Profile cover photo
Profile photo
Emanuel Lopes Ferreira Galvão
137 followers -
“Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas.”
“Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas.”

137 followers
About
Posts

Post has attachment
Oxigénio (Emanuel Galvão)
Amada, te quero muito bem... Eu sei que sabes! Mas, quero ser como a brisa em dias de verão... - um sopro que se repete como compulsão -. Nos dias frios... também se repetir. Ser como as cobertas que puxas cada vez mais para perto de ti. E por fim... Nos di...
Add a comment...

Post has attachment
Ars Poética (Paulo Sabino)
marcar o papel a palavra fogo coisa que queime, que permita combustão rasgar a folha a metáfora faca coisa que corte, que sangre emoção lamber a linha a imagem língua coisa que arrepie, que concentre tesão molhar o branco a figura água coisa que inunde, que...
Add a comment...

Post has attachment
Fanatismo (Florbela Espanca)
Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida. Meus olhos andam cegos de te ver. Não és sequer razão do meu viver Pois que tu és já toda a minha vida! Não vejo nada assim enlouquecida... Passo no mundo, meu Amor, a ler No mist'rioso livro do teu ser A mesma históri...
Add a comment...

Post has attachment
Reinauguração (Carlos Drummond de Andrade)
Entre o gasto dezembro e o florido janeiro, entre a desmistificação e a expectativa, tornamos a acreditar, a ser bons meninos, e como bons meninos reclamamos a graça dos presentes coloridos. Nessa idade - velho ou moço - pouco importa. Importa é nos sentirm...
Add a comment...

Post has attachment
Feliz Ano Todo! (Emanuel Galvão)
Escolha uma definição de
felicidade. Se tu tens em mãos a matéria
prima Erga como se ergue uma
cidade. Então nela, fielmente
imprima: Tuas mais razoáveis
necessidades. Apesar das dificuldades,
não se deprima. Muito além, do fútil e das
vaidades, Ou de qualq...
Add a comment...

Post has attachment
O Tempo (Roberto Pompeu de Toledo)
Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o mil...
Add a comment...

Post has attachment
Outro Natal (Paulo Miranda Barreto)
outro Natal se passou igual a outros iguais. . . ’Jesus nasceu, sofreu, ressuscitou deixou-nos sua Luz . . . não voltou mais’ faz muito tempo . . . e, o que se transformou? ainda guerreamos . . . pela paz . . . não nos amamos mais do que Ele amou . . . segu...
Add a comment...

Post has attachment
"Cinismo" (Emanuel Galvão)
Dedicado a Walfrido Pedrosa de Amorim (Nô Pedrosa) Um sujeito oculto e culto Que fez de suas palavras uma hoploteca Tem seu escritório Em frente à biblioteca Doutor da anarquia Seu predicado maior Era não ter dominação ou
hierarquia. Tu me
acusarás Eu não...
Add a comment...

Post has attachment
Musa (Mírian Monte)
É o decote da tua blusa Que não mostra, insinua; Que desperta o desejo De ter ver inteira nua. São as covas dos teus risos, Que brotam em lábios indecisos, E se entreabrem levemente, Ora prometem beijos quentes E, de vez em quando, orgulhos ferem, Com as pa...
Add a comment...

Post has attachment
Disparate (Paulo Miranda Barreto)
(Amor Danado) Se for pedir demais, Deus . . . me perdoe! Mas, quero um grande amor desassombrado! Assaz libidinoso e doido e ousado! Que me oriente enquanto me atordoe. . . Que ame amar demais e amaldiçoe o ódio, o tédio, o medo , os versos xoxos. . . Que a...
Add a comment...
Wait while more posts are being loaded