Profile

Cover photo
Reforma Radical
2,583 followers|2,816,347 views
AboutPostsPhotosVideos+1's

Stream

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
A Morte da Morte na Morte de Cristo!
 ·  Translate
2
Zilma Costa's profile photo
 
Este vídeo não está mais disponível....
 ·  Translate

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
O Cetro de Cristo - Obadias Sedgwick

“Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de equidade é o cetro do teu reino” (Hebreus 1:8).

"...A verdadeira fé (...) considera Cristo e somente ele como seu Senhor (...) Muitos virão a Cristo em busca de entretenimento, mas poucos virão a Cristo para se submeterem ao seu cetro. Alguns vêm em busca da proteção do seu sangue, todavia desdenham a autoridade e o domínio da sua espada; gostam do Cristo sacerdote, não, do Cristo Senhor. 

Vou mostrar-lhes brevemente duas coisas: 

(...)
Primeira, os incrédulos não aceitarão Cristo como seu Senhor, pois o coração deles já tem outro senhor (...) O nosso senhor é aquele a quem servimos, e somos seus servos se o obedecermos (...) Basta que os anseios por lucro ou prazer conflitem com Cristo e logo se vê que o coração incrédulo seguirá seu senhor; não dará ouvidos a Cristo, pois prefere o pecado ao senhorio de Jesus. O coração incrédulo, a fim de satisfazer às próprias concupiscências, arrisca-se facilmente a desagradar a Cristo. O coração incrédulo também não consegue escolher Cristo; não suporta tê-lo como Senhor. Por que razão? Porque o domínio de Cristo é santo e celestial; é totalmente contrário a princípios e sentimentos sórdidos, os caminhos de um coração incrédulo. 

Segunda, todo crente confessa a Cristo como Senhor, assim como fez Tomé: "Senhor meu e Deus meu!" (João 20:28) (...) por isso (1) a fé curva-se ao cetro de Cristo e, com docilidade, dispõe solicitamente a alma à submissão; (2) além disso, a fé recebe Cristo totalmente e, portanto, para a fé, Cristo é o único Rei e Senhor; (3) e a fé também reconhece que a pessoa toda pertence a Cristo, o seu sangue nos comprou e pôs-nos inteiramente sob seu domínio: "fostes comprados por preço", assim disse o apóstolo (1 Coríntios 6:19-20). 

Assim também, examine-se agora quanto a isto: quem é o seu senhor? 

Se pela fé tem jurado fidelidade a Cristo – apesar de todas as tentações que o assaltam para escravizar seu coração ou aliená-lo do serviço de Cristo, e em meio a todas as opressões, sim, debaixo de todos os maus-tratos, violências e interrupções causadas pelo pecado – então o seu coração clama: Não tenho outro Senhor além de Cristo, a ele obedecerei, honrarei, amarei; a ele pertenço e apesar de tudo detesto os pecados que ainda não consegui derrotar."...

___________________________________________
Obadias Sedgwick - Day by Day with the English Puritans, Randall J. Pederson (org.), Hendrickson Publishers, 2004, p. 12.

Tradutor: Marcos Vasconcelos
Fonte: Mens Reformata
 ·  Translate
A verdadeira fé (...) considera Cristo e somente ele como seu Senhor (...) Muitos virão a Cristo em busca de entretenimento, mas poucos virão a Cristo para se submeterem ao seu cetro. Alguns vêm em busca da proteção do seu sangue, todavia desdenham a autoridade e o domínio da sua espada; ...
3
1
Osvaldo Zavadniak Filho's profile photo

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
Arrepender ou Perecer - Arthur W. Pink

Estas foram as palavras do Filho encarnado de Deus. Elas nunca foram canceladas; e não serão, enquanto este mundo durar. O arrependimento é absoluto e necessário se é para o pecador fazer paz com Deus (Isaías 27:5), porque arrependimento é o lançar fora as armas da rebelião contra Ele. O arrependimento não salva, todavia nenhum pecador jamais foi ou será salvo sem ele. Nada senão Cristo salva, mas um coração impenitente não pode recebê-LO.

Um pecador não pode crê verdadeiramente até que ele se arrependa. Isto é claro a partir palavras de Cristo concernente o Seu precursor, "Pois João veio a vós no caminho da justiça, e não lhe deste crédito, mas os publicanos e as meretrizes lho deram; vós, porém, vendo isto, nem depois vos arrependestes para crerdes nele" (Mateus 21:32). Isso é também evidente a partir de Sua chamada como trombeta em Marcos 1:15, "Arrependei-vos, e crede no evangelho". Isto é o porque o apóstolo Paulo testificava "o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus" (Atos 20:21). Não faça confusão neste ponto querido leitor, Deus "ordena agora que todos os homens em todo lugar se arrependam" (Atos 17:30).

Em requerer arrependimento de nós, Deus está pressionando Suas justas reivindicações sobre nós. Ele é infinitamente digno de supremo amor e honra, e de universal obediência. Isto nós temos impiamente Lhe negado. Tanto um reconhecimento como uma correção disto é requerido de nós. Nossa desafeição por Ele e nossa rebelião contra Ele devem ser reconhecidas e exterminadas. Dessa forma, o arrependimento é uma compreensão profunda de quão terrivelmente tenho falhado, durante toda minha vida, em dar a Deus Seu justo lugar em meu coração e em meu andar diário. ...

CONTINUE A LEITURA ...
 ·  Translate
Estas foram as palavras do Filho encarnado de Deus. Elas nunca foram canceladas; e não serão, enquanto este mundo durar. O arrependimento é absoluto e necessário se é para o pecador fazer paz com Deus (Isaías 27:5), porque arrependimento é o lançar fora as armas da rebelião contra Ele.
2
1
Zilma Costa's profile photo

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
Cessacionismo e a Glória de Deus -  Felipe Sabino de Araújo Neto

“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Romanos 11:36)

Aqueles que defendem o Cessacionismo, segundo o qual Deus não mais concede dons espirituais extraordinários aos cristãos de hoje, frequentemente são chamados de incrédulos, carnais, “frios” e até mesmo de apóstatas e hereges. Contudo, pode ser facilmente observado que os cessacionistas são justamente aqueles que mais crêem em Deus, atribuindo a ele toda a glória e poder.

No Pentecostalismo e todas as suas derivações, a atenção é voltada para o homem. O homem possui os dons espirituais; o homem possui o poder de cura; o homem tem o dom da fé; o homem tem o dom de línguas, etc. Não somente os dons são reconhecidos, mas revestidos de uma importância exagerada, tal que os fiéis são continuamente instados a buscá-los; por sua vez, aqueles que alegadamente recebem tais dons ocupam uma posição de destaque, reconhecimento e até mesmo de veneração. Milhares e milhares de pessoas saem de suas casas em busca da oração de pastor fulano, ou daquele irmão que Deus “usa”. O que é mais grave: por conta desse destaque a tais pessoas, as suas pregações (na maioria das vezes, totalmente antibíblicas e anticristãs) são recebidas como palavra de Deus, revestidas da autoridade que pertenceu somente a Cristo, aos profetas e aos apóstolos. Assim, toda a atenção está centrada no homem! Sim, existe “fé”, mas trata-se de uma “fé” cega, antropocêntrica.

Já no Cessacionismo, não há espaço para o homem. Os defensores dessa posição reconhecem que Deus deu uma posição de destaque aos apóstolos; os sinais e maravilhas que os acompanharam corroboraram a mensagem que pregavam; não somente isto, os sinais e maravilhas eram as credenciais de um apóstolo (vide a defesa que o apóstolo Paulo faz do seu apostolado com base nos milagres ocorridos no seu ministério: 1Coríntios 15). Os cessacionistas defendem que Deus é o mesmo, possuidor do mesmo poder (contrariamente às calúnias dos nossos oponentes!), mas que pelo Seu conselho, resolveu tratar os cristãos dos séculos posteriores à era cristã primitiva de modo diferente daqueles que viveram no primeiro século, a exemplo de como agiu com aqueles que viveram antes de Cristo. Reconhecemos que Deus pode fazer milagres, pois à luz da sua soberania, ninguém pode frustrar os seus planos ou mudar a sua vontade.

Todavia, Deus não age primariamente através de milagres, pois milagre é o nome atribuído às ocasiões nas quais Deus resolve agir de uma forma diferente daquela que ele mesmo age corriqueiramente. Como crentes no controle absoluto de Deus, os cessacionistas, diferentemente dos pentecostais e qualquer outro arminiano, defendem que Ele não está ausente quando milagres não acontecem – absolutamente! Deus é o grande sustentador do universo e controla minuciosamente todos os eventos. É Ele quem manda a chuva, mantém o universo em harmonia, faz a semente germinar, faz o sol raiar, etc. Assim, quando Deus resolve agir diferentemente do habitual, chamamos isso de milagre.

Assim, milagre é algo extraordinário, incomum e, consequentemente, raro. No entanto, os pentecostais dizem exatamente o contrário: para eles “milagre” é Deus não fazer nada, pois na sua concepção, quando Deus não interfere sobrenaturalmente e visivelmente na história, está quieto no seu trono. Não cremos em tal Deus! A Bíblia não descreve Deus como um relojoeiro que deu corda no mundo e foi descansar, tal como ensina o Deísmo.

Deus está controlando ativamente o mundo, A CADA MOMENTO. Dessa forma, não somente temos uma concepção diferente de milagre, mas também um Autor diferente. Não são os homens que realizam milagres, mas Deus. É Deus quem deixa de agir da maneira como ele costuma agir. É Deus quem cura, é Deus quem reverte um quadro totalmente sem esperança no nível humano. É Deus, e somente Deus. Realmente, às vezes Ele faz isso em resposta às orações dos seus servos, mas não por causa de alguém “especial” que está orando, pois a Bíblia nos ensina que Deus responde nossas orações somente por causa de Cristo, quer seja um pastor famoso ou uma criança que esteja orando, quer seja o Presidente da república ou um mendigo de rua. No início, centro e no final de tudo sempre está Deus!

A calúnia lançada contra os cessacionistas é mais irônica ainda quando lembramos que praticamente todo pentecostal é arminiano, ou seja, atribui todo poder ao livre-arbítrio do homem. Diferentemente dos arminianos, o calvinista atribui a maior manifestação de poder visível aos nossos olhos a Deus, ou seja, na conversão de um pecador. O homem é pecador, totalmente perdido e rebelde a Deus, mas Ele é quem, unicamente por causa da sua vontade, decide transformar o coração do pecador, e dar-lhe uma nova vida, uma nova disposição, uma mente renovada. Cremos no poder de Deus, e não no poder do livre-arbítrio, como fazem os pentecostais.

Assim, quando um cessacionista vê um pecador convertido (que não é um milagre no sentido de ser algo raro, mas uma demonstração visível do poder de Deus), quando vê alguém curado de câncer, quando vê um grande livramento dado a alguém, quando vê alguém sair incólume de um acidente, ele, juntamente com o apóstolo Paulo em Romanos 11:36, atribui toda glória a Deus!
 
O Cessacionismo é teocêntrico, enquanto que o Pentecostalismo é antropocêntrico! O Cessacionismo depende e confia somente em Deus, enquanto o Pentecostalismo descansa e confia no homem. De qual lado você está?

_________________________
FONTE: www.monergismo.net.br
 ·  Translate
Aqueles que defendem o Cessacionismo, segundo o qual Deus não mais concede dons espirituais extraordinários aos cristãos de hoje, frequentemente são chamados de incrédulos, carnais, “frios” e até mesmo de apóstatas e hereges. Contudo, pode ser facilmente observado que os cessacionistas são ...
3

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
A Presença Suprema de Jesus - Steven J. lawson

O primeiro fato a chamar a atenção de João é a posição de Jesus. Ele está em pé no meio de suas igrejas. Está ocupando a suprema preeminência entre as igrejas, movendo-se livremente entre elas.

"E virei para ver quem. falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; e no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do Homem (Ap 1.12,13a)."

Ao ouvir a voz como trombeta, João virou-se e viu sete castiçais de ouro. Nos tempos antigos, os castiçais eram colocados no canto do aposento com uma pequena lamparina sobre si. O propósito do castiçal era manter a lâmpada suspensa no lugar mais proeminente do aposento. O castiçal não era a luz; era o suporte desta. Os sete castiçais são as sete igrejas (Ap 1.20). Somos o suporte da luz de Cristo neste mundo que jaz em trevas. Esta é a missão da igreja.

São sete os castiçais. Este número representa totalidade; representa as igrejas, não somente da Ásia Menor, mas as de todos os tempos em todos os lugares. O que Jesus aqui declara, servirá a todas as igrejas e crentes de todos os tempos.

Os castiçais são feitos de ouro, o metal mais precioso e caro. O ouro representa o grande valor da Igreja. Seu valor é determinado por aquilo que alguém esteja disposto a pagar. Nosso valor é inestimável. Jesus derramou seu preciosíssimo sangue para resgatar a Igreja. Um preço superior ao do ouro e da prata (1 Pe 1.18,19). Somos preciosos para Ele!

No meio dos castiçais, João vê a figura como de um homem. Não um homem qualquer, mas o Filho do Homem. Este é um título messiânico profundamente enraizado no Antigo Testamento, pois fala daquEle que há de vir, ungido pelo Espírito, para inaugurar o reinado de Deus na terra.

O profeta Daniel viu o Filho do Homem vindo para governar o mundo com soberana autoridade: “Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem... E foi-lhe dado o domínio e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem: o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino o único que não será destruído” (Dn 7.13,14).

O Filho do Homem é Jesus Cristo, o Filho de Deus. Ele é tão perfeitamente Deus como fora perfeitamente homem. É o verdadeiro homem e verdadeiro Deus.

Jesus é o Senhor de todo o Universo. Ele possui autoridade absoluta sobre todo o mundo. Sem exceções. É uma verdade essencial. Jesus é o soberano de cada congregação. A cabeça de cada igreja-corpo. E a base de cada assembléia local. Tudo precisa ser trazido diante de si.

Finalmente, a Igreja NÃO pode ser regida por qualquer homem ou liderança meramente humana, nem por membros privilegiados, ou quartéis-generais denominacionais. Jesus anda sozinho no meio dos castiçais. Apenas Ele rege sua Igreja. Quantos têm consciência de seu governo? Quantas reuniões e conselhos estão agindo de acordo com esta consciência? Quantos cultos de adoração são realizados segundo a sua vontade?

Jesus ainda está no centro de sua Igreja. Ele é o eixo; toda igreja precisa passar por Ele. Sua supremacia é absoluta e central. Esta verdade tem de governar nossos pensamentos e palavras em todos os momentos que nos reunimos seja para adoração, seja para deliberar alguma coisa.

______________________________________
Trecho do livro "Alerta Fina", por Steven J. lawson
 ·  Translate
O primeiro fato a chamar a atenção de João é a posição de Jesus. Ele está em pé no meio de suas igrejas. Está ocupando a suprema preeminência entre as igrejas, movendo-se livremente entre elas. "E virei para ver quem. falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; e no meio dos sete ...
3
1
Jacksonsaved Doulos's profile photo

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
A Cruz e o Ego - Arthur W. Pink

“Então, disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz, e siga-me” — (Mateus 16:24).

Antes de desenvolver o tema deste verso, comentemos os seus termos. “Se alguém”: o dever imposto é para todos os que desejam se unir aos seguidores de Cristo e alistar sob a Sua bandeira. “Se alguém quer”: o grego é muito enfático, significando não somente o consentimento da vontade, mas o pleno propósito de coração, uma resolução determinada. “Vir após mim”: como um servo sujeito ao seu Mestre, um estudante ao seu Professor, um soldado ao seu Capitão. “Negue”: o grego significa “negar totalmente”. Negar a si mesmo: sua natureza pecaminosa e corrompida. “E tome”: não passivamente sofra ou suporte, mas assuma voluntariamente, adote ativamente. “Sua cruz”: que é desprezada pelo mundo, odiada pela carne, mas que é a marca distintiva de um cristão verdadeiro. “E siga-me”: viva como Cristo viveu — para a glória de Deus.

O contexto imediato é mais solene e impressionante. O Senhor Jesus tinha acabado de anunciar aos Seus apóstolos, pela primeira vez, a aproximação de Sua morte de humilhação (v. 21). Pedro se assustou, e disse, “Tem compaixão de Ti, Senhor” (v. 22). Isto expressou a política da mente carnal. O caminho do mundo é a procura para si mesmo e a defesa de si mesmo. “Tenha compaixão de ti” é a soma de sua filosofia. Mas a doutrina de Cristo não é “salva a ti mesmo”, mas sacrifica a ti mesmo. Cristo discerniu no conselho de Pedro uma tentação de Satanás (v. 23), e imediatamente a rejeitou. Então, voltando-se para Pedro, disse: Não somente “deve” o Cristo subir à Jerusalém e morrer, mas todo aquele que desejar ser um seguidor dEle, deve tomar sua cruz (v. 24). O “deve” é tão imperativo num caso como no outro. Mediatoriamente, a cruz de Cristo permanece sozinha; mas experiencialmente, ela é compartilhada por todos que entram na vida.

CONTINUE A LEITURA ...
 ·  Translate
Antes de desenvolver o tema deste verso, comentemos os seus termos. “Se alguém”: o dever imposto é para todos os que desejam se unir aos seguidores de Cristo e alistar sob a Sua bandeira. “Se alguém quer”: o grego é muito enfático, significando não somente o consentimento da vontade, ...
3
Have him in circles
2,583 people
joseph marie's profile photo
gustavo rodrigues's profile photo
Stephany Galvão's profile photo
Mario Luiz's profile photo
leonardo valdeci's profile photo
Carol Leite's profile photo
Jornal Parabolico's profile photo
Maria Luana's profile photo
edi camarguinho's profile photo

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
Racionalidade - John MacArthur

Não vos escrevi porque não saibas a verdade; antes, porque a sabeis, e porque mentira alguma jamais procede da verdade (Jo 2.21).

Uma segunda palavra-chave que ajuda a definir uma cosmovisão autenticamente cristã é a racionalidade. Nós acreditamos que a revelação objetiva das Escrituras é racional. A Bíblia faz sentido perfeitamente. Ela não contém contradições, nem erros nem princípios mal fundamentados. Qualquer coisa que contradiga as Escrituras é falso.
 
Esse tipo de racionalidade é oposto a todo o conteúdo do pensamento pós-moderno. As pessoas da atualidade são ensinadas a glorificar a contradição, a abraçar o que é absurdo, a preferir o que é subjetivo e a permitir que os sentimentos (em vez do intelecto) determinem o que eles crêem. Elas são ensinadas a não rejeitar idéias apenas porque contradizem o que nós aceitamos ser verdadeiro. E elas são até mesmo encorajadas a abraçar conceitos contraditórios e mostrar-lhes o mesmo respeito como se fossem verdadeiros. Tal irracionalidade não é nada menos do que rejeitar o conceito da verdade.

Como cristão nós sabemos que Deus não pode mentir (Tt 1.2). Ele não “pode negar-se a si mesmo” (2Tm 2.13); e portanto, ele não se contradiz. Ele não é Deus de confusão (1Co 14.33). Sua verdade é perfeitamente coerente.
 
Isso significa, primeiro de tudo, que a Palavra de Deus é um registro preciso e incontestável da verdade. A Bíblia não é cheia de absurdos, contradições ou fantasias. Ela é perfeitamente consistente com tudo o que é verdadeiro. Os fatos colocados pelas Escrituras são fidedignos. Os eventos históricos descritos na Bíblia são história verdadeira, não alegorias míticas ou exóticas. A doutrina ensinada nela é sem erro. Os detalhes das Escrituras são preciosos, desde o dia da Criação até o dia final da consumação, da volta de Cristo. As Escrituras em si são completamente livres de todos os erros e deficiências.

“... é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da Lei” (Lc 16.17). É desse modo que Cristo via as Escrituras, e qualquer pessoa que adote um ponto de vista diferente não será, nesse aspecto, um seguidor genuíno de Cristo.

Mas existe uma segunda, igualmente importante, implicação de nossa confiança na veracidade absoluta de Deus: Visto que sua Palavra é verdade objetiva e perfeitamente fidedigna em tudo que ensina, as Escrituras deveriam ser tanto o ponto de partida como o de chegada do teste da verdade em todo nosso pensamento. Se as Escrituras são totalmente verdadeiras, então qualquer coisa que as contradiga é simplesmente falsa, mesmo se estivermos falando de crenças fundamentais sobre as quais as ideologias mais populares do mundo são baseadas.

Esse tipo de racionalidade em branco e preto é uma das principais razões do Cristianismo bíblico ser intolerável numa geração que despreza a simples ideia de verdade absoluta.

A fim de que ninguém entenda mal, nós não estamos defendendo o racionalismo – a noção de que a razão humana sozinha, independente de qualquer revelação sobrenatural, possa descobrir a verdade. Um racionalista imagina que a razão humana é tanto a fonte como o teste final de toda verdade. O fato é que o racionalismo exalta a razão humana acima das Escrituras.

Como cristãos nós nos opomos ao racionalismo, mas o Cristianismo não é de modo algum hostil a racionalidade. Nós cremos que a verdade é lógica; é coerente; é inteligível. Não apenas a verdade pode ser conhecida racionalmente; ela não pode ser conhecida de modo algum se nós abandonarmos a racionalidade. ...

CONTINUE A LEITURA ...
 ·  Translate
Uma segunda palavra-chave que ajuda a definir uma cosmovisão autenticamente cristã é a racionalidade. Nós acreditamos que a revelação objetiva das Escrituras é racional. A Bíblia faz sentido perfeitamente. Ela não contém contradições, nem erros nem princípios mal fundamentados.
1

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
Um Chamado à Separação - Arthur W. Pink 

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (2 Coríntios. 6:14-18)

Esta passagem dá expressão a uma exortação divina para os que pertencem a Cristo para manterem-se afastado de todas as associações íntimas com os ímpios. Ele expressamente os proíbe de entrar em alianças com os não-convertidos. Ele definitivamente proíbe os filhos de Deus que andem de mãos dadas com os mundanos. É uma advertência aplicável a todas as fases e áreas das nossas vidas – religiosa, doméstica, social, comercial. E nunca, talvez, houve um momento em que mais necessitamos pressionar os cristãos do que agora. Os dias em que vivemos são marcadas pelo espírito de compromisso. Por todos os lados vemos misturas profanas, alianças ímpias, jugos desiguais. Muitos cristãos professos parecem estar tentando descobrir quão perto do mundo podem andar e ainda ir para o céu.  

“Não vos prendais em jugo desigual”. Esta é uma chamada para a separação dos piedosos. Em cada dispensação essa ordenança Divina foi feita. Para Abraão a Palavra peremptória de Jeová foi: “Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai”. Para Israel, Ele disse: “Não fareis segundo as obras da terra do Egito, em que habitastes, nem fareis segundo as obras da terra de Canaã, para a qual vos levo, nem andareis nos seus estatutos”. (Levítico 18:3) E ainda: “Não andeis nos costumes das nações que eu expulso de diante de vós” (Levítico 20:23) E foi pelo descaso dessas mesmas proibições que Israel trouxe sobre si tão severos castigos.  

O princípio do Novo Testamento nos mostra o precursor de Cristo do lado de fora do judaísmo organizado dos seus dias, convidando os homens a fugirem da ira vindoura. O Salvador anunciou que: “e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora”. (João 10: 3) No dia de Pentecostes a palavra aos crentes foi: “Salvai-vos desta geração perversa”. (Atos 2:40) Mais tarde, aos Cristãos Hebreus, Paulo escreveu: “Saiamos, pois, a Ele fora do arraial”. (13:13) o chamado de Deus para o Seu povo na Babilônia é: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas” (Apocalipse 18:4). ...

CONTINUE A LEITURA ...
 ·  Translate
Esta passagem dá expressão a uma exortação divina para os que pertencem a Cristo para manterem-se afastado de todas as associações íntimas com os ímpios. Ele expressamente os proíbe de entrar em alianças com os não-convertidos. Ele definitivamente proíbe os filhos de Deus que andem de mãos dadas ...
4
1
Ruth Rossini's profile photo

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
"O Arminiano sustenta a ideia bárbara, cruel, e antinatural de que um homem pode ser filho de Deus, e, em seguida Deus pode deserdá-lo, porque ele não se comportou. A ideia é revoltante até mesmo para a sensibilidade humana! Se nossos filhos pecam, eles ainda são os nossos filhos, e embora os castiguemos e punamos, contudo nunca os expulsaremos de nossas famílias. Há muitos dos filhos de Deus que se desviaram dEle, e foram punidos por isso, mas seria uma ideia muito bárbara supor que Deus renegaria o Seu filho por qualquer pecado que ele comete. Deus mantém firme o Seu Pacto, Ele os ama, embora eles sejam pecadores. Deus os guarda de seguir desenfreadamente em pecado, mas quando, às vezes, se desviam do caminho reto, como o melhor deles fará, Seu coração amoroso para com eles ainda é imutavelmente o mesmo!

Eu absolutamente não sirvo ao deus dos Arminianos! Eu não tenho nada a ver com ele e eu não me curvo diante do Baal que eles criaram! O deus dos Arminianos não é o meu deus, nem jamais o será! Eu não temo e nem tremo diante dele. Um deus mutável pode ser o deus para o Arminiano, mas ele não é o deus para mim. Meu Senhor não muda!

O deus que diz algo hoje e nega amanhã; que justifica hoje e condena amanhã; o deus que guarda seus próprios filhos em um dia e no dia seguinte permite que eles se tornem filhos do Diabo, não tem nada a ver com o meu Deus, nem mesmo em mínimo grau! Ele pode ter algo a ver com Astarote ou Baal, mas “o SENHOR” nunca foi nem pode ser o seu nome. Jeová não muda! Ele não conhece sombra de variação. Se Ele tem posto o Seu coração sobre um homem, Ele o amará até o fim. Se Ele o escolheu, Ele não o escolheu por qualquer mérito próprio; Ele, portanto, nunca vai expulsá-lo por qualquer demérito de sua autoria. Se Deus tem gerado uma pessoa para uma viva esperança, Ele não a deixa cair e morrer! Isso seria uma quebra de todas as promessas e uma revogação da Pacto! Se algum querido filho de Deus pode sair, então todos podem. Se um daqueles pelos quais o Salvador morreu pode ser condenado, então, o sangue do Salvador seria absolutamente nulo e vão. Se um daqueles a quem Ele chamou segundo o Seu propósito pode perecer, então o Seu propósito seria nulo e sem efeito."

Apenas um trecho de: "Bênçãos do Pacto", por C. H. Spurgeon
Clique no link para fazer a leitura completa.
 ·  Translate
Este versículo ocorre em um dos Salmos de Aleluia, ou seja, aqueles que começam com: “Louvai ao Senhor”. Muitas vezes encontramos o salmista louvando e exaltando a Deus, então imitemos seu exemplo. Vamos imitá-lo, e, então, veremos que será muito agradável e proveitoso também, pois este é nosso ...
6

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
A Falsa Religião do Adepto da Teoria do "Livre-Arbítrio", por Scott Price

1) O adepto da teoria do “livre-arbítrio” crê que o homem NÃO é totalmente depravado e que ele possui plena capacidade para ir a Cristo ao usar seu livre-arbítrio, e que Deus aceitará essa pessoa por causa do exercício dessas habilidades. Note: Dizer que o homem NÃO é totalmente depravado significa afirmar que ele possui certa justiça própria digna de merecer algo da parte de Deus.

2) O adepto da teoria do “livre-arbítrio” crê que Deus o escolhe baseado na observação futura do uso do livre-arbítrio — caso o homem escolha crer —, portanto , Deus elege um homem para a salvação sob a condição de que o livre-arbítrio previsto dessa pessoa escolha a Deus. Note: Dizer que a eleição é condicionada de alguma forma pelo homem é promover a salvação pelas obras, que é uma coisa má e autojustificadora.

3) O adepto da teoria do “livre-arbítrio” crê que Cristo morreu universalmente por toda humanidade, sem exceção, e que depende do livre-arbítrio do homem tornar a morte de Cristo eficaz. Note: Dizer que a morte de Cristo NÃO é o diferencial entre céu e inferno é competir com o estabelecimento e a obra da justiça que Cristo obteve mediante sua vida e morte .

4) O adepto da teoria do “livre-arbítrio” crê que o homem pode resistir à vontade de Deus a qualquer hora mediante vontade própria. Note: Dizer que o pecador pode resistir ao chamado eficaz, interno e atrativo do Espírito Santo de Deus — o mesmo poder que levantou Cristo dos mortos — é dizer que o homem possui mais poder que o próprio Deus .

5) O adepto da teoria do “livre-arbítrio” crê ser capaz, mediante seu livre-arbítrio, voltar as costas para Deus e, como resultado disso, perder a salvação. Note: O problema com o adepto da teoria do “livre-arbítrio” é que, antes de tudo, ele não entende como a pessoa é salva, muito menos o tópico da preservação ou perseverança. Ele imagina ser alvo da salvação condicional, orientada por obras do princípio ao fim.

Esses cinco pontos — aos quais o adepto da teoria do “livre-arbítrio” da falsa religião se apega — são mentiras de Satanás, opostas à verdade divina. Deus diz que somos justificados pelo sangue e pela justiça imputada de Jesus Cristo, o Senhor. O falso evangelho parece existir em excesso no mundo hoje. Paulo disse em Gálatas 1:9: “Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema”. Se Deus é absolutamente soberano e o autor da salvação eterna, então o livre-arbítrio é um mito. A Palavra de Deus declara dessa forma.

Se o adepto da teoria do “livre-arbítrio” está tão impressionado com seu livre-arbítrio, por que ele não o usa para parar de pecar? Ele não pode fazê-lo, pois não o possui! “Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece” (Romanos 9:16). Toda a glória irá para Deus na salvação de uma pessoa ou não haverá salvação. Deus é zeloso de sua glória e não a partilhará com nenhum adepto da teoria do “livre-arbítrio”. JAMAIS!

__________________________________
Traduzido por: Felipe Sabino de Araújo Neto
Cuiabá-MT, 15 de Setembro de 2005.
Fonte: www.monergismo.com
 ·  Translate
1) O adepto da teoria do “livre-arbítrio” crê que o homem NÃO é totalmente depravado e que ele possui plena capacidade para ir a Cristo ao usar seu livre-arbítrio, e que Deus aceitará essa pessoa por causa do exercício dessas habilidades. Note: Dizer que o homem NÃO é totalmente depravado ...
4
2
Jacksonsaved Doulos's profile photoRuth Rossini's profile photo

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
Um Apelo ao Discernimento - John MacArthur

Muitos têm perdido a confiança na suficiência da Palavra de Deus porque nunca, de fato, aprenderam suas verdades ou como aplicá-la adequadamente. No entanto, a Escritura é uma parte crucial da armadura espiritual e compõe o equipamento necessário para que o cristão seja completo (Ef 6.11). A espada do Espírito, a Palavra de Deus (v. 17), é a única arma ofensiva que Paulo menciona naquela passagem. Como qualquer arma, ela deve ser usada habilmente para ser mais eficaz. Isso está implícito na palavra grega que Paulo usou para "espada". Paulo não usou a palavra rhomphaia, que se refere a uma espada larga, mas machaira, uma pequena adaga. O termo grego traduzido por "palavra" é rhêma. Isto se refere a algo específico. Como uma pequena adaga é aplicada com habilidade e precisão a uma área vital do corpo, assim também devemos usar a Palavra cuidadosamente e com maestria, aplicando princípios específicos dela a cada situação que enfrentamos. Foi assim que Jesus lidou com Satanás (Mt 4.1-11; Lc 4.1-13).

Como está a sua habilidade com a espada do Espírito? Você tem uma compreensão ampla da Escritura e sabe como aplicá-la com precisão. Se você aprender a usá-la apropriadamente, a Palavra poderá ser uma arma eficaz para qualquer desafio.; Entretanto, perder tempo e energia com armas fabricadas por homens, fará de você uma vítima indefesa na batalha espiritual.

Lucas descreveu como nobre o povo judeu de Beréia (At 17.11), pois eles examinaram as Escrituras antes de aceitar qualquer coisa que Paulo dizia como verdade. Ah! se hoje os cristãos fossem tão nobres! Asseverar a verdade da Palavra de Deus e apoiar aqueles que a proclamam com exatidão é uma atitude digna de louvor. Por outro lado, tolerar falsa doutrina e mestres apóstatas é espiritualmente fatal; e é tolice não sabermos a diferença. Mas o espírito de tolerância que hoje prolifera na igreja tem a tendência de tachar como estreita, sem amor e causadora de divisão qualquer pessoa que tenta questionar o ensino dos outros. A consequência da tolerância ao erro é a indiferença à verdade; e isso é desastroso.

A igreja tornou-se indolente. Ela tem deixado de pensar de modo bíblico e cuidadoso e tem tolerado muito ensinamento falso. Cada vez menos cristãos estão encarando a vida com a mesma atitude dos bereanos. Deixaram de desenvolver o hábito de discernir ou aplicar os princípios bíblicos às suas situações diárias. Conseqüentemente, quando se vêem em problemas, presumem que a Escritura não lhes pode ajudar. Então se voltam para alternativas humanistas e mundanas que apenas lhes trazem pesar. Desajuizada-mente renunciam a suficiência que possuem em Cristo e, então, lutam para preencher o vazio com substitutos totalmente inadequados. Além do mais, ao deixarem de se firmar sobre princípios bíblicos, abrem a porta para todo tipo de influências malignas. ...

CONTINUE A LEITURA ...
 ·  Translate
Muitos têm perdido a confiança na suficiência da Palavra de Deus porque nunca, de fato, aprenderam suas verdades ou como aplicá-la adequadamente. No entanto, a Escritura é uma parte crucial da armadura espiritual e compõe o equipamento necessário para que o cristão seja completo (Ef 6.11).
6
1
Ruth Rossini's profile photo

Reforma Radical

Shared publicly  - 
 
Pragmatismo e Misticismo - John MacArthur 

Pragmatismo
O fim justifica os meios? Mais do que nunca, a resposta dos evangélicos tem sido "sim". As igrejas, em seu zelo para atrair incrédulos, estão incorporando virtualmente todo tipo de entretenimento.

A igreja primitiva reunia-se para adorar, orar, ter comunhão e ser edificada — e separava-se para evangelizar os incrédulos. Muitos hoje crêem que, em lugar disso, as reuniões da igreja deveriam entreter os incrédulos, de forma a gerar uma experiência que torne Cristo mais "apetecível" para eles. Cada vez mais, as igrejas estão trocando a pregação da Palavra por dramatizações, shows variados e coisas semelhantes. Algumas igrejas têm relegado o estudo da Bíblia aos cultos do meio da semana; outras o abandonaram por completo. Aqueles que possuem acesso ao referido conhecimento secreto nos dirão que a pregação bíblica, por si, não tem como ser relevante. Afirmam que a igreja precisa adotar novos métodos e programas inovadores, a fim de agarrar as pessoas no nível em que elas se encontram.

Esse tipo de pragmatismo vem rapidamente substituindo o sobrenaturalismo em muitas igrejas. Trata-se de uma tentativa de se alcançar objetivos espirituais através da metodologia humana e não por meio do poder sobrenatural. O critério primário deste pragmatismo é o sucesso exterior. Tal pragmatismo emprega qualquer método que atraia uma multidão e estimule a reação desejada. As pressuposições de tal pragmatismo são de que a igreja pode atingir alvos espirituais através de meios carnais e que o poder da Palavra de Deus, por si só, não é suficiente para acabar com a cegueira e a dureza de coração do pecador.

Ao afirmar isso não creio que esteja indo longe demais. A onda de pragmatismo que assola a igreja de nossos dias parece estar fundamentada na concepção de que técnicas artificiais e estratégias humanas são cruciais para a missão da igreja hoje. Muitos parecem crer que, se nossa programação tiver bastante atrativos e nossa pregação for suficientemente persuasiva, então conseguiremos capturar as pessoas para Cristo e para a igreja. Por isso, torcem a sua filosofia a respeito do ministério para encaixar as técnicas que mais parecem satisfazer os incrédulos.

CONTINUE A LEITURA ...
 ·  Translate
A igreja primitiva reunia-se para adorar, orar, ter comunhão e ser edificada — e separavase para evangelizar os incrédulos. Muitos hoje crêem que, em lugar disso, as reuniões da igreja deveriam entreter os incrédulos, de forma a gerar uma experiência que torne Cristo mais "apetecível" para eles.
3
People
Have him in circles
2,583 people
joseph marie's profile photo
gustavo rodrigues's profile photo
Stephany Galvão's profile photo
Mario Luiz's profile photo
leonardo valdeci's profile photo
Carol Leite's profile photo
Jornal Parabolico's profile photo
Maria Luana's profile photo
edi camarguinho's profile photo
Links
Other profiles
Contributor to
Basic Information
Gender
Male
Reforma Radical's +1's are the things they like, agree with, or want to recommend.
A SOBERANIA DIVINA - J. I. Packer | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Não pretendo aqui ficar perdendo tempo, tentando provar-lhes a verdade genérica de que Deus é o soberano do mundo criado por ele. Isso é des

Os Decretos de Deus – A. W. Pink | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

O decreto de Deus é Seu propósito ou determinação com respeito às coisas futuras. Usamos o singular, como o fazem as Escrituras (Romanos 8:2

Você Tem Certeza da sua Salvação? - Joel Beeke | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Um homem e uma mulher estavam parados de mãos dadas numa praia. Por um tempo, o único som era o das ondas quebrando. Então o homem perguntou

Jesus nunca foi simpático com os heréticos - John MacArthur | Reforma Ra...
www.reformaradical.hol.es

Em resumo, ele [Jesus] nunca usou a abordagem pacifista com heréticos nem com hipócritas ignorantes. Nunca fez o tipo de apelo particular ge

Alerta contra erros - John MacArthu | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Por que muitos evangélicos agem como se os falsos mestres na igreja nunca pudessem ser um problema sério nesta geração? Muitos parecem estar

A Grande Ruptura – John MacArthur | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Martinho Lutero disse: "Se o nosso evangelho tivesse sido recebido em paz, ele não seria o verdadeiro evangelho". Se alguém já viu a verdade

Apelo Fanático ao Espírito Santo - João Calvino | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Ademais, aquele que, repudiada a Escritura, imaginam não sei que via de acesso a Deus, devem ser considerados não só possuídos pelo erro, ma

Reforma Radical | Teologia Reformada
www.reformaradical.hol.es

Deus, mensagens, depravação, total, estudos, calvino, reformada, john, ebook, vídeos, joão, sermões, Paul Washer, lutero

Reforma Radical | Teologia Reformada
www.reformaradical.hol.es

Deus, mensagens, depravação, total, estudos, calvino, reformada, john, ebook, vídeos, joão, sermões, Paul Washer, lutero

Você Ama a Cristo? - Thomas Vincent | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Vocês podem saber se de fato são cristãos verdadeiros pelo teste do seu amor por Jesus Cristo. Portanto, examinem-se a si mesmos, se de fato

Reforma Radical | Teologia Reformada
www.reformaradical.hol.es

Deus, mensagens, depravação, total, estudos, calvino, reformada, john, ebook, vídeos, joão, sermões, Paul Washer, lutero

Filme de Lutero - Reforma protestante | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Ou veja também essa versão em preto e branco de 1953.Esse é um filme clássico do reformador Martinho Lutero. Reforma Radical. Seja o Primeir

Reforma Radical | Teologia Reformada
www.reformaradical.hol.es

Deus, mensagens, depravação, total, estudos, calvino, reformada, john, ebook, vídeos, joão, sermões, Paul Washer, lutero

Examine! - John Flavel | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

Se Cristo é o precioso de todas as nações, examine se Ele é o desejo de suas almas, em particular; do contrário, vocês não terão nenhum bene

Reforma Radical | Teologia Reformada
www.reformaradical.hol.es

Deus, mensagens, depravação, total, estudos, calvino, reformada, john, ebook, vídeos, joão, sermões, Paul Washer, lutero

Reforma Radical | Teologia Reformada
www.reformaradical.hol.es

Deus, mensagens, depravação, total, estudos, calvino, reformada, john, ebook, vídeos, joão, sermões, Paul Washer, lutero

Reforma Radical | Teologia Reformada
www.reformaradical.hol.es

Deus, mensagens, depravação, total, estudos, calvino, reformada, john, ebook, vídeos, joão, sermões, Paul Washer, lutero

Temos Livre Arbítrio? - R. C. Sproul | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

“Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer;”A palavra que usada aí é traduzida pela maioria dos dicionários pela palavra

O Mito do Livre Arbítrio - Walter J. Chantry | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

A maioria das pessoas diz que crê no “livre-arbítrio”. Você tem alguma ideia do que isso significa? Acredito que você achará grande quantida

A Paixão de Cristo, por Thomas Adams. | Reforma Radical
www.reformaradical.hol.es

"Salomão foi um grande rei, mas aqui está [Alguém] maior do que Salomão. Salomão foi Christus Domini, mas aqui está Christus Dominus. Aquele