment
**
não se faz a estrada com os passos nem os passos com a estrada não se faz: se é aquilo que quer dizer, não se diz: se faz não se segue nem conclui o mundo é feito de pequenas quebras e o que vem nunca é o que vai (é uma a escolha) : círculo o círculo circun...

Post has attachment
Sobre Deus
Seus olhos estavam presos às infinitas telas que se multiplicavam pelo firmamento. Por cada olhar, a vida de um que nascia e morria em imensuráveis milissegundos, o choque da existência inteira estendida e entendida por cada célula como impossivelmente únic...

Post has attachment
Ao nosso ancestral comum
ao nosso ancestral comum que morreu sozinho em um floresta qualquer e que nos deixou de herança essa tristeza de existir ao nosso ancestral comum que não falou palavra e que não chorou lágrima quando morreram teus pais nas mãos do esquecimento ao nosso ance...

Post has attachment
**


Post has attachment
As Gloriosas Vitórias da Nação do Impossível
A escrivaninha de mogno cuspia fumaça enquanto o barômetro fumava o barão. Nas lavouras de algodão, os cães latiam suas tristezas: no dia 13 de maio de 2027, a princesa Isabel assinou nas paredes de um edifício abandonado a abolição da escravatura. Depois d...
Wait while more posts are being loaded