Profile cover photo
Profile photo
Frozan Hart
33 followers -
você passa e não me olha, mas eu olho pra você
você passa e não me olha, mas eu olho pra você

33 followers
About
Frozan's posts

Post has attachment
Liberdade
se eu passar por esta noite ileso passo pela seguinte e pela próxima também ileso é necessário a repetição: a loucura a exige tanto quanto a liberdade eu sairei ileso esta noite e na próxima e próxima noite eu sairei ileso também fora as amarras do corpo e ...

Post has attachment
Vazio
criar o vazio delimitando-o com paredes ocupar o vazio dispor alguns móveis, principalmente sofás, bancos, cadeiras e chão... sentar-se nestes acender um cigarro ou um incenso ou a lareira defronte acender deixar que seja fumaça que se evole o pensamento qu...

Post has attachment
**
Existo hoje como nunca existi antes corpo e mente indissociáveis. existo hoje como um arame farpado de in-certezas e com nenhuma delas me comprometo

Post has attachment
Sendo o amor uma escolha
Quando ele me disser vem, não terei medo de ir estarei pronto o momento que for sem dúvidas ou medos bobos : de todas as escolhas, o amor é a que exige mais coragem

Post has attachment
Medo de ficar Zen
Vou começar a dizer por dizer  desvairadas palavras  que pelo corpo  ricocheteiam  como trovões ao longe e não muito longe quero mais que se foda tudo isso quero a palavra racional como tratamento de choque : raspar a cabeça ainda me é a catarse mais apropr...

Post has attachment

Post has attachment
Apatia
Isso não é meu. esses sentimentos embotantes do pensamento e da alma . fico parado observando esse desajuste e lá de dentro ouço um rangido de porta que não se abriu de engrenagem emperrada que não girou mas que marcou no tempo seu descompasso

Post has attachment
Lá onde os sonhos se tornam pesadelos
Diante da máquina obsoleta adentrei seu corredor ladeado de portas diametralmente opostas. De um lado, Desfiladeiro de sonhos! Do outro, Desfiladeiro de sonhos! E na minha arrogância, Ousei ser maior que a Morte.

Post has attachment
Diário de Bordo
Eu Não quero esconder nada À sensibilidade alheia A macilência do rosto Os olhos afundados em tristezas Sulcos, gretas, caroços e veias Testemunhas da minha dor, da minha feiura Que não mostra os dentes por vergonha

Post has attachment
não ser
Era aquilo que chamavam de visita o que ao vento se dava: anteparo qualquer em que repousa o destino. Um campo cheio de destinos! e na linha do horizonte, entre o céu e a terra, no tempo, (...) uma nuvem formada onde embrenhado meu corpo esteve a correr, a ...
Wait while more posts are being loaded