Foto da capa do perfil
Foto do perfil
Saber Atualizado
4.482 seguidores -
Porque o mundo só segue em frente se estiver atualizado!
Porque o mundo só segue em frente se estiver atualizado!

4.482 seguidores
Sobre
Postagens

A postagem está fixada.A postagem tem anexo
           E não deixem de visitar o meu blog, Saber Atualizado. Nele, eu produzo diversos artigos sobre saúde, dietas e curiosidades científicas. Aqui, mitos populares e informações irresponsáveis não têm vez.      

                          http://www.saberatualizado.com.br/

Canal no Youtube: http://www.youtube.com/c/jeanjuan

       E, galera, eu criei um perfil no Instagram para postar imagens explicativas sobre informações nutricionais dos alimentos comerciais e assuntos relacionados com a educação alimentar. A maior parte das pessoas são guiadas pelo preço dos alimentos e prestam pouca, ou nenhuma, atenção nas informações nutricionais e real composição dos produtos alimentícios consumidos.  Por isso, achei bacana a ideia de fazer um perfil voltado para essa abordagem. Comentem aí se gostaram ou se ficou difícil o entendimento das fotos...:)

                           https://instagram.com/jeanoliveirafit/

                                                       
         E, para  quem tiver Facebook, a página do Blog é a seguinte:
          
                          https://www.facebook.com/saberatualizado

                                        Valeu pela força, pessoal!
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
O morcego Uroderma bilobatum, habitante do Panamá, vivem suas vidas sempre próximo da fome. Os indivíduos dessa espécie voam toda a noite em busca de suco de figo, e outras pequenas frutas, queimando bastante energia na busca. Se eles não acham nada, o gasto energético podem literalmente matá-los de fome. E os cientistas descobriram que o sucesso de sobrevivência desses animais reside na sua anormal habilidade cardíaca.

Considerando o tamanho dessa espécie - entre 5,4 e 6,1 cm de comprimento - a quantidade de batidas por minuto do seu coração é gigantesca: de 791 a 1066 batidas por minuto (humanos, no máximo, alcançam 240), geralmente alcançando 900 durante o voo. Outros animais conseguem bater essa marca, mas tendem a ser muito menores e ter um coração bem menor (necessitando menos sangue para preenchê-lo e esvaziá-lo).

Mas o mais fantástico é que, segundo um estudo publicado esta semana na eLife, esse mamífero consegue diminuir drasticamente as batidas para 200 batidas por minuto, várias vezes a cada hora - e ficando até 6 minutos nesse estado - para economizar energia. A economia de energia que ele consegue com isso chega a ser de 10%, fazendo toda a diferença na luta contra a fome.

Tal redução drástica só é vista, geralmente, em animais hibernando, ou seja, em uma fase muito específica e de forma constante. O morcego, por outro lado, liga e desliga isso a todo momento.

Apesar de também comerem insetos, partes de flores e néctar, esse morcego é extremamente frugívoro (>80%). Além do Panamá, pode ser encontrado em outras regiões da América Central e do Sul, incluindo o Brasil.

Outros morcegos frugívoros nos trópicos também podem possuir tal estratégia metabólica de sobrevivência, algo que ainda será testado, algo que pode ajudar a explicar o sucesso da diversidade das mais de 1300 espécies de morcego ao redor do mundo.

Publicação do estudo: https://elifesciences.org/articles/26686

Referências adicionais:
1. http://www.iucnredlist.org/details/22782/0
2. https://sta.uwi.edu/fst/lifesciences/documents/Uroderma_bilobatum.pdf
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
Muitas desinformações e medos infundados rondam essa dúvida bastante comum entre os casais. O artigo abaixo explora o assunto.
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
Marijuana (Cannabis sativa L.) é a droga de abuso mais comumente usada nos EUA - e se tornou praticamente parte do cotidiano de boa parte da população norte-americana - e com similar tendência ao redor do mundo. Existe toda uma polêmica em torno da sua legalização pelos países, seja para o uso medicinal seja para o uso recreativo, onde seus defensores apontam que a droga não é mais prejudicial do que o fumo do tabaco e do consumo alcoólico. Porém, no caso da marijuana/maconha, está existindo a tendência de considerá-la totalmente inofensiva para a saúde, o que é extremamente perigoso para o público e um novo estudo publicado na Scientific Reports aumenta ainda mais essa preocupação.

Como eu discuti em um artigo publicado no Saber Atualizado (1), o fumo da maconha, apesar de ser considerado inofensivo, traz os mesmos potenciais de risco do fumo do cigarro, porque o grande problema em ambos está relacionado ao ato de fumar. Bem, deixando esse importante fato de lado, pesquisadores norte-americanos reportaram que tanto canabinoides sintéticos quanto naturais induzem ataques súbitos na atividade cerebral (atividade elétrica anormal no cérebro, especialmente epilépticas) em ratos.

Nesse caso, os agentes de gatilho estudados foram o canabinoide Δ9-tetrahidrocanabinol (10 mg/kg), um dos principais constituintes da marijuana e o canabinoide sintético JWH-018 (2.5 mg/kg), constituinte primário da droga conhecida como Spice. Apesar das doses administradas em ratos serem bem maiores do que a média do consumo regular de marijuana através do fumo ou outros meios, o JWH-018 mostrou grande afinidade com o receptor CB1R (o qual faz parte do sistema canabinoide cerebral CB1R, CB2R e canabinoides endógenos), tendo, portanto, maior efeitos adversos no cérebro. Além disso, diferentes pessoa podem ter diferentes suscetibilidades aos efeitos dos canabinoides. E esses resultados vem para reforçar dois alertas.

O primeiro é a emergência dos chamados Canabinoides Sintéticos (CS), estes os quais vem crescendo de produção e distribuição como droga de rua e vendidos como "seguros" derivados da marijuana. Só em 2014, foram reportadas 25 mortes e 700 casos de sérios danos à saúde no norte da Rússia devido ao consumo desses sintéticos. O segundo alerta é para abrir os olhos do público para os canabinoides diversos, naturais ou não, porque os mesmos estão longe de serem completamente seguros. E soma-se outros problema aqui, já que variações da planta da maconha estão sendo cultivados nos últimos anos com um maior conteúdo de ∆9-THC, em um aumento estimado de 3,96% em 1995 para 12,3% em 2014.

Os ataques súbitos de atividade cerebral, os quais englobam os ataques epilépticos, podem causar graves riscos à saúde de forma direta e indireta. Na forma direta, em geral, um real problema apenas surge se tais ataques forem recorrentes ou durarem mais do que 5 minutos. Porém, como esses ataques podem compreender perda de consciência, quedas, espasmos musculares e convulsões, sérios acidentes indiretos podem ocorrer. Pessoas abusando de canabinoides de qualquer fonte durante a direção de veículos, por exemplo, podem se envolver em graves acidentes, e quedas podem ser fatais dependendo das circunstâncias. Aliás, é proibido consumir marijuana durante a direção de veículos, devido aos seus outros efeitos de desorientação.

Isso traz ainda mais peso às discussões políticas sobre a legalização dessas drogas e como o controle do consumo e fiscalização dos sintéticos e variações das plantas cultivadas devem agir para proteger o público. No mínimo, uma pesada conscientização deve seguir o livre consumo da maconha ao redor do mundo.

(1) Artigo referenciado: http://www.saberatualizado.com.br/2016/02/fumo-da-maconha-lobo-sob-pele-de.html

Publicação do estudo: https://www.nature.com/articles/s41598-017-10447-2

Referências adicionais: 1. https://www.cdc.gov/epilepsy/basics/types-of-seizures.htm
2. https://medlineplus.gov/seizures.html
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
Um novo estudo publicado no periódico The Lancet mostrou que qualquer tipo de atividade física possui o potencial de diminuir significativamente o número de mortes ao redor do mundo.

Seja fazendo musculação na academia, caminhadas, ou mesmo limpeza na casa (todas as atividades com um esforço físico moderado, obviamente), os pesquisadores mostraram que fazer pelo menos 150 minutos de atividades físicas por semana reduz o risco de morte por todas as causas em 28% e, no caso específico de doenças cardíacas, o risco diminui em 20% de desenvolvê-las.

Se todos fossem ativos pelo mínimo de tempo recomendado por semana, por um período de 7 anos um total de 8% das mortes poderiam ser prevenidas no mundo.

O estudo englobou 130 mil pessoas de 17 países. As atividades físicas oferecem uma poderosa ferramenta de benefícios à saúde de fácil acesso à população, independentemente do nível de desenvolvimento de uma país, sendo que pode ser incorporada no cotidiano das pessoas de forma inclusive útil fora do campo da saúde e estética.

Publicação do estudo: http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(17)31634-3/fulltext
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
É ainda uma grande dúvida para os cientistas o fato de rãs venenosas - possuidoras de poderosas toxinas na pele - não se envenenarem com o próprio veneno. Mas um estudo publicado na Science desta semana lança resultados que podem ajudar a resolver esse mistério e ainda fornecer uma excelente contribuição para a medicina.

As rãs venenosas estão constantemente produzindo fortes toxinas para manter predadores afastados, com muitas inclusive possuindo sinais coloridos na pele para alertar do perigo. Essas toxinas se ligam aos receptores dos sistema nervoso dos animais, podendo causar hipertensão, ataques súbitos e mesmo a morte.

Estudando um subgrupo de rãs venenosas que usam a toxina epibatidina, os pesquisadores descobriram que uma pequena mutação nesses anfíbios - uma mudança em apenas três dos 2500 aminoácidos na estrutura dos receptores citados - previne que a forte toxina atue nesses animais, protegendo-os do seu próprio veneno, e, ao mesmo tempo, mantendo a funcionalidade saudável dos receptores. E não só isso: essa mesma mutação surgiu três vezes durante a evolução dessas rãs.

Além de lançar uma luz na questão, esse achado ainda responde o porquê de mais animais não usarem tais poderosos venenos para se defenderem, já que esta é uma arma bem eficaz. Com a necessidade de mutações tão específicas como essa, isso cria bastante dificuldade durante seleções naturais.

Na área medicinal, por décadas, pesquisadores sabem que a toxina epibatidina também pode agir como um poderoso anestésico não aditivo ou mesmo como um aliado na luta contra a nicotina. Entender como as rãs se protegem dos efeitos destrutivos da toxina pode ajudar na síntese de medicamentos derivados da epibatidina seguros de serem usados em humanos.

*A rã da imagem abaixo, da espécie Epipedobates anthonyi, é a primeira fonte descoberta de epibatidina, em 1974.

Referência: https://news.utexas.edu/2017/09/21/why-poison-frogs-don-t-poison-themselves
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
Um estudo publicado nesta semana na Current Biology mostrou que águas-vivas (do gênero Cassiopea), mesmo não possuindo um cérebro, dormem assim como humanos, ratos, peixes, moscas, entre outros animais mais complexos e detentores de um sistema nervoso central!

É o primeiro caso de um animal que mostra claros sinais de adormecimento mesmo sem possuir um cérebro, segundo pesquisadores da Howard Hughes Medical Institute (HHMI), responsáveis pelo achado.

Ainda existem muitas dúvidas entre os cientistas sobre o porquê dos animais precisarem dormir e para tentar responder isso, o novo estudo focou em uma pergunta mais básica: será que todos os animais dormem? Em invertebrados, isso era tido como improvável, até a confirmação que as moscas dormem e agora, que um ser ainda mais simples também o faz, ou seja, águas vivas.

Analisando os pulsos de atividade desses animais, os pesquisadores mostraram que os mesmos eram sempre bem menos frequentes à noite e que a reação das águas-vivas à estímulos externos era cerca de três vezes mais lento do que o normal, ambos comportamentos - cíclicos - tipicamente vistos em animais capazes de entrar em um estado de sono. Esses resultados fortemente sugerem que esses animais, de fato, dormem.

Essa fascinante descoberta coloca a origem do ato de dormir muito mais longe na árvore evolucionária, antes da emergência de um sistema nervoso centralizado.

Agora, os pesquisadores querem saber se animais ainda mais simples, como esponjas-marinhas ou mesmo protozoários também são capazes de dormir, e tentar descobrir de onde esse comportamento primeiro surgiu, e responder se é realmente necessário a existência de neurônios para tal ou mesmo mais de uma célula total.

Publicação do estudo: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0960982217310230
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
DICA DE SAÚDE!

Apesar de muitas pessoas acharem que apenas o fumo do cigarro é que realmente causa prejuízos graves para o corpo, todo o fumo de tabaco, seja na forma de cigarro de palha seja na forma de narguilé, é muito prejudicial ao organismo, por causa da queima de matéria orgânica dos mesmos. A fumaça da queima é a grande vilã, e não diferenciações mínimas entre os produtos. Somando-se a isso, é válido lembrar que até mesmo o consumo de tabaco - em específico - sem fumo mostra prejuízos sérios à saúde.

Segundo a WHO (Organização Mundial da Saúde, na sigla em inglês), a epidemia mundial do tabaco ( fumo, aspiração, ingestão ou mastigação), no século XX, matou mais de 100 milhões de pessoas. Atualmente, 5,4 milhões de mortes acontecem todos os anos e, caso nada seja feito...

1....A partir de 2030 serão mais de 8 milhões de mortes por ano, onde cerca de 80% das mortes ocorrerá em países em desenvolvimento;

2. E, durante o caminhar do nosso século, é estimado que 1 bilhão de pessoas morram.

Apesar de ser a causa de morte de mais fácil prevenção ( ou seja, existe uma cura definitiva: parar de fumar), o tabaco mata mais gente que a Aids, Tuberculose e Malária em conjunto.

Não deixem as estatísticas ganharem. Busque tratamento e, caso nunca tenha usado tabaco, permaneça assim. O uso do tabaco não faz mal apenas para você, ele causa danos diretos ( fumaça) e indiretos ( perda familiar) às pessoas ao seu redor. E o pior: dá mal exemplo aos mais jovens, alimentando o ciclo de vícios.

Artigos Recomendados:

http://www.saberatualizado.com.br/2016/01/o-narguile-e-menos-prejudicial-do-que-o.html ( O Narguilé é menos prejudicial do que o cigarro?)

http://www.saberatualizado.com.br/2015/12/fume-longe-de-mim-caes-e-gatos-assim.html ( Cigarro, cães, gatos e câncer)

http://www.saberatualizado.com.br/2015/07/os-cigarros-eletronicos-sao-realmente.html ( Os cigarros eletrônicos são realmente seguros?)

http://www.saberatualizado.com.br/2015/07/por-que-o-cigarro-nunca-sera-proibido.html ( Por que o cigarro nunca será proibido?)

http://www.saberatualizado.com.br/2016/02/fumo-da-maconha-lobo-sob-pele-de.html ( Fumo da maconha: Lobo sob pele de cordeiro)
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
Pesquisadores mostraram, em um estudo publicado na Proceedings of the Royal Society B desta semana, que as Corujas-das-Torres (Tyto alba) praticamente não perdem a qualidade da sua audição com a idade.

No primeiro teste experimental deste tipo, os pesquisadores treinaram os pássaros a pousarem em um galho e voar para um segundo galho apenas quando ouvissem um segundo som. Então, eles analisaram como jovens e velhas corujas respondiam aos sons em diferentes intensidades, variando de níveis que seriam completamente inaudíveis para humanos até sons correspondendo a leves sussurros.

Os resultados obtidos mostraram pequena ou nenhuma perda auditiva quando os espécimes mais velhos eram comparados com os mais jovens.

Isso é provavelmente por causa da alta capacidade regenerativa de células capilares na parte mais interna do ouvido - responsáveis por detectar sons - das aves, algo inexistente nos mamíferos. Ainda não é possível extrapolar os resultados com absoluta confiança, mas parece que todas as aves partilham dessa grande proteção auditiva demonstrada nas corujas-das-torres.

Esse novo estudo pode levar a pesquisas que aproveitem dessa habilidade das aves para otimizar tratamentos direcionados à perda auditiva em humanos, problema comum entre idosos.

Referência: http://www.sciencemag.org/news/2017/09/watch-secret-why-barn-owls-don-t-lose-their-hearing
Foto
Adicione um comentário...

A postagem tem anexo
Como a vida surgiu no nosso planeta? Quais os possíveis caminhos da Evolução Química? O artigo abaixo explora a história por trás das linhas de pesquisa que buscam explicar a origem da vida a partir de uma Terra pré-biótica e o novo grande avanço publicado recentemente por pesquisadores associados à NASA.
Adicione um comentário...
Aguarde enquanto mais postagens estão sendo carregadas