Profile cover photo
Profile photo
Ricardo Andrade
123 followers -
"Não é um sinal de saúde estar ajustado a uma sociedade profundamente doente." Krishnamurti
"Não é um sinal de saúde estar ajustado a uma sociedade profundamente doente." Krishnamurti

123 followers
About
Ricardo's posts

Post has attachment
**
Menina de Unidade de Internação de Menores Infratores vence concurso nacional de redação

Post has attachment
Relax

Post has attachment
Unicórnio de Origami
Instruções de como fazer nos três vídeos abaixo: Vídeo 1 Vídeo 2 Vídeo 3

Post has attachment

Post has attachment

Post has attachment

Post has attachment

Post has attachment

Post has attachment

Post has attachment
PROGRAMAÇÃO DO EVENTO:

A exposição será aberta pela Ministra dos Diretos Humanos Maria do Rosário Nunes, logo após será a fala do Dr. Jorge Chediek, representante da ONU no Brasil, que fará apresentação do livro. Segue-se de uma breve intervenção da Deputada Janete Capiberibe e do Senador João Capiberibe da Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Indígenas.

A Sra. Dirce Carrion, coordenadora do projeto Olhares Cruzados fará uma breve explanação sobre o projeto Olhares Cruzados Guarani Kaiowá Pai Tavyetra seguida do Sr. Egon Heck representante do CIMI -- Conselho Indigenista Missionário - que fará uma breve intervenção.  O encerramento das falas ficará a cargo de um membro do Conselho Aty Guasu, que representa a etnia Guarani Kaiowá do Mato Grosso do Sul.


A mostra é composta por 16 mosaicos de fotografias, desenhos e entrevistas produzidas em 2012, pelas crianças e adolescentes indígenas durante a realização de oficinas de fotografia, redação e desenho do projeto Olhares Cruzados nas aldeias de Panambizinho, Tey Kue, Kurusu Amba e Reko Pave em Capitão Bado no Paraguai, essa última Guarani Pai Tavytera. Fazem parte integrante da exposição seis imagens cor em grande formato, 24 fotos preto e branco, e seis fotografias coloridas dos renomados fotógrafos Rosa Gauditano e Christian Knepper que documentaram as atividades desenvolvidas com as crianças.

As fotografias em preto e branco são de autoria de Rosa Gauditano e Christian Knepper, as demais fotografias e entrevistas são feitas por crianças e adolescentes indígenas Guarani Kayowá das aldeias de Panambizinho, Tey Kue e Kurusu Ambá no Mato Grosso do Sul e Reko Pave em Capitão Bado no Paraguai.

Após as falas o público receberá exemplares do livro, visitará a exposição e será apresentado o documentário em vídeo  Olhares Cruzados Guarani Kaiowá Pai Tavyetra

, dirigido por   Nilton Pereira. 

O projeto Olhares Cruzados Guarani Kaiowá Pai Tavytera é uma inciativa da OSCIP Imagem da Vida, que contou com a parceria do CIMI - Conselho Indigenista Missionário, do Conselho Aty Guasu, e da Ong Nossa Tribo. A exposição na Câmara dos Deputados esta tendo o apoio dos mandatos da Deputada Federal Janete Capiberibe e do Senador João Capiberibe.

SOBRE OS GUARANI  KAIOWÁ

São a mais populosa etnia indígena do Mato Grosso do Sul, e enfrentam uma situação calamitosa no que se refere aos seus direitos humanos. A mostra visa contribuir para uma visão positiva desse grupo, e para a ampliação da interface entre os Guarani Kaiowá e a sociedade brasileira, que valorize a cultura Guarani, e que chame a atenção para os problemas enfrentados por esta população.

SOBRE O PROJETO OLHARES CRUZADOS E A OSCIP IMAGEM DA VIDA

A OSCIP Imagem da Vida foi fundada em 2004 por um grupo de pessoas de diferentes áreas de conhecimento relacionadas direta ou indiretamente com a Educação, com histórico de militância em prol dos direitos humanos, e na promoção da igualdade racial. Desenvolvemos projetos na área de educação para a diversidade e os direitos humanos, principalmente com crianças e adolescentes.

O projeto “Olhares Cruzados” iniciado em 2004, possibilitou o conhecimento recíproco entre cerca de 1.500 crianças brasileiras de comunidades quilombolas e indígenas, e latino-americanas, africanas e de países fruto da diáspora africana, que trocaram fotografias, cartas e objetos produzido por elas em oficinas de fotografia, redação e arte, que têm como objetivo fortalecer suas identidades e ampliar os seus universos culturais através do reconhecimento da forma como de fato se vêem e querem ser vistas. Os resultados são sempre publicados em livros que são distribuídos nestas comunidades, em escolas e bibliotecas no Brasil e no exterior. São quatro documentários em vídeo, dez livros publicados, e mais dois em fase de edição.

O projeto foi realizado em onze países para além do Brasil: Angola, Moçambique, Senegal, Haiti, Congo RDC, Mali, Guiné Bissau, Cabo Verde, Bolívia, Paraguai e Etiópia; e em dez estados brasileiros: Rio Grande Do Sul, Rio de Janeiro, Maranhão, Pernambuco, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Piauí, Pará, Amazonas.

Este trabalho contou com o apoio institucional de diversas organizações sociais, das comunidades envolvidas, Secretarias de Educação e embaixadas brasileiras. Foi apresentado em dezenas de exposições, três documentários em vídeo, e em oito livros publicados e dois livros em fase de produção. Teve como principais patrocinadores: Ministério das Relações Exteriores, Secretaria Especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial – SEPPIR, Secretaria Especial de Direitos Humanos – SDH, UNICEF, Save the Children, PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, UNICEF, OEI, Instituto HSBC Solidariedade, entre outros.

Desde o seu início o projeto Olhares Cruzados contou com grande reconhecimento da mídia e da sociedade em geral. Em 2010 Dirce Carrion sua coordenadora e presidente da OSCIP Imagem da Vida recebeu a comenda da Ordem do Rio Branco como reconhecimento da eficácia do projeto no tratamento das relações do Brasil com a África e países fruto da Diáspora Africana.
Photo
Wait while more posts are being loaded