Profile cover photo
Profile photo
Dani Ribeiro
12 followers
12 followers
About
Posts

Post has attachment
Álcool (Bolero Filosófico)
A noite mira a cidade lépida
Glorificada em edifícios sólidos
E me confronto com a crença humana
Alimentada por desejos sórdidos

Resta portanto a ilusão romântica
Vestindo o corpo de mulheres languidas
E a redenção pela metamorfose
Do iconoclasta para o ti...
Add a comment...

Post has attachment
Penélope
A menina tece a veia, o rizoma o fruto o sabor a cor pendura cordas corta entre tece entristece tecidos urdidura a obra definha cada linha cada traço ressitua a parte partitura A menina tece a costura (r)emenda o rasgo engoma enfadonha o marido pede A menin...
Add a comment...

Post has attachment
Poema d'Adversidade ou Tudo é perigoso
penas e pernas e paus pariu cobra grande dentro noite a mar acontecendo teceram corpos
tingidos ungidos a urucum curumim minguou choraram quase nada braçada em canoa não voa virou riacho fundo mundo novo engoliu a gente da cobra a obra do Divino monoteísta ...
Add a comment...

Post has attachment
Add a comment...

Post has attachment
Encomenda
Refiz umas cartas encomendadas uns versos melindres uma poesia malfadada E para você era assim: aariava do sublime ao subliminar sempre a desconfiar             da imagem rarefeita             da dança acasaladora             do fálico na ausência Ou o “tou...
Add a comment...

Post has attachment
Etiqueta
Evitar assuntos de política e outras cousas de homem. Recolho-me ao meu silêncio, como de costume à delicadeza feminina, como de costume o traquejo social de costume. O desejo contido faísca nos olhos quem é bom entendedor lê. Bordar a roupa de cama refazer...
Add a comment...

Post has attachment
Outubro
pic: Dani Ribeiro Tarde emudecida... Ouvia-se apenas o ranger da corda o movimento pendular o corpo estendido serra descortinada, luz de costas toca imóvel, pedra-concreto compunham da janela natureza morta E era tudo forma, o corpo nu embebido de qualquer ...
Add a comment...

Post has attachment
VIII
Maria anda como eu: Impossibilitada de fazer tudo o que quer. Tem mãos amarradas, ar de doente, olhar de demente, cansada. Maria vai acabar como eu: covarde nas decisões, amante das cousas indefinidas e querendo compreender suicidas. Maria vai acabar assim ...
Add a comment...

Post has attachment
Brilho finito
"Fico pensando em desintoxicação... de como me livrar dos objetos dos números analógicos do cheiro de arroz e feijão feitos no relógio ou apodrecendo nas panelas esquecidas no fogão ruminadas pelos ponteiros langues de domingo ou segunda tem alguma cirurgia...
Add a comment...

Post has attachment
Olho biônico
pic.: Dani Ribeiro Olhos postiços
De folhas secas
E pragas verdes
Maculando tudo o que vê
E o que não era pra ser visto
Dito, reescrito

E esses olhos contornados
Esquartejam o músculo sanguinolento
Adentram o ânus, a boca, o útero
Ressoam magnéticas as ...
Add a comment...
Wait while more posts are being loaded