Sped completa 5 anos e avançará como um sistema eficiente

Sispro estima que somente empresas de software evoluídas tecnologicamente sobreviverão às exigências das demandas de escrituração fiscal.

O Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, vem ganhando importância como um dos mais avançados programas de informatização da relação entre o Fisco e os contribuintes. Antes dele, a documentação era baseada em papel e não havia absoluto controle sobre o que era declarado pelos contribuintes, ampliando o número de visitas da fiscalização, multas e, certamente, sonegação de impostos.

Parte da sua estrutura, o modelo brasileiro de nota fiscal eletrônica, vem sendo estudado por vários governos, que avaliam a adoção em seus países. Respeitadas as especificidades, a nota fiscal eletrônica já é adotada pela Argentina, Colômbia e México. No Brasil, segundo estimativa dos consultores da Serviços e Tecnologia para Administração e Finanças (Sispro), em 2012, o sistema público de escrituração digital completa cinco anos e avançará como um sistema eficiente de controle da escrituração contábil e fiscal, além de provocar a consolidação do mercado de software, fornecedor de Sistemas de Gestão Fiscal.

Segundo a Sispro, somente as empresas com tecnologias mais avançadas sobreviverão ao impacto do mercado, que necessita acompanhar a evolução do Sped e seus blocos, e às necessidades das empresas clientes, que buscam se adequar às novas regras, mas ainda precisam reduzir os custos com essa operação.

Para Lourival Vieira, diretor de Marketing da Sispro, o mercado somente permitirá a existência de soluções criativas para a combinação “demanda versus atendimento” do Sped, uma vez que ainda é possível notar nas empresas várias dificuldades para que sejam cumpridas todas as exigências da escrituração digital.

“Ao mesmo tempo em que buscam correr para atender ao que pede o Fisco, as empresas lutam para adequar seus processos à nova realidade. O mesmo acontece com os fornecedores de sistemas e serviços, que são pressionados a entregar ‘mais por menos’, ou seja, devem criar sistemas cada vez mais eficientes, avançados e atualizados, mas, ao mesmo tempo, sofrem com a pressão do mercado por preços menores em seus produtos e serviços. E é por isso que afirmamos que o mercado passará por uma consolidação, se não por completo, bem avançada”, projeta Vieira.

O diretor da Sispro também destaca outros aspectos relevantes para esses cinco anos do Sped. Segundo ele, o início do programa público de escrituração digital pegou muitas empresas – usuários e fornecedores – despreparadas para atender à nova realidade. “Somente as maiores puderam passar pelas dificuldades com maior tranquilidade porque já estavam informatizadas e muito bem atendidas por aplicações de softwares especialistas de ponta.

Do lado dos fornecedores, somente os desenvolvedores de sistemas com foco na gestão fiscal, como é o caso da Sispro, é que conseguiram apresentar as atualizações e adequações compatíveis com o novo mercado”, diz e acrescenta: “ A NF-e, que deu início a esse processo de escrituração digital, e que teve sua adoção iniciada em 2005, abriu uma estrada enorme para o surgimento de pequenas empresas de software para atender ao mercado, que precisou urgentemente emitir notas fiscais eletrônicas, mas não recebia suporte imediato de seus fornecedores naquele momento”.

Fonte: ComputerWorld – 20/01/12
(http://computerworld.uol.com.br/tecnologia/2012/01/20/sped-completa-5-anos-em-22-de-janeiro-neste-domingo/)
Photo
Shared publiclyView activity