Profile

Cover photo
Michelson Borges
Worked at Casa Publicadora Brasileira
Attended Satc
Lived in Criciúma
3,279 followers|323,467,434 views
AboutPostsPhotosYouTube

Stream

Michelson Borges

Shared publicly  - 
3
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
6
2
Joyce A's profile photo
Joyce A
 
Michelson libera os comentários do seu blog.
 ·  Translate
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
3
Jah seja Louvado's profile photo
 
Olá meu amigo. Meu nome é Wander, e sou estudante da bíblia, das testemunhas de Jeová.

Em primeiro lugar, é elogiável a forma respeitosa como o amigo conversa sobre a fé.

Começando a comentar o conteúdo do seu vídeo.

Falando sobre a vinda (ou presença invisível) de Jesus, lhe asseguro que talvez os irmãos que conversaram com você, ou não estavam bem preparados para o tema, ou talvez não conseguiram se fazer entender. Suas perguntas todas que visavam provar o contrário do que as Tjs acreditam, expondo supostas contradições, perdem o sentido quando explicado que a presença de Cristo que cremos, não é uma presença literal, mas sim cremos que o reino celestial de Cristo de certa forma já afeta o mundo, tão poderoso que é. Assim como o presidente do Brasil não está presente em todos os estados, mas estes estados sentem os efeitos de sua "presença" no governo. Da mesma forma, cremos que desde que Cristo começou a governar os sinais da sua presença se intensificaram, e podem ser discernidos espiritualmente compreendeu? Não que Cristo já tenha voltado, como cumprimento do grande dia. Portanto suas perguntas perdem o sentido, uma vez explicado o equívoco.

Então, resumindo... Cremos que esse é um período transitório entre o início da "presença" de Cristo até sua "chegada ou volta", que é o período que chamamos de "terminação" do sistema de coisas, e aí sim algumas de suas perguntas se cumprirão. Ou seja, Jesus ainda não voltou, mas sua forte presença, através do reino celestial é discernida pelos seus seguidores.

"Antes de tudo saibam que, nos últimos dias, surgirão escarnecedores zombando e seguindo suas próprias paixões.
Eles dirão: "O que houve com a promessa da sua vinda (Parousia)? Desde que os antepassados morreram, tudo continua como desde o princípio da criação".
2 Pedro 3:3,4 (NVI)

Parousia Significa literalmente “estando ao lado”, expressão derivada da preposição grega pará (“ao lado”) e ousia (“estando”). Vejamos o que os lexicógrafos dizem:
O Léxico Grego-Inglês de Liddell e Scott dá como primeira definição de parousia a palavra inglesa para “presença”. Dá como segunda definição dela “chegada”, e depois acrescenta: “[Espcecialmente] a visita dum personagem real ou oficial.”

Concordando com isso, o Dicionário Teológico do Novo Testamento (em inglês, editado por Gerhard Friedrich) dá como “O Sentido Geral” a palavra “Presença”. Daí, como “O Uso Técnico dos Termos” no helenismo, dá “1. A Visita dum Governante”. Diz a respeito do “Uso Técnico de páreimi [verbo] e parousia no N.T.”: “No N.T., os termos nunca são usados para a vinda de Cristo na carne, portanto a parousia nunca tem o sentido de retorno.

Dessa forma uma plausível, e melhor tradução de 2 Pedro 3:4 é: "“Onde está essa prometida presença dele?"

Veja que o contexto do capítulo diz que "nos últimos dias" viriam os ridicularizadores, e diriam que tudo "continua como desde o princípio da criação" (NVI). Ou seja, essas pessoas não reconhecem os claros sinais da proximidade do fim. Disso aprendemos duas coisas... 1. Os sinais da presença são discernidos espiritualmente pelos seguidores que devem pregar isso a outros, mesmo enfrentando a zombaria dos que não 'enxergam' ou se recusam a reconhecer o sinal composto. 2. O cumprimento dessas palavras de 2 Pedro requer que, haja um tempo de pregação da Parousia. Portanto já existe aqui, em algum grau os efeitos da presença de Cristo no reino celestial.

Agora, que essa presença é invisível e só está clara aos seguidores e aqueles a quem o Pai atrai a Jesus, está bem claro para as Tjs... veja mais isso:

“Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.” Atos 1:11 (Almeida Revisada)

Os anjos disseram que Jesus voltaria “da mesma maneira”, não na mesma forma que subiu aos céus. A Bíblia nesse texto usa a palavra grega tró•pos, que significa “maneira”, e não mor•fé, que significa “forma”. Apenas os apóstolos perceberam que Jesus havia deixado a Terra e estava indo para o céu. Jesus voltaria de maneira similar. E assim aconteceu. Hoje, somente os que têm discernimento espiritual percebem que Jesus está presente com poder régio:

“Certa vez, tendo sido interrogado pelos fariseus sobre quando viria o Reino de Deus, Jesus respondeu: "O Reino de Deus não vem de modo visível, nem se dirá: ‘Aqui está ele’, ou ‘Lá está’; porque o Reino de Deus está entre vocês".
Lucas 17:20,21 (NVI)

Ou seja, o reino de Deus daqui da Terra só é perceptível espiritualmente! Uma vez que a espiritualidade dos fariseus não estava corretamente esclarecida, não podiam perceber que o rei do reino de Deus estava alí, à passos de distância deles.

Agora, passando a "pessoa de Jesus"

Lucifer invejou a posição de Jesus no céu, e vive querendo rebaixá-lo? Confesso que nunca lí esse texto na bíblia. Poderia me passar?

Até onde sei os demônios quando estiveram na Terra reconheceram e se referiram a Jesus como "filho de deus", e não foram repreendidos. "Além disso, de muitas pessoas saíam demônios gritando: "Tu és o Filho de Deus! " (Lucas 4:41) Da mesma forma Pedro identificou Jesus: "E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo." (Mateus 16:16) Ambos os texto, NVI.

Estavam eles rebaixando a Jesus?

Que eu saiba a tática de Lúcifer é justamente o contrário. A astúcia o levou a elevar Jesus, muito mais do que o próprio Jesus buscou para sí. Dessa forma conseguiu desonrar tanto o pai como o filho, pervertendo suas identidades numa doutrina estranha, conhecida como trindade. Depois que o filho e os apóstolos morreram, ele elevou o posto do filho para torná-lo Deus, e assim criar uma mentira idolátrica.
O que eu sei é que Satanás desafiou a soberania de Deus, Jeová. E Jesus veio defendê-la. Isso sei de certo que a bíblia ensina.

Mas agora passemos as suas objeções, baseadas no seu entendimento biblico


"Se Jesus era um ser criado, por que aceitou adoração, e se identificou como 'eu sou'?"


Será que Jesus realmente aceitou adoração?

A palavra proskyneo (Traduzida por "adoração", relacionada a Jesus em muitos versos biblicos) é a combinação de duas palavras, "pros" que significa, "Para, com"e a palavra "kyneo" que significa, "Beijar".
O dicionário Vine traz as seguintes palavras a cerca do termo grego, "proskyneo": "Fazer mesura, fazer reverência a"

Strong, em seu dicionário, igualmente transmite o significado de proskyneo como sendo uma ação de "beijar a mão de alguém, em sinal de reverência" e "ajoelhar-se ou prostrar-se".
Mostra, como também o dicionário Vine que é uma ação à qual se evidencia nas Escrituras como sendo feita para com Deus, Jesus, anjos, demônios e humanos.

Textos que usam o termo relacionado a Jesus

Mateus 2:2 / 2:8 / 2:11 / 8:2 / 9:18 / 15:25 / 18:16 / 20:20 / 28:9 / 28:17 = 10 ocorrências
Marcos 5:6 / 15:19 = 2 ocorrências
Lucas 24:52 = 1 ocorrência
João 9:38 / = 1 ocorrência
Hebreus 1:6 / = 1 ocorrência

São 15 ocorrências em que a palavra "proskyneo" está relacionada a Cristo. Em nenhuma delas, de fato, a palavra tem de ser necessariamente traduzida por adorar.
O contexto é que determina que tipo de PROSKINEO deve ser vertido.

Gen 23:7, 12.LXX diz que Abraão “prostrou-se” (PROSKINEO) diante dos nativos, os filhos de Hete. Estava Abraão adorando a estes ? Esaú, diante de Jacó .Gen.33:3, 6, 7.LXX (Versão Septuaginta Grega) Daniel diante de Nabucodonosor. Daniel 2:46,LXX.

Shahháh significa basicamente “curvar(-se)”. (Pro. 12:25) Curvar-se assim pode ser um ato de respeito para com outro homem, tal como um rei (1 Sam. 24:8; 2 Sam. 24:20) ou um profeta. (2 Reis 2:15) Abraão se curvou diante dos filhos cananeus de Hete, dos quais procurava comprar uma sepultura. (Gen. 23:7) A bênção de Isaque a Jacó exigia que grupos nacionais e os próprios “irmãos” de Jacó se curvassem diante dele. Gen. 27:29; compare isso com 49:8.

Curvar-se diante de homens como ato de respeito era admissível, mas curvar-se diante de qualquer outro, além de Jeová, como deidade, era proibido por Deus. (Êxo. 23:24; 34:14) De modo similar, curvar-se em adoração diante de imagens religiosas ou diante de qualquer coisa criada era positivamente condenado. (Êxo. 20:4, 5; Lev. 26:1; Deu. 4:15-19) Assim, nas Escrituras Hebraicas, quando certos dos servos de Jeová se prostraram diante de anjos, fizeram isso apenas em reconhecimento de que estes eram representantes de Deus, não lhes prestando homenagem como deidades. Jos. 5:13-15; Gen. 18:1-3.

Dessa forma, tanto curvar-se diante de Jesus, como o uso do termo proskyneo, realmente não provam que Jesus foi adorado.



Agora o "eu sou"



ἐγὼ εἰμί [eu sou]... estas mesmas palavras são aplicadas ao cego do capítulo 9 de João, que é invertida pelos tradutores como “Sou Eu” (ἐγὼ εἰμί). Nem por isso as escrituras querem identificar esse homem como o Deus verdadeiro, não é?

Ademais, será que o amigo sabia que no original não é provável que Jeová tenha dito exatamente “Eu sou”?
Êxodo 314: “Então disse Deus a Moisés: “MOSTRAREI SER O QUE EU MOSTRAR SER.” (em hebraico, foi: ʼEh‧yéh ʼAshér ʼEh‧yéh)
E acrescentou: “Isto é o que deves dizer aos filhos de Israel: ‘MOSTRAREI SER enviou-me a vós.’”

Como vertem este texto outras traduções das Escrituras?

Leeser: “SEREI O QUE EU FOR”;

Rotherham: “Tornar-me-ei o que eu quiser.”

Almeida: "EU SOU O QUE SOU."

Em Êxodo 3:14 a frase é: ʼEh‧yéh ʼAshér ʼEh‧yéh, e Jesus falava hebraico e não grego, portanto se Jesus conforme relatou-se em João 8:58 disse: EU O SOU, ele usou a expressão hebraica aní hú e não ʼEh‧yéh ʼAshér ʼEh‧yéh.
Ademais, sobre a frase de Jesus em João 8:58, veja como traduziram diversas bíblias, muitas delas feitas por trinitários:
Léxico de Strong - página 1355 - Versão digital
G01510 ειμι eimi
primeira pessoa do singular do presente indicativo; uma forma prolongada de um verbo primário e defectivo;
TDNT - 2:398,206; v
1) ser, existir, acontecer, estar presente

Assim, poderia igualmente ser traduzido a declaração de Jesus como:

"Antes de Abraão vir à existência, eu tenho existido."
"Antes de Abraão vir à existência, eu existo."

Não existe nenhum erro nestas traduções, de modo que muitos outros tradutores, verteram de modo a transmitir ideia similar, observe.

Quarto/Quinto Século - “antes de Abraão ser, eu tenho sido”
Siríaco — Edição: A Translation of the Four Gospels from the Syriac of the Sinaitic Palimpsest, de Agnes Smith Lewis, Londres, 1894.

Quinto Século - “Antes mesmo de Abraão vir a ser, eu era”
Siríaco curetoniano — Edição: The Curetonian of the Four Gospels, de F. Crawford Burkitt, Vol. 1, Cambridge, Inglaterra,1904.

Quinto Século - “antes de Abraão existir, eu era”
Peshitta siríaca — Edição: The Syriac New Testament Translated into English from the Peshitto Version, de James Murdock, sétima ed., Boston e Londres, 1896.

Quinto Século - “antes de Abraão vir a ser, eu era”
Georgiano — Edição: The Old Georgian Version of the Gospel of John, de Robert P. Blake e Maurice Brière, publicado em “Patrologia Orientalis”, Vol. XXVI, fascículo 4, Paris, 1950.

Sexto Século - “antes de Abraão nascer, eu era”
Etiópico — Edição: Novum Testamentum ...Æthiopice (O Novo Testamento ... em Etiópico), de Thomas Pell Platt, revisado por F. Praetorius, Leipzig, Alemanha, 1899.

E outras mais

“Desde antes de Abraão existir, eu tenho existido”. – The New Testament (1869), de G. R. Noyes

“Eu já existia antes de Abraão nascer!” – Goodspeed Bible (1935)

“Antes de Abraão ter nascido, eu já era aquele que eu sou.” – Das Neue Testament (1965), de Jorg Zink.

“Antes de Abraão nascer, já eu era aquele que sou.” – Novo Testamento Interconfessional (1978)

“Eu existo desde antes Abraão existir.” – Vérsion Popular (1983)

“Eu já existia antes de Abraão ter nascido.” – James Moffatt Bible (1994)

“Eu já existia antes de Abraão nascer.” – A Bíblia Viva (1972)

“Antes que Abraão existisse, eu existo.” – Bíblia do Peregrino (1996)

“Eu já existia antes de Abraão ter nascido!” – New Living Translation (1996)

“Eu já era antes de Abraão nascer.” Worldwide English New Testament (2001)

Portanto, esse é mais um argumento que não tem força alguma.



Sobre João 1:1



A TNM não é a única bíblia a traduzir a passagem de João 1:1 diferente do que agrada a religiosos trinitários, veja:

1808: “e a palavra era um deus”. The New Testament, in an Improved Version, Upon the Basis of Archbishop Newcome’s New Translation: With a Corrected Text, Londres.

1864: “e um deus era a Palavra’. The Emphatic Diaglott, de Benjamin Wilson, Nova Iorque e Londres.

1935: “e a Palavra era divina”. The Bible—An American Translation, de J. M. P. Smith e E. J. Goodspeed, Chicago.

1935: “o Logos era divino”. A New Translation of the Bible, de James Moffat, Nova Iorque.

1975: “e um deus (ou da espécie divina) era a Palavra”. Das Evangelium nach Johannes, de Siegfried Schulz, Göttingen, Alemanha.

1978: “e da sorte semelhante a Deus era o Logos”. Das Evangelium nach Johannes, de Johannes Schneider, Berlim.

1979: “e um deus era o Logos”. Das Evangelium nach Johannes, de Jurgen Becker, Würzburg, Alemanha.

Sobre essa questão de como traduzir o texto, se tiver curiosidade e paciência leia ainda isso:

ERA O VERBO UM DEUS? – ANÁLISE DE JOÃO 1:1 A PARTIR DA TEORIA DA RELEVÂNCIA
http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/281/295

Léxico Grego-Português: João 1:1
"O Logos existia bem no início, o Logos estava com Deus, o Logos era divino." (Moffatt - N.T)
http://bibliotecabiblica.blogspot.com.br/2009/04/lexico-grego-portugues-joao-11.html

Pra finalizar, vejamos um texto QUE FALA DE JESUS:

“Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus.”
Apocalipse 19:13 (Almeida Revisada)

Segundo esse texto de apocalipse, JESUS, o verbo, “ERA” Deus, ou é “DE” DEUS??



O ALFA E O ÔMEGA



A frase "eu sou o Alfa e o Omega" é uma frase que se pode ver claramente ser uma declaração dita pelo próprio Deus Pai. O contexto ajuda a mostrar isso e nos veremos.

Observe que Apocalipse 1:4-5 diz:

"João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra..."

Note que quando lemos o verso quatro, fica bem evidente que "Aquele que é, que era e que vem" não pode ser confundido nem com os sete espíritos e nem com Jesus, pois estes são citados de forma claramente distinta deste outro. Em Apocalipse 1:7 se está falando de Jesus, mas já no verso 8, nota-se que o sujeito da frase não é mais Jesus, mas sim este que no verso 4 é distinto dos demais.
O versículo 4 ajuda a entendermos de quem está a se falar no versículo 8.

Apocalipse 4:8 igualmente menciona a este com o substantivo theós, mostrando assim que se trata não de Jesus e sim de Deus. No versículo 11 ainda se reforça a declaração quanto a sua identidade, pois se fala dele como sendo Deus que por sua vontade tudo criou. Mas o que deixa ainda mais evidente a distinção entre ele e Jesus é que nos versículos 1 e 7 do capítulo 5, Jesus aparece como um cordeiro que vai e toma da mão deste sentado no trono um rolo fechado ao qual ele recebe autoridade de abrir os selos.

Note que Jesus não é o sentado no trono ao qual se atribui as palavras citadas no verso 8 do capítulo 4.

Em Apocalipse 11:17 também se está falando do Deus, porém note que, não se menciona a declaração, "e que vem", pois conforme nos mostra o contexto, Deus já iniciou seu Reino sobre a Terra em resposta a oração: "Venha o teu reino" Mateus 6:10

O capítulo 12:10 nos indica uma co-regência, sendo uma vinda conjunta onde o filho vem na glória de seu Pai, isso mostra que quem vem é Deus acompanhado do seu ungido ou cristo.

Veja Apocalipse 11:15 que diz:

“O reino do mundo tornou-se o reino de nosso Senhor e do seu Cristo"

Este é o motivo de ao iniciar o Reino, a expressão "e que vem" não mais ser mencionada em relação a Deus, pois seu reino já é vindo. Mateus 16:27 Malaquias 3:1

Apocalipse 16:5-7 também é uma referência ao Deus de Jesus, JEOVÁ.



"Por que Isaías o chama de "Deus forte", "Pai da eternidade"?



O erro trinitário está em associar em todo texto bíblico o termo elohim ao Deus dos deuses, como se toda vez que este termo venha a ser encontrado nas Escrituras, tenha de forçosamente estar descrevendo ou se referindo ao Pai. Certamente que isoladamente não se pode fazer isso, pois o contexto deve estabelecer a interpretação correta.

Será que Jesus também poderia ser chamado de "Deus"? Sim, podia, e sem que com isso fosse um falso Deus, pois a deidade a ele atribuída vinha do "Deus dos deuses". O próprio Jesus em discussão com os fariseus argumentou que homens podem ser chamados de deuses pelas escrituras, quanto mais ele poderia se chamar de "filho de Deus". João 10:33-36 Da mesma forma que Jesus não achava que os homens no salmo 82:6 fossem Deus, usando esse argumento ele certamente mostrou que se dizer "filho de Deus", não é o mesmo que se fazer igual a Deus.

Jacó lutou com quem? Com Deus ou com um Anjo?

“...Lutaste com Deus (Elohim)...” Gênesis 32:28 e 30

"Lutou com o anjo, e prevaleceu; chorou, e lhe fez súplicas...” Oséias 12:4

Aqui o texto dizia que Jacó lutava com Deus, e só depois se menciona que na verdade Jacó lutava com um anjo. (note uma coisa interessante... Essa construção e muito similar a do argumento usado pelos trinitários pra provar que o espirito santo é deus, em Atos 5)

Portanto, o termo "Deus forte" pode muito bem ser aplicado a Cristo, uma vez que ate homens são chamados de "Deus" nas escrituras.

O amigo se apega a suposta ideia de Jesus ser o "Deus forte" e "Pai da eternidade", quando na realidade o texto não afirma que ele 'seria', mas que ‘seu nome será’. “O nome do Messias ainda por nascer deveria corresponder aos anseios populares.” – Vicent. Vol 01, pag. 12. Encontramos nomes hebraicos onde o nome divino "Jeová" está associado a um de seus atributos ou a adjetivos. Por exemplo: Abia significa ‘Jeová é Pai’, mas isso não indica que Abia fosse de fato Jeová o Pai. O mesmo se dá com outros nomes tais quais: Acasias (Jeová é Senhor), Aziel (Deus é poder), Buqui (Jeová justiça), Cedmiel (eternidade de Deus), Josué (Jeová é salvação) entre alguns outros. O que temos em Isaías 9:6 são nomes já transliterados, ou seja, o significado dos nomes que seriam conferidos ao Messias ao invés dos próprios nomes com seus significados subjacentes. Se o Messias seria de fato o que seus nomes denotaria, então forçosamente os nomes de outros homens citados aqui também seriam o que seus nomes significam. Deve-se ressaltar também a diferença que existe entre os termos “Deus forte/poderoso” [heb. El’ giboor] e “Deus Todo Poderoso [heb. El’ shaday]. Somente Jeová é chamado nas Escrituras como Deus todo poderoso, não sendo esta prerrogativa atribuída a ninguém nem mesmo ao seu Filho Jesus. Sendo assim, todos esses significados dos nomes atribuídos a Jesus, tem a ver com seu ministério messiânico e não a ele como ser. Isto é evidente quando não encontramos em parte alguma nos Escritos Neotestamentário alguém se dirigindo a Jesus como "Deus forte" ou "Pai da eternidade".



Miqueias 5:2



Você disse que esse texto apresenta a eternidade de Jesus. Isso e questão de ótica. Sem falar em tradução...

"Mas tu, Belém-Efrata, embora sejas pequena entre os clãs de Judá, de ti virá para mim aquele que será o governante sobre Israel. Suas origens estão no passado distante, em tempos antigos. "
Miquéias 5:2

Como entender que o criador teve "origens"? Deus tem começo?

1 João 2:14 fala de Jesus como existindo desde o princípio. Ora, Deus não existe desde o principio, pois não existe principio para quem é eterno. Um princípio indica um ponto inicial a partir do qual ocorreu alguma ação.
A ação inicial só poderia ser produzida por um Ser sempre existente e que comunicou algo que desencadeou uma manifestação inicial, sendo esta manifestação ou ação inicial, um principio. Este princípio foi a geração de Jesus, o principio da criação de Deus, o primogênito de toda a criação.

Assim, João poderia falar daquele que é ou existe (ARA) desde o principio. (τὸν ἀπ' ἀρχῆς) A preposição [ἀπ'] aqui, denota um elemento de separação, ou como já disse; um ponto limitador e divisor. Destaca um começo, geração ou origem de algo.

A versão Tradução Brasileira da SBB verte esta passagem da seguinte forma:

"Eu vos escrevi, pais, porque conheceis aquele que existe desde o princípio". 1 João 2:14

Apocalipse 3:14 é outro texto que revela que Jesus é o "princípio da criação de Deus".
Se por "princípio" João desejasse que entendêssemos que Jesus é o "principal" ou "governante" das criações de Deus, então ele teria usado uma palavra mais apropriada, como "ár‧khon", que significa: governador, comandante, chefe, líder, como a que consta em Miqueias 5:2 [αρχοντα εν τω ισραηλ - governante de Israel].

Mas ele usou "ar‧khé", que ocorre na maioria das vezes como significando o "início" de algo ou alguma coisa.
A palavra ar‧khé não denota algo eterno ou pré-existente. Quando se usou esta palavra na septuaginta para descrever que no "ar‧khé" Deus criou o Céus e a Terra, não se está querendo dizer que o Céus e a Terra já existiam, antes, queria comunicar que estes vieram a receber existência neste evento, saíram, nasceram.

"εν αρχη εποιησεν ο θεος τον ουρανον και την γην" Gênesis 1:1 LXX

Como podemos estabelecer este assunto? Bem, podemos fazê-lo recorrendo a Miqueias 5:2, onde se diz que o Messias teve "origem" (ar‧khé), e que ela é desde (Ek =Preposição primária denotando origem) tempo indefinido. (ʽoh‧lám). Isso está de acordo com a o fato de que Deus, de Sua eternidade, deu origem ao Filho.
De modo que temos numerosas formas de mostrar provas incontestáveis de que Jesus é a primeira criação produzida por Deus. Leia Provérbios 8:22-31

Se bem me lembro, há inclusive eruditos adventistas que concordam com o que eu disse.


"Os judeus entenderam muito bem o que o Messias havia dito, que Jesus é Deus"



DA MESMA FORMA QUE ENTENDERAM QUE o messias violava o sábado?

"Então os judeus passaram a perseguir Jesus, porque ele estava fazendo essas coisas no sábado.
Disse-lhes Jesus: "Meu Pai continua trabalhando até hoje, e eu também estou trabalhando".
Por essa razão, os judeus mais ainda queriam matá-lo, pois não somente estava violando o sábado, mas também estava até mesmo dizendo que Deus era seu próprio Pai, igualando-se a Deus."
João 5:16-18 (NVI)

É com estes que o amigo partilha tais crenças?

O texto deixa claro que era tudo ótica dos judeus, perseguindo a Cristo. Onde nas escrituras além disso, encontra-se o ensinamento de que Cristo se fazia igual a Deus, por ser ou se dizer filho dele?

Volto a citar João 10:33-36... Por que Cristo argumentou que até homens podem ser chamados de "deuses", ao invés de assumir o que segundo você e os judeus que o perseguiam, era uma realidade?

A biblia diz que Jesus revela a Deus, então por que em nenhum momento Jesus revela que e o próprio Deus? Essa não foi uma das ótimas oportunidades para revelar isso?



Filipenses 2:6-8



Jesus era filho de Deus, de modo que existia na mesma natureza do Pai e era a própria expressão do Pai, mas como Deus não tem forma, Jesus existir na forma de Deus significa que ele revelava a deidade.
Existir em forma de Deus não fazia dele a divindade assim como existir em forma de humano não fazia dele a humanidade, apenas especifica que ele existia na forma em que aquela natureza impõe.

Jesus por não ser O Deus pôde esvaziar-se e assumir a forma humana, mas O Pai jamais poderia fazer isso, pois Aquele que é O Ser não se torna uma espécie e nem um gênero, pois ele está acima de tudo e de todos e sua natureza é imutável e não pode ser neutralizada, aumentada ou diminuída.

Ao dizer eu que Deus não "poderia", não estou eu impondo a Deus uma restrição de forma descabida, sendo que a própria bíblia impõe alguma restrição a Deus:

"Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos;"
Tito 1:2 (Almeida Revisada)

Há coisas que Deus não pode fazer, evidentemente porque violariam os padrões e leis do próprio Deus. Da mesma forma, é descabido imaginar que Deus pode se livrar de sua plena divindade. Fazendo isso, estaria inclusive sujeito a cair em pecado, uma vez que a biblia diz que Jesus foi tentado, e se houve tentação, é porque havia a possibilidade de ceder ao pecado, é obvio, do contrário seria tudo um teatro. Isso é absurdo. É o mesmo que assumir que Deus foi corruptível por um tempo. Eu não inventei isso: "porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado." Hebreus 4:15 (Almeida Revisada) Assumir que Jesus era Deus, e o mesmo que assumir que Deus foi corruptível, algo descabido.

Jesus esvaziando-se de sua natureza não estava apenas deixando de usar seus atributos, mas estava de fato sem nenhuma posse da condição anterior.

ἐκένωσεν é a palavra grega que expressa o "esvaziar-se" de Jesus, dando o sentido de estar vazio, oco, inutilizar, privar-se, tornar sem efeito ou força. Se o que Paulo intencionasse explicar fosse um acréscimo na natureza da 'deidade' Jesus, então certamente teria usado outro termo, não este. [talvez "διδωμι" = 'dar algo', ou "κερδαινω" = ganhar, adquirir'].

Ademais, quando se diz que o Logos se tornou carne [σὰρξ ἐγένετο] transmite-nos a verdade de que o ser que existia antes como não sendo carne, passou a ser carne, saindo de uma forma de existência a outra. A palavra grega expressa uma mudança ou transformação. Ora, toda transformação ou mudança [mutação] só pode ocorrer em seres contingentes [possíveis criaturas], pois Deus não pode mudar ou sofrer quer mudanças ou sair de uma forma de existência a outra. Note bem que o que friso é que foi aquele ser que exista em forma espiritual que mudou, pois se diz no texto que "A Palavra 'veio a ser' 'tornou-se' 'começou a existir em' 'foi feito' carne." Isso indiscutivelmente denota uma transformação, e não apenas agregação. E mesmo que se insistisse apenas em agregação, ainda assim iria contra a imutabilidade de Deus o qual nada pode receber ou ser acrescentando de algo, pois nenhuma perfeição lhe falta a qual de outro deva receber. João 1:14
Jesus perdoava pecados

O Espírito Santo é Quem dava a Ele poder e virtude para realizar as suas gloriosas obras (Lucas 4.18; Atos 10.38). A Bíblia defende um Jesus totalmente humano, sem qualquer referência de que houvesse nele duas naturezas. Enquanto humano, Jesus foi apenas humano, afinal, o próprio argumento anterior infere que ele "esvaziou-se", ou seja, tudo o que ele tinha antes foi abandonado enquanto viveu como homem. Desde o seu nascimento virginal até a sua ressurreição, Jesus tinha uma única natureza, a humana. Ou o amigo admite isso, ou entrara em contradição com seu próprio argumento anterior.

Sendo Jesus, o Messias prometido, logo tinha Ele o direito de perdoar pecado, e assim não é preciso ver, nesses acontecimentos, que Ele assumia a posição de Deus

Ao dizer que, perdoados estavam os pecados do paralítico, os escribas arrazoavam consigo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados senão só Deus? (Luc 5.21).

Mais uma vez, o problema dos trinitários se guiarem pela ótica errada.

Os escribas pensaram que Jesus desrespeitara o nome, à posição e os direitos de Deus, o único que pode perdoar pecado. Segundo a opinião dos judeus, com essas palavras e com essa ação, Jesus tomou a posição e os direitos de Deus. Não reconheceram em Jesus, o Messias prometido, que tinha poder de perdoar pecados. "Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Que arrozais em vossos corações?" (Luc 5:22), Mateus disse. "Porque cogitais o mal nos vossos corações?" (9:4), ou seja, "...Porque tendes esses maus pensamentos em vossos corações" (BJ). Na verdade, os escribas é que blasfemaram, por falaram (ou pensaram) palavras abusivas e caluniosas contra o Messias e, portanto, contra Deus, que dera poder e autoridade a Cristo quanto às duas coisas: curar e perdoar pecados.

"Ora, para que saibas que o Filho do homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados..." (Marc 2:10; Mat 9:6 e Luc 5:24). "...Filho do homem...". Título adotado exclusivamente pelo Senhor Jesus, referindo-se a si mesmo, e tirado provavelmente de Daniel de 7:13-27. As opiniões se diferem muito quanto ao sentido exato do vocábulo, mas a maioria dos expositores considera-o de significação messiânica, e, é isso que o mesmo se refere. O mesmo salienta a essencial humanidade e representação do Messias.

Como Jesus deixou bem claro, sendo ele o "Filho do homem", então, “tinha poder (ou autoridade) para perdoar pecado”. Uma reivindicação que seus oponentes judeus e pelo visto também os trinitários, desconheciam, "...para que saibas..", mas que Ele deixou bem claro a sua autoridade como Filho do homem.

Portanto, Jesus deixou claro que perdoava pecados, por ser filho do homem, não por ser Deus.

FIM DAS RESPOSTAS


"Estes, porém, estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome."
João 20:31 (Almeida Revisada)

Estas palavras estão registradas logo após as de Tomé, "meu Senhor, e meu Deus". (Verso 28) A bíblia nunca nos ordena, ou ensina a reconhecer Jesus como Deus, mas sempre como filho de Deus. Ou como "Cristo" (Titulo humano).

"Se alguém confessa publicamente que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele em Deus." 1 João 4:15 (NVI)

Por esse motivo as testemunhas de Jeová pregam Jesus publicamente, de casa em casa, como filho de Deus. Nunca nos é ordenado na bíblia a ensinar ou crer que Jesus é Deus. Isso é fato.



Bom, creio que com isso respondi as objeções do amigo. Vim unicamente com a finalidade de defender o que acredito.

Gostaria de fazer uma pergunta ao amigo, sobre um assunto da fé também... Acredita que Moisés ressucitou? Poderia me mostrar a base bíblica disso?

Obrigado desde já, ótima segunda e aguardo a resposta a essa pergunta que fiz.

Abraços
 ·  Translate
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
4
1
Maria Melo's profile photo
 
verdade
 ·  Translate
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
5
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
4
2
Helen de Almeida's profile photoEnivaldo da Silva's profile photo
2 comments
 
Não adianta....As palavras do livro da vida, estão sendo cumpridas. Queiram ou não queiram.O interessante é que tudo se cumprem, pelo andamento dos nossos próprios comportamentos e nós não nos damos conta disso.... passando por despercebidos. É por isso que se diz: O Senhor esquadrinha os nossos corações... Ele conhece interiormente, cada um de nós que já passamos por este mundo ou estamos ainda vivendo nele.Que Deus nos abençoe a todos nós!!! Forte abraço!!!
 ·  Translate
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
4
Paulina Lima's profile photo
 
Grande coisa! Será que não temos coisa mais importante para falar e anunciar, esse tipo de assunto é tão comum entre eles.
 ·  Translate
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
7
1
T Sosa's profile photo
T Sosa
 
É uma palhaçada mesmo...fins dos tempos. Os sinais estão aí para quem quiser ver....
 ·  Translate
Add a comment...

Michelson Borges

Shared publicly  - 
7
Neusa Torres Dutra's profile photo
 
Parabéns, muito simples, Assim!
 ·  Translate
Add a comment...
Story
Introduction
Jornalista, mestre em teologia e editor na Casa Publicadora Brasileira. Meu blog: www.criacionismo.com.br
Bragging rights
Tenho uma esposa amada e três lindos filhos
Education
  • Satc
  • CIS
    Curso técnico de química
  • UFSC
    Jornalismo
Basic Information
Gender
Male
Relationship
Married
Work
Occupation
Jornalista
Employment
  • Casa Publicadora Brasileira
Places
Map of the places this user has livedMap of the places this user has livedMap of the places this user has lived
Previously
Criciúma - Florianópolis - Tatuí