Profile cover photo
Profile photo
Marcelo Idiarte
40 followers
40 followers
About
Posts

Post has attachment
Add a comment...

Post has attachment
Enquanto Dora Kramer dá tchau para a TV Brasil, o Brasil vai dizendo adeus para o jornalismo. #imprensa   #jornalismo  
Bye, bye, jornalismo
Bye, bye, jornalismo
meiapagina.wordpress.com
Add a comment...

Post has attachment
"Tudo depende do seu poder de persuasão" #igreja #religião #fraude #exploração
Photo
Add a comment...

Post has attachment
HOMEOPATIA EM PAUTA NOVAMENTE... #homeopatia #fraude #pseudociência #crença

Embora a matéria siga a premissa jornalística de mostrar os dois lados de um assunto, é deveras espantoso que em pleno século XXI ainda se cogite haver ao menos 0,000001% de chance da homeopatia ser algo eficaz.

Depois de abrir espaço para que isso vire "debate", espero que ZH não prossiga a série com assuntos como sangria e curandeirismo.

Homeopatia não é Ciência, é crença. Ela cura tanto quanto Deus: age somente na cabeça das pessoas que acreditam.

Medicamentos homeopáticos não são apenas inócuos, são uma FRAUDE que pode comprometer a saúde de pacientes que preterem um tratamento adequado.

Quem quiser entender por que somente tratamentos alopáticos e intervenções cirúrgicas podem reverter doenças, deve ler com atenção a matéria que a própria Zero Hora publicou no final de semana passado (edição dupla de 7 e 8 de maio).

Tudo que envolve o corpo humano é biologia e química. Nós temos trilhões de células e trilhões de bactérias em nossos corpos que estão em constante interação ou conflito.

Esse ecossistema produz reações diversas, que variam conforme cada fisiologia e cada agente externo a que é exposto. São reações químicas e biológicas.

Não há magia ou onipotência que interfira nisso. Somente os medicamentos alopáticos e os médicos podem atacar a origem de um processo patológico. O resto é perfumaria. E crendices.
Add a comment...

Post has attachment
Add a comment...

Post has attachment
CORONELISMO ELETRÔNICO #rádio #tv

É igual sorteio de brindes. Só que o que sai do saco são concessões públicas.
Coronelismo eletrônico
Coronelismo eletrônico
meiapagina.wordpress.com
Add a comment...

Post has attachment
Add a comment...

Post has attachment
ACHO QUE EU VI UM GATINHO
#gato #luz #energia #furto #fraude

Nesta terça-feira (12/04/2016) o Jornal Nacional fez uma reportagem sobre algo que insisto há anos: mais da metade dos "gatos" de energia elétrica ocorre em bairros de classe média, condomínios de luxo e até empresas.

https://youtu.be/OaG0DlxNl3Y

Isso contraria o senso comum, que aprendeu a associar esse tipo de coisa somente ao ambiente de vilas e favelas.

É evidente que também há furto de energia elétrica em bairros pobres. Mas por que isso acontece nas melhores casas do ramo? Nas melhores famílias, educadas nos melhores colégios e universidades? No seio de uma classe média que vive enchendo a boca para se autoproclamar "pessoas de bem"?

A resposta ajudaria a entender porque sou tão tachativo em afirmar que é uma TREMENDA ILUSÃO esperar que o levante persecutório ao PT vá moralizar alguma coisa nesse país. Não vai. Mas não vai mesmo. Porque o problema ultrapassa as esferas públicas: está na formação familiar de cada indivíduo.

Em novembro de 2008 escrevi a primeira vez sobre a questão dos gatos generalizados na rede elétrica. Meses depois, em julho de 2009, um amigo que era procurador da CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul) confirmou uma sensação que eu tinha: a energia roubada por parte dos usuários onerava significativamente os demais. A suspeita tinha origem na minha experiência como fiscal tributário.

Estudos demonstram que a energia elétrica para o consumidor final poderia ser até 17% mais barata, caso não houvesse desvios. Detalhe: MESMO COM ICMS EMBUTIDO. Quem faz "gato" prejudica os demais usuários, porque as concessionárias repassam as perdas com ligações clandestinas na fatura de todo mundo. Ou seja: os honestos acabam subsidiando os desonestos.

É o mesmo princípio que qualquer fiscal tributário conhece: quem sonega impostos onera o bom pagador. Se não houvesse tanta sonegação de impostos poderia haver redução na carga tributária. Mas curiosamente os que mais reclamam da carga tributária no Brasil são justamente os que dão um jeitinho de não recolher impostos sobre o total faturado e/ou não declarar certos bens à Receita Federal.

Mesmo assim eles enchem a boca para dizer que produzem e pagam impostos. Se vocês querem saber, eles pagam muito menos do que falam. Uma coisa é o faturado, outra coisa é o declarado. Uma coisa é o DEVIDO, outra coisa é o pago. Quando eles dizem que "pagam" estão se referindo ao que é cobrado por municípios, Estados e União, não ao que efetivamente pagam. Quem é fiscal tributário sabe do que estou falando.

Os malandros que roubam energia elétrica estão fazendo os demais usuários pagarem mais caro pelo serviço. Tudo é repassado aos consumidores. Quanto mais pessoas fazem gatos, mais cara a distribuição fica.

Da mesma forma, quanto mais impostos são sonegados mais alta será a carga tributária. Não tem como fugir dessa lógica. A classe média, que não gosta de pagar nada (só gosta de ganhar ganhar ganhar ganhar), finge que não sabe disso e fica batendo na tecla da carga tributária - que eles mesmos alimentam através de sonegação pesada. Depois ficam culpando apenas os políticos gananciosos e as administrações públicas por isso. Pois, sim.

Além de sonegar bilhões de reais por ano em impostos, agora todos já sabem que parte da suposta classe média "de bem" também usa energia elétrica sem pagar. No fim quem acaba pagando por esse expediente são os demais cidadãos. Inclusive os que aplaudem malandragens desse tipo e ficam dizendo asneiras como "Eu também deveria sonegar", "Eu também vou fazer um gato", etc.

Por isso que é importante DENUNCIAR quem faz gato de energia elétrica (sem falar em quem sonega impostos). Seja um vizinho, um amigo ou até mesmo um parente. Todos nós pagamos por esses "jênios" da matemática, que só pensam no próprio rabo e não conseguem ver as outras implicações de seus atos.

A ideia de que o país está se moralizando por causa da prisão de petistas é apenas falácia da classe média. Esse argumento não sobrevive a uma declaração de imposto de renda. Eles atacam e desmoralizam os menos afortunados para esconder as coisas que desabonam a própria classe média.
Add a comment...

Post has attachment
Add a comment...

Post has attachment
Marcelo Idiarte commented on a post on Blogger.
Paulo, eu tenho grande respeito pelo trabalho que você realizou até aqui, voltado a mostrar contradições e crimes cometidos em nome das religiões. E também respeito teu posicionamento político.

Porém acho que você poderia ter tomado essa posição nos recentes episódios do cartel dos trens paulistanos e no caso da merenda das escolas públicas de SP, por exemplo. Na verdade acho que este blog é contemporâneo até do caso Furnas e do mensalão mineiro, mas não me recordo de você esboçar opinião nessas questões.

Corrupção não tem bandeira, não tem classe social, não tem preferência religiosa. Está em todos os lugares. Até nas melhores famílias. Literalmente. Aliás eu sempre reitero: a corrupção nasce na sociedade civil, não na administração pública. Prender corruptos e manter corruptores soltos (ou em "prisão domiciliar") é o cenário perfeito para quem continuou tendo poder econômico mesmo estando fora do poder político. É basicamente isso que a delação premiada está fazendo, embora aos olhos de uns pareça que tudo está mudando. Empreiteiras, corruptores e sonegadores em geral agradecem.

Quando alguém anuncia que é contra corrupção e só cita exemplos de corrupção do PT, soa deveras estranho. Porque não faz muito o presidente da República era um homem chamado FHC - em cujo governo há uma relação significativa de crimes e improbidades administrativas que, sim, assemelham-se muito às do PT. A diferença é que boa parte das coisas envolvendo o governo FHC não foram investigadas. Em outra parte as investigações pararam no meio do caminho. E alguns casos simplesmente prescreveram, porque ficaram anos mofando nas gavetas de procuradores e juízes.

Também não havia tanto interesse da imprensa. Os jornais que noticiavam algo na capa, acabavam repercutindo por pouco tempo. Geralmente o assunto morria antes mesmo dos próprios MPs ou Judiciário arquivarem os casos. Isso quando chegava nesses órgãos, porque há inquéritos que nunca passaram de delegacias. Essa é a medida habitual que o pessoal usa para avaliar quem roubou mais: FHC não foi condenado.

Na verdade FHC não foi nem julgado. Talvez sequer acusado formalmente. Mas isso não depõe a favor de FHC: depõe é contra nosso sistema jurídico - seletivo, elitista, e mais cheio de Lalaus e Rocha Nettos do que sonha a nossa vã Filosofia. E depõe também contra a imprensa, porque neutralidade e isenção deveriam nortear o trabalho de qualquer jornalista.

Eu aprendi que jornalista deveria apenas reportar os fatos, não se envolver com eles. Jornalista deveria ser tradutor dos fatos, não ator. Mas no Brasil jornalista virou partícipe dos acontecimentos: tem bandeira, tem camisa, tem preferências. Jornalista hoje dá a notícia e dá a opinião junto, induzindo leitores, ouvintes e telespectadores a pensarem igual a ele e ao veículo para o qual ele presta serviço. Isso, pelo que aprendi ao longo de 18 anos acompanhando o Observatório da Imprensa (o OI em si já vai para 20 anos), não é jornalismo. Pode ter o nome que quiserem dar, mas não é Jornalismo.

É uma pena que você tenha optado por dar uma guinada nos rumos do blog. Talvez pudesse ter criado outro com finalidade específica de política, para não contaminar o tipo de assunto que inspirou este blog e que me motivou a frequentá-lo durante anos. Agora vou ter que procurar outro que se ocupe apenas em indexar e editar notícias sobre Ciência, religião e ateísmo. Se não houver, que alguém aproveite a lacuna e crie um.

Abraço,
Marcelo Idiarte
Add a comment...
Wait while more posts are being loaded